Biografias

Pápias de Hierápolis

Estamos frente a “uma das personagens mais misteriosa da antiguidade cristã. Pouquíssimo sabemos sobre ele, e as poucas notícias que temos dão lugar, por parte dos historiadores, à discussões intermináveis”.

Pápias viveu, aproximadamente, entre os anos 70 a 140 d.C. Segundo os testemunhos que se têm, era bispo de Hierápolis, na Frigia, atual Pambukcallesi turca. Foi contemporâneo e amigo de Inácio de Antioquia e de Policarpo de Esmirna. Segundo Ireneu de Lião, teria sido discípulo do apóstolo João. Conforme Eusébio de Cesaréia, Pápias fora discípulo do “outro João”, o “presbítero” e não do apóstolo João (HE, III, 39,15ss).

Ainda conforme Eusébio, Pápias era um pensador apenas medíocre, fraco e sustentava idéias judeu-cristãs e o qualifica de “homem de inteligência em extremo escassa, como o demonstram seus livros”. De fato, alguns dos fragmentos que restam de sua obra confirmam a pouca inteligência do autor. Afirmações exageradas atribuídas a Jesus muito próximas dos evangelhos apócrifos, sobre a fertilidade da terra, sobre o milênio do reino de Jesus, depois que a criação for renovada e libertada e a lendas referentes à morte de Judas. Seus fragmentos falam somente dos evangelhos de Mateus e Marcos. Nada dizem do evangelho de Lucas, das cartas de Paulo e do próprio Evangelho de João.

Jerônimo, no De viris Illustribus 18, diz que “Pá pias, discípulo de João, bispo de Herápolis, na Asia, não escreveu senão cinco volumes, que intitulou Explicações dos discursos do Senhor. Afirma, no prefácio, que não segue variedade de opiniões, mas procura a verdade na tradição oral vinda dos apóstolos e discípulos do Senhor, preferindo-a aos livros, pois é “palavra viva e permanente”.

De sua obra, restam alguns fragmentos (vários deles conservados por outros escritores) que tratam, entre outras coisas, da origem dos evangelhos de Marcos e Mateus, do milenarismo, etc. Porém, o que chama mais atenção, é que Papias foi o primeiro a afirmar que Jesus não tinha irmãos carnais: estes seriam filhos de outra Maria. Esse testemunho é muito importante para os nossos dias, onde cristãos protestantes ensinam que Maria teve outros filhos, contradizendo a doutrina católica e ortodoxa.

Veja também  Biografia de São Leão Magno