Respostas Católicas

Respostas aos protestantes sobre as relíquias milagrosas

Relíquias de santos são objetos santificados pelo contato com os santos. Muitas vezes são atribuídos milagres pelo simples toque nessas relíquias. O mesmo Deus honra as relíquias, porque se serve delas para operar milagres. No início do Cristianismo, era comum, já nas catatumbas, a reprodução de imagens e a guarda das relíquias dos santos.

O uso das relíquias para operar milagres e se obter graças, vem desde o tempo de Cristo. A bíblia, de sua parte, reconhece em toda a parte a mão de Deus que manifesta aos seus o seu poder e o seu amor. Já os Hebreus conservavam religiosamente as relíquias: “Moisés levou do Egito o corpo de José” (Êxodo 13,9)

“Continuando o seu caminho entretidos a conversar, eis que de repente um carro de fogo com cavalos de fogo os separou um do outro, e Elias subiu ao céu no turbilhão. Vendo isso, Eliseu exclamou: ‘meu pai, meu pai! Carro e cavalaria de Israel!’ E não o viu mais. Tomando então as suas vestes, rasgou-as em duas partes. Apanhou o manto que Elias deixara cair, e voltando até o Jordão, parou à beira do rio. Tomou o manto que Elias deixara cair, feriu com ele as águas, dizendo: ‘onde está o senhor, o Deus de Elias? Onde está ele?’ Tendo ferido as águas, estas separaram-se para um e outro lado, e Eliseu passou” (2 Reis 2,11-14)

“Eliseu morreu e foi sepultado. Guerreiros moabitas faziam cada ano incursões na terra. Ora, aconteceu que um grupo de pessoas, estando a enterrar um homem, viu uma turma desses guerreiros e jogou o cadáver no túmulo de Eliseu. O morto ao tocar os ossos de Eliseu, voltou à vida, e pôs-se de pé” (2 Reis 13,20-21)

Veja também  A apologética é divisiva?

“Ora uma mulher atormentada por um fluxo de sangue, havia doze anos, aproximou-se dele por trás e tocou-lhe a orla do manto. Dizia consigo: ‘se eu somente tocar na sua vestimenta, serei curada’. Jesus virou-se, viu-a e disse-lhe: ‘tem confiança, minha filha, tua fé te salvou’. E a mulher ficou curada instantaneamente” (Mateus 9,20)

“E tendo atravessado, chegaram a Genesaré. As pessoas do lugar o reconheceram e mandaram anunciar por todos os arredores. Apresentaram-lhe, então, todos os doentes, rogando-lhe que ao menos deixasse tocar na orla de sua veste. E todos aqueles que nele tocaram, foram curados” (Mateus 14,34-36)

“De maneira que traziam os doentes para as ruas e punham-nos em leitos e macas, afim de que quando Pedro passasse, ao menos a sua sombra cobrisse alguns deles. Também das cidades vizinhas de Jerusalém afluía muita gente, trazendo os enfermos e os atormentados por espíritos imundos, e todos eles eram curados” (Atos 5,16)

Deus fazia milagres extraordinários por intermédio de Paulo, de modo que lenços e outros panos que tinham tocado o seu corpo eram levados aos enfermos, e afastavam-se deles as doenças e retiravam-se os espíritos malignos?. (Atos 19,11-12)

No início do Cristianismo Santo Inácio de Antioquia foi lançado no anfiteatro de Roma às feras, que lhe não deixaram senão ossos; os seus discípulos procuraram-nos de noite e levaram-nos para Antioquia (No ano 107)

O mesmo se fez a S. Policarpo, bispo de Esmirna (166) queimado vivo; os seus restos foram considerados jóias preciosas.

Eis a origem da benção dos objetos (Relíquias) e das pessoas consagradas a Deus. E na categoria de objetos entram as imagens, as estátuas, que são objetos de culto, enquanto nos lembram as virtudes dos Santos que representam.

Veja também  Respostas ao texto "mensagem dirigida aos católicos"