Respostas Católicas

Afinal: o anúncio da gravidez de maria foi feito a ela (cf. lucas) ou a josé (cf. mateus)?

– Eu li [a obra de] um pesquisador bíblico que diz não ser possível reconciliar os Evangelhos de Mateus e Lucas. Ele escreveu: “Existem estórias distintas nas narrativas de Mateus e Lucas que não se harmonizam: [em Mateus] o anúncio celeste do nascimento da criança é feito a José, mas [em Lucas] é feito a Maria. Ninguém pode dizer que não existe aqui uma contradição, pois cada qual com a sua própria estória!” (Anônimo)

O pesquisador bíblico citado por você está exagerando. Parece que ele está criando uma dificuldade ao invés de descobrir uma no texto. Tome cuidado com pesquisadores que usam a contradição como explicação de primeira instância ao interpretar a Bíblia. Este não é o procedimento padrão dos historiadores seculares na sua área de estudo, então por que deveria ser nos estudos bíblicos?

Não existe nenhum problema em reconciliar as duas narrativas pois não há nada a ser reconciliado. Mateus faz menção a um anúncio celeste dado a José através de um sonho (Mateus 1,20); Lucas, por sua vez, menciona outro [anúncio] dado a Maria (Lucas 1,26-38). Nenhum desses dois relatos afirmam ser taxativos e nenhum afirma que o anúncio foi dado a apenas uma das pessoas mencionadas. E também não existe qualquer dificuldade lógica que um anjo tenha se dirigido a ambos para anunciar a gravidez de Maria.

Sob essas circunstâncias, é óbvio que Maria precisava ser informada. E não seria estranho se José não fosse cientificado? Ademais, concepções virginais eram tão extraordinárias [naquele tempo] quanto são hoje. Seria, pois, de se esperar que algum sinal fosse dado a José indicando que a concepção da criança era obra do Espírito Santo.

Veja também  Qual é a doutrina católica acerca da vida após a morte? e o que pensam as demais igrejas?

Assim, não existe, com certeza, nenhum problema interno ou literário de “harmonização” das duas narrativas, tendo o anúncio sido feito tanto a Maria quanto a José. A história flui perfeitamente assim como está.