Obras

Segundo sermão sobre as coletas

Caríssimos, o mandamento que vos ensinamos e no qual exortamos como pastor vos é conhecido e familiar: que estejais comprometidos com o exercício da misericórdia. Ainda que isto nunca tenha sido negligenciado por vossa santidade, agora, todavia, deveis vos empenhar com maior presteza e maior generosidade: porque o primeiro dia das coletas, instuição muito salutar que remonta aos santos Padres, exige que cada qual, na medida que prometeu e que lhe é possível, ofereça parte de seus recursos para as necessidades e para a alimentação dos pobres. Vós sabeis que, além do batismo da regeneração, no qual foram lavadas as manchas do pecado, nos foi divinamente concedido este remédio para a fraqueza humana: qualquer culpa contraída durante a permanência terrestre é apagada pelas esmolas. Com efeito, as esmolas são obras de caridade e sabemos que “a caridade cobre uma multidão de pecados” (1Pd 4,8). Por conseguinte, caríssimos, preparai cuidadosamente, para a próxima segunda-feira, vossas doações voluntárias, a fim de que possais reencontrar multiplicados na vida eterna os bens temporais de que vos despojareis.

Veja também  O Natal do Senhor - Sermão 23