Espaço do Leitor

Leitor pergunta sobre obelisco na praça de são pedro no vaticano

Nome do leitor: Fernando Doria
Cidade/UF: São Paulo/SP
Religião: Cristã
Confissão: Católico

Mensagem
========

Boa tarde, respondo para um site católico e recebi um questionamento que não sei como responder, e gostaria de saber se vocês podem me ajudar. Aqui vai a pergunta que me fizeram.

Gostaria de uma explicação a respeito do símbolo que a maçonaria utiliza:o obelisco.Pesquisando sobre o assunto me deparei com uma realidade. Na pça do Vaticano tem esse símbolo bem no meio.Fiquei espantada,e acredito que se deve ter uma explicação lógica para isso.Já que a Igreja católica condena a maçonaria ,pq mantém um símbolo da mesma,na sede da sua Igreja?Eu sou católica,mas confesso que fiquei chocada com a descoberta…gostaria de uma explicação maior e melhor,se possível.grata pela atenção!

Fernando, a Paz de Cristo!

A princípio, gostaria de agradecer a sua confiança em nosso apostolado.

Tenho quase certeza que a pessoa que fez essa pergunta para você deve ter ligo um artigo do site Espada do Espírito, do Pastor Bastista Bay, o qual alega, entre outras inverdades, que o obelisco situado na Praça de São Pedro está circundado por oito figuras geométricas que representariam etapas de evolução nos conhecimentos ocultistas.

Porém, vamos a sua pergunta. Não há dúvidas, o obelisco é um símbolo pagão sim, uma vez que fora utilizado principalmente nas religiões do antigo Egito. Também é utilizado pelos maçons em todo o mundo, em que pese eu não possa explicar com segurança qual o seu significado dentro da simbologia da maçonaria. Existem diversas teorias, que seria um símbolo fálico, a habitação do deus egípcio rá ou um simples marco geográfico.

Contudo, o que eu posso te afirmar com certeza absoluta é que o fato de existir um na Praça da Basílica de São Pedro não quer dizer que a Igreja está cultuando ídolos pagãos, tampouco utilizando simbologia esotérica oculta em suas edificações.

Esse obelisco, Fernando, segundo a tradição da Igreja, data do século XX a.C. e foi trazido do Egito para Roma a mando do Imperador Calígula para adornar o circo que existia exatamente onde está situada a Basílica Vaticana. Neste local, foram martirizados diversos cristãos romanos, inclusive São Pedro, o qual, segundo indícios irrefutáveis oriundos de descobertas arqueológicas recentes, está sepultado em um cemitério do século I, situado abaixo do altar-mor da nave central da Basílica. Os primeiros cristãos construíram uma pequena capela no lugar de martírio de São Pedro, sendo que muitos anos depois foi erguida a atual Basílica.

Assim, meu amigo, este obelisco foi erigido na Piazza di S. Pietro, no ano 1556, pelo Papa Sisto V, não para o culto velado do deus rá, mas para preservar a lembrança do martírio dos católicos que tiveram suas vidas ceifadas à sombra de tal monumento pagão, principalmente a do primeiro Papa, ainda quando tal monólito adornava o palco sanguinário de um dos maiores perseguidores da Igreja de todos os tempos.

Para você ter idéia, sob a cruz da ponta do obelisco existem fragmentos do lignum crucis, trazidos de Jerusalém por Santa Helena, mãe do Imperador Constantino, no ano 326. Existem estudos de renomados historiadores atestando a veracidade de tal relíquia. Assista o documentário do Discovery Channel denominado “Em busca da verdadeira Cruz” e tire suas próprias conclusões.

Com certeza, é uma grande grande “ironia” de Deus que um objeto que servia de adorno em um local de martírio tenha sido fixado, com um crucifixo em seu ápice, na praça do maior templo católico do mundo, cujas colunas representam os braços da Igreja que se estendem para abraçar os fiéis, e não códigos ocultistas velados. Isso prova nada mais nada menos o triunfo da Esposa do Cordeiro sobre a Roma pagã.

Gostaria de lembrá-lo, por fim, que o Pastor Bay e seu discípulo tupiniquim, Jeremias, são representantes de um ramo fundamentalista americano do protestantismo, sobre o qual já escrevemos alguns artigos, entre eles: www.veritatis.com.br/article/710 , www.veritatis.com.br/article/4496 .

Sua tônica é o fim dos tempos, segundo as interpretações “mucho locas” de Bay sobre os acontecimento atuais. A lógica utilizada por esse site caluniador para estribar seus argumento chega às barras do ridículo, como você poderá ler nos artigos indicados no parágrafo anterior.

Acho que Bay está perdendo muito tempo em tentar adivinhar o fim dos tempos o que é natural nas seitas protestantes americanas (no adventismo do sétimo dia, por exemplo, o fundador marcou duas datas para o fim do mundo – 1843 e 1844 – deixando seus seguidores a ver navios) e esqueceu de ler a Bíblia, sobretudo Lucas 21, 8, no qual, o Deus que ele afirma adorar alertou a seus discípulos para não seguirem aqueles que disserem que “o tempo está próximo”.

Espero ter esclarecido a sua dúvida.

Fique em paz!!!

Em Cristo,

André Caetano

Veja também  O "discurso anti-infalibilidade do Papa" do Bispo Strossmayer