Protestantismo

6º parágrafo

(1) “Não necessitamos de religião, e, sim, de uma “mudança de vida”. (2) Por acaso, os infelizes que vivem nas prisões e nos lugares de prostituição não têm sua religião e dizem crer, sendo devotos de algum santo?”

  1. Mais uma meia verdade do autor. A necessidade da mudança de vida, também chamada de conversão, é realmente uma necessidade para todo homem, em especial para o cristão. João Batista já pregava isso (cf. Mc 1,4) e também Jesus o fazia (cf. Mt 4,17). Agora, o autor dizer que não necessitamos de religião, além de ser uma inverdade, é totalmente contraditório com sua pregação! Veja: este artigo de Schubert, escrito num folheto, foi financiado, comprado e distribuído por alguma religião que se autodenomina de “cristã evangélica”. Se a religião não fosse necessária, também não seriam necessárias as igrejas porque são elas que fomam a religião. Isto é totalmente antibíblico!!! Mais uma vez não sei se o autor não leu sua Bíblia ou se sua Bíblia está deturpada! Jesus fundou sua Igreja (Mt 16,18) e falou da sua importância (Mt 18,17). O livro dos Atos dos Apóstolos descreve a Igreja primitiva, fala sobre seu avanço e menciona inclusive a criação da nova religião ao falar que foi na Antioquia que começaram a chamar os seguidores de Jesus de “cristãos” (At 11,26). São Paulo vai mais além: ele afirma que Cristo se entregou pela Igreja (Ef 5,25), que a Igreja é santa e irrepreensível (Ef 5,27), que é o Corpo de Cristo (Cl 1,24) e também diz – claramente – que “a Igreja é a coluna e o fundamento da verdade” (1Tm 3,15). Observe que Jesus e os escritores do Novo Testamento (Lucas, Mateus, Paulo…) são verdadeiramente inspirados pelo Espírito Santo, Schubert não é! Este é um falso mestre, que distorce as Sagradas Escrituras para sua própria perdição e a de seus seguidores! (cf. 2Pd 3,15-16).
  2. Veja como o autor é extremamente malicioso ao afirmar que todo ladrão e prostituta possui religião e que todos eles têm um santo protetor, tentando-os identificar como praticantes do catolicismo. Eu poderia retornar a pergunta para ele: será que nos prostíbulos e prisões só existem católicos? Eu posso afirmar, sem medo algum de errar, que não! Também existem milhares de ladrões, traficantes, prostitutas, adúlteros, agiotas, fornicadores e coisas piores também entre os evangélicos! E sabem o que estes têm em comum com seus colegas católicos que praticam as mesmas atitudes, mesmo afirmando que são cristãos? Eles não conhecem a Deus, e não o temem – ao contrário do que afirmam! Todos eles herdarão o Inferno porque tiveram a verdadeira oportunidade de conhecer e seguir a Deus, mas optaram pela iniquidade; “ali haverá choro e ranger de dentes” por toda a eternidade (cf. Mt 7,23). Aqui cabe a seguinte afirmação bíblica: “Não julgueis para que não sejais julgado” (Mt 7,1). Não podemos esquecer que o joio vive no meio do trigo e somente será queimado no final dos tempos (Mt 13,24-30.36-43).


Livros recomendados

A Cinza do PurgatórioA Resposta Católica – 3 EdiçãoAmar a Igreja





Veja também  4º parágrafo

About the author

Veritatis Splendor