Fonte: Livro “Curso de Catequesis” do Editorial Palavra, España

Traduzido por Pe. Antônio Carlos Rossi Keller

Tema 18: “JESUS CRISTO FUNDOU A IGREJA”

INTRODUÇÃO:

Ensina o Concílio Vaticano II que, “sendo Cristo a luz das gentes…, deseja ardentemente iluminar a todos os homens (…) luz esta que resplandece sobre o rosto da Igreja, anunciando o Evangelho a todas as criaturas” (Lumem Gentium, 1). Fica claro, pois, que a Igreja depende inteiramente de Cristo, como a luz da lua depende do influxo do sol.

Já dizia Santo Agostinho que a Igreja é Cristo entre nós: suas mãos continuam a nos curar (os sacramentos da Igreja), sua boca continua a nos falar (a doutrina santa que a Igreja prega). A Igreja continua a missão de Cristo, e foi para isso que Ele a fundou.

Quando professamos a fé, no Símbolo, dizemos: “ Creio na Igreja, Una, Santa, Católica e Apostólica”. Ela é a Mãe que cuida de nós com os sacramentos e com a doutrina de Jesus Cristo, conduzindo-nos para o céu.

IDÉIAS PRINCIPAIS:

1. Jesus Cristo fundou a Igreja para continuar sua obra na terra

Jesus Cristo veio à terra para nos remir e nos salvar, mas tinha que voltar ao Pai. Como a Redenção que Ele tinha conseguido para nós tinha necessidade de chegar a toda a humanidade, Cristo funda a Igreja com a missão de continuar na terra o plano divino da salvação, sua obra salvadora. A Igreja, portanto, não é invenção humana, mas algo querido expressamente por Deus.

2. O que é a Igreja

A palavra igreja significa “convocação”, termo muito próprio porque a Igreja é o novo povo de Deus convocado pela Palavra e constituído pela graça que nos é dada pelos sacramentos, fundado por Jesus Cristo e regido pelo Papa e pelos bispos, que conduzem os fiéis cristãos à salvação sob a ação do Espírito Santo. Na Sagrada Escritura encontramos outras expressões que equivalem ao termo Igreja: Reino de Deus, Novo Povo de Deus, Corpo de Cristo,…

Começamos a fazer parte da Igreja no dia de nosso Batismo, que nos faz discípulos de Cristo, como aqueles que seguiam ao Senhor.

3. A fundação da Igreja

O Evangelho narra os passos sucessivos com os que Cristo fundou “sua Igreja”. Começou pregando o Reino de Deus, escolheu logo os doze Apóstolos aos quais deu poderes especiais, e a um deles –Pedro- o designou seu vigário na terra, entregando-lhe o poder supremo sobre toda a Igreja. Fez muitos milagres para demonstrar que –com Ele- tinha chegado o Reino de Deus. Com sua morte na cruz conseguiu a salvação de toda a humanidade, e a última pedra desta construção magnífica foi a vinda do Espírito Santo, que enviou desde o céu, no dia de Pentecostes.

4. O mistério da Igreja

Podemos dizer que Cristo edificou sua Igreja dotando-a de características especiais, pelas quais é distinta das demais sociedades que conhecemos. A Igreja é humana e divina ao mesmo tempo, visível e invisível. Também é hierárquica e carismática, ainda que os carismas estejam subordinados à hierarquia, que governa em nome de Cristo, sob a ação do Espírito Santo, doador dos carismas.

5. Cristo fundou uma única Igreja e a Igreja Católica é esta  verdadeira Igreja

Cristo fundou uma única Igreja; Ele falou de um só rebanho e um só pastor. A verdadeira Igreja fundada por Cristo é UNA, SANTA,. CATÓLICA e APOSTÓLICA,  como dizemos no Credo.

· É UNA, porque tem um só pastor visível, o Papa, uma mesma fé e os mesmos sacramentos.

· É SANTA, porque Santíssimo é seu fundador, Jesus Cristo, santa a sua Doutrina e santos os Meios para nos fazer santos (os sacramentos). Ainda mais, sempre existiram e sempre existirão santos na Igreja.

· É CATÓLICA,  que significa universal, porque chama a todos a seu seio e está estendida por toda a parte. Durará até o fim do mundo e em todos os lugares é a mesma: o mesmo Papa, o mesmo Credo, os mesmos Sacramentos.

· É APOSTÓLICA,  porque está fundamentada (alicerçada) sobre os Apóstolos e ensina a doutrina que eles ensinaram. O Papa e os bispos são os legítimos sucessores de Pedro e dos demais Apóstolos.

A Igreja de Jesus Cristo é hoje a Igreja Católica, porque só nela cumprem-se estas quatro propriedades e é a única que possui todos os meios de salvação que Cristo quis dar à sua Igreja.

6. Amar a Cristo é amar a sua Igreja

Diz São Cipriano que “não pode ter a Deus por Pai quem não tem a Igreja como Mãe”.

Depois de saber um pouco mais o que é a Igreja, entendemos ser um grande erro aceitar  a Cristo e recusar a Igreja, Seria uma atitude contraditória, porque Jesus Cristo a instituiu para pregar sua doutrina e administrar a graça aos homens, como instrumento de salvação.

7. Deveres que temos para com a Igreja

Que presente maior poderia ter-nos dado o Senhor do que este: ser membros de sua Igreja? Por isto, com agradecimento e amor, devemos dizer sempre: “ Creio na Igreja, Una, Santa, Católica e Apostólica”.

Os deveres para com nossa Mãe, a Igreja são:

· Crer no que a Igreja nos ensina;

· Cumprir o que nos manda;

· Amá-la de verdade, sentindo-nos felizes e honrados de pertencermos a ela;

· Rezar por seus pastores: o Papa, os bispos, os sacerdotes e todos os irmãos

· Ajudá-la em suas necessidades, segundo nossas possibilidades.

8. PROPÓSITOS DE VIDA CRISTÃ

· Dar muitas graças a Deus pela Igreja.

· Meditar esta frase de São Cipriano, tirando muitas conseqüências práticas para nossa vida:

“Não pode ter a Deus por Pai, quem não tem a Igreja por Mãe”.

Facebook Comments

Livros recomendados

Desconstruindo Paulo FreireO trabalho intelectual e a vontade – continuação de “A educação da vontade”Filhos e Pais – Sabedoria e orientação para os pais