Espaço do Leitor

Filho de pastor evangélico indaga sobre licitude de promessa feita ao pai

OLÁ! IRMÃOS, QUE A PAZ DO SENHOR ESTEJA EM VOZ. SOU RECENTE NA IGREJA CATÓLICA, QUANDO NÃO TINHA DEFINIDO A MINHA RELIGIÃO, TINHA PROMETIDO AO MEU PAI QUE É PASTOR E FEZ UMA IGREJA NO QUINTAL DE CASA, AONDE ATÉ POUCO TEMPO EU MORAVA, QUE IRIA LEGALIZAR A IGREJA, SEM COBRAR NADA, E AGORA ME SINTO MAL DIANTE DO QUE FAZER, MANTENHO MINHA PALAVRA?, SERÁ QUE EU FAZENDO ISSO, DEUS FICARÁ TRISTE COMIGO?. O QUE DEVO FAZER? O MEU CORAÇÃO DOE, POR FAVOR ME AJUDE

Caríssimo sr. Alexandre,
 
Obrigado por sua confiança em nosso apostolado, e seja bem-vindo à Igreja de Cristo.
 
Entendemos sua situação. Seu coração só pode estar dilacerado pela dor diante das circunstâncias. Feita uma promessa no tempo de sua ignorância, quer o senhor agora saber da licitude da mesma e se ela persiste em sua obrigatoriedade.
 
É bem verdade que devemos honrar nossos pais e não podemos faltar à palavra empenhada sob pena de pecado. Entretanto, para a validade de uma promessa, é mister seja seu objeto algo bom ou, no mínimo, neutro. Prometer coisa má equivale a não prometer. Não estamos obrigados a algo mau.
 
Evidentemente, quando o senhor emitiu a promessa, não sabia da maldade do objeto da mesma, não havendo, pois, pecado no ato de prometer. Convertendo-se, porém, o senhor sabe – mormente por nossa resposta – da ilicitude do objeto prometido. Não persiste, logo, sua obrigação. Aliás, cumprir a promessa é que será pecado, eis que o senhor dará execução a algo mau, qual seja a ajuda direta a uma seita protestante, que tantas almas arranca da verdadeira Igreja.
 
Importa, caríssimo irmão, agradar antes a Deus que aos homens. Nossa obediência aos pais é símbolo da obediência que devemos ao Pai celeste. Sendo aquela uma ocasião de desobediência a Deus, deve-se, temporariamente, recusá-la. Tampouco prometer coisas que desagradam a Nosso Senhor – ou cumprir tais promessas, se feitas em ignorância, depois de saber do desagrado do Altíssimo – nos pode gerar problemas de consciência.
 
A solução, já dissemos, é bastante simples. Sua promessa é inválida pela ilicitude do objeto. Fique tranqüilo. Não estará o senhor desonrado por não cumprir uma promessa ilícita e inválida.
 
Em Cristo,

Veja também  A Igreja proíbe a cremação dos corpos? [ARC0053]