Respostas Católicas

Qual a diferença entre virtudes teologais e virtudes morais?

– Como um evangélico que está pesquisando sobre [a Igreja de] Roma, gostaria de alguns esclarecimentos – bíblicos de preferência – sobre o significado do termo "virtude", que sempre entendi como "santidade genérica". Nas obras católicas, as virtudes são algumas vezes chamadas de "teologais" e outras vezes "morais". Qual é a diferença? (Anônimo)

A palavra "virtude" é usada como um sinônimo para "bondade" ou "sobriedade" ou algo parecido com um traço de personalidade, mas a Igreja emprega esse termo de uma forma muito mais precisa. As virtudes são graças especiais dadas por Deus à alma para a realização de certos objetivos. Elas são inerentes à alma e estão sujeitas ao fortalecimento ou enfraquecimento. A Igreja distingue duas categorias gerais de virtudes: teologais e morais.

Fé, esperança e caridade são as chamadas "virtudes teologais" porque são as mais importantes características na vida cristã, como Paulo explica em Romanos 5,1-5 e 1Coríntios 13,13. Elas se referem (exclusivamente no caso da fé e esperança, e primariamente no caso da caridade) à relação de alguém com Deus.

"Fé" é a graça de crer no amor de Deus por nós e em suas verdades reveladas (Lucas 1,45; João 11,25-26; Efésios 2,8). "Esperança" é a graça de confiar que Deus cumprirá com a sua promessa de nos salvar da morte eterna se nos voltarmos a Ele em arrependimento (Romanos 5,2; 8,25; Hebreus 6,17-20; 1Pedro 1,3-5). "Caridade" é uma graça de duplo-efeito: o efeito primário é o de mover a vontade de amar a Deus fervorosamente e acima de todas as coisas; o efeito secundário é o de intensificar o nosso amor ao próximo (Deuteronômio 6,4-6; Mateus 22,36-40; 25,31-46; Marcos 12,28-31; Romanos 13,8-10; 1Coríntios 13,1-13).

"Virtudes morais" são assim chamadas porque elas nos ajudam a viver dentro dos parâmetros morais estabelecidos pelo Evangelho. As principais delas são: a prudência, a justiça, a temperança e a fortaleza, também conhecidas como "virtudes cardeais" (derivado do latim "cardo", que significa "dobradiça", porque sobre elas dependem todas as outras virtudes morais).

A "prudência" é a graça de formar julgamentos corretos (Mateus 10,16; 1Pedro 4,7). A "justiça" nos ajuda a lidar de forma equitativa com os outros (Provérbios 21,21; 1Timóteo 6,11). A "temperança" nos ajuda a subjugar os nossos apetites sensuais e fazer uso adequado das criaturas de Deus (1Coríntios 6,12; 10,23-24). A "fortaleza" nos ajuda a perseverar [na fé e no bem] apesar das tentações do pecado e do desespero (Romanos 8,32-35; Tiago 5,10-11). Outras virtudes morais são: humildade (Mateus 18,1-5), paciência (Hebreus 10,36-37), obediência (Romanos 13,1-7), castidade (1Coríntios 6,15-20), piedade (Efésios 5,15-20) e veracidade (Efésios 4,15.25).

Veja também  O papa gregório máximo disse que os papas são anticristos?