Leiticia Ortiz: Solteira e Divorciada?

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

De sua futura esposa se tem dito muitas coisas. Trata-se de uma jovem culta, trabalhadora... que encarna muito bem o protótipo da mulher moderna. Não obstante, um dado de sua biografia revelava-se, desde o princípio, um tanto quanto "desabonador". Letícia é divorciada.

Muitos têm perguntado: como é possível que uma mulher divorciada venha a contrair matrimônio canônico na Catedral de Madri com o "Príncipe das Astúrias"? Trata-se de uma exceção feita pela Igreja, por tratar-se do casamento de um membro da Família Real? Permite-se ao príncipe e à sua futura esposa algo que é negado aos demais divorciados?

Com freqüência os veículos de comunicação tendem a confundir as coisas. E as coisas devem ser esclarecidas, a cada momento, para se saber do que falamos, para podermos opinar e julgar com justiça, adaptando-nos à realidade.

E a realidade é que, no casamento do príncipe, a Igreja não fará absolutamente qualquer exceção. Para contrair matrimônio canônico, para receber o sacramento do matrimônio, são requeridas duas condições: ser batizado e ser solteiro [ou viúvo]. Ambas as condições se cumprem neste caso.

Sabemos que o Príncipe das Astúrias é um homem solteiro. O problema não está nele, mas em sua futura esposa. Pois bem; ao contrário do que muitos possam crer, Letícia também é uma mulher solteira. Solteira e divorciada? Sim! Solteira e divorciada!

O matrimônio que Letícia contraiu não foi um matrimônio sacramental, mas apenas um matrimônio civil. E para o católico, matrimônio civil não é matrimônio. Se dois católicos se casam civilmente continuam, aos olhos da Igreja, tão solteiros como antes de se casarem. Portanto, se esse matrimônio civil é dissolvido por uma sentença de divórcio, a pessoa divorciada fica livre para se casar novamente. A sentença de divórcio é necessária, diga-se de passagem, não tanto para se contrair o matrimônio canônico, mas para não permitir que a lei civil acuse caso de bigamia.

Segundo a doutrina católica, existe uma união entre o contrato matrimonial e o sacramento, de tal modo que "entre batizados, não pode haver contrato matrimonial válido que não seja por isso mesmo sacramento" (Código de Direito Canônico, cânon 1055, parágrafo 2). Em outras palavras: dois batizados ou se casam pela Igreja ou não se casam em absoluto. Não é válido para eles, do ponto de vista da Igreja, o matrimônio civil.

Conseqüentemente, não há, neste sentido, nenhum obstáculo para o príncipe se casar com Letícia. Ambos são batizados e solteiros. Ele é solteiro e ela também. Quando contraírem o sacramento do matrimônio serão convertidos em marido e mulher "até que a morte os separe".

Porque para todos - príncipes ou mendigos - o matrimônio válido é para toda a vida.

Fonte: es.catholic.net. Tradução: Carlos Martins Nabeto.

Artigos relacionados

O Cânon Bíblico

O Cânon Bíblico

Leia "O Cânon Bíblico" e aprenda como a Bíblia teve origem e foi formada.

Adquira o seu

O Dom de Línguas

O dom das linguas

"O Dom de Línguas" é uma obra que apresenta a doutrina tradicional sobre este incrível dom carismático.

Adquira o seu

A Graça e Salvação

A Graça, a Fé, as Obras e a Salvação

"A Graça, a Fé, as Obras e a Salvação" aborda a difícil temática sobre o valor das obras para a salvação. Nela o autor, analiza a doutrina de Lutero (salvação somente pela fé) à luz da própria Bíblia.

Adquira o seu

Em Defesa da Fé Católica

A Graça, a Fé, as Obras e a Salvação

Atendendo ao chamado de S. Pedro que nos exorta a dar de bom grado a razão de nossa fé (cf. 1Pd 3,15-16), o autor apresenta uma completa defesa dos principais pontos controversos da doutrina católica.

Adquira o seu

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba nossas atualizações em seu email.

Contacte-nos

Se desejar entar em contato, utilize as formas abaixo:

Siga-nos

Nós estamos nas redes sociais.

QRCode

QR Code
Você está aqui: Direito Canônico Dir. Matrimonial Leiticia Ortiz: Solteira e Divorciada?