Igreja Católica - Papado

Se Jesus era judeu, por que nós somos católicos?

Por Catholic Answers

O termo “judeu” é usado com pelo menos dois sentidos nas Escrituras: para se referirem á aqueles que são autenticamente judeus e para aqueles que são religiosamente judeus. Jesus era judeu em ambos os sentidos. Na verdade, ele completou o judaísmo se servindo de Messias (Cristo) pelo o qual os profetas haviam predito.

A forma completa da religião judaica é conhecida como “cristandade” e seus seguidores são cristãos ou “seguidores de Cristo”. Infelizmente, muitas pessoas que são judeus étnicos não reconhecem Jesus como o Messias e por isso eles não aceitam o cristianismo, a forma completa do judaísmo. Outros judeus (os apóstolos e seus seguidores) reconhecem que Jesus era o Messias e abraçaram o cristianismo.

Pouco tempo depois, foi aceito que alguém poderia ser cristão embora não pertencesse ao povo judeu. Assim, os apóstolos começaram a converter muitos gentios á fé cristã. Dessa forma, começou a possibilidade de uma pessoa ser “judeu” por religião (porque aceitou o cristianismo), mas não sendo judeu por etnia. Esse é o caso de muitos cristãos de hoje.

Essa é a diferença entre judeu étnico ou religioso que se encontra em Romanos 2,28-29: “Não é verdadeiro judeu o que o é exteriormente, nem verdadeira circuncisão a que aparece exteriormente na carne. Mas é judeu o que o é interiormente, e verdadeira circuncisão é a do coração, segundo o espírito da lei, e não segundo a letra. Tal judeu recebe o louvor não dos homens, e sim de Deus”.

Os cristãos são aqueles que Paulo se refere como sendo interiormente (religiosamente) judeus, enquanto os judeus não cristãos são aqueles que ele se refere como sendo exteriormente (etnicamente) judeus.  A condição anterior, ressalta, é a mais importante.

Veja também  Pode de veto dos Bispos em para definiçes "ex-cathedra" do Papa?

Infelizmente, ao longo do tempo alguns cristãos romperam com a Igreja que Jesus fundou, e assim o nome foi necessário para distinguir esta Igreja desde daquela que eles romperam com ele. Porque todas as rupturas eram particulares, em  grupos locais, foi decidido chamar a Igreja que Jesus fundou de “universal” (em grego, kataholos = “de acordo com o todo”), e, portanto, o nome católico foi dado a ela.

É por isso que Jesus era judeu e nós somos católicos: Jesus veio para completar a religião judaica através da criação de uma Igreja que serviria como seu cumprimento e está aberta a pessoas de todas as raças, não apenas os judeus étnicos. Como católicos, nós somos aqueles que aceitaram o cumprimento da fé judaica, unindo a Igreja que Jesus fundou.

Traduzido por Tiago Rodrigo da Silva, para o Veritatis Splendor, do original em inglês “If Jesus was a Jew, why are we Catholic?” da web site catholic.com.