Espaço do Leitor

A alma de jesus de nazaré foi criada?

[AGRADECIMENTO/CRITICA] Nome do leitor: Benjamim Loureiro
Cidade/UF: Rio de Janeiro/RJ
Religião: Cristã
Confissão: catolica

Mensagem
========

Permito-me fazer uma crítica ao irmão em cristo ROSMAN, Renato Colonna que escreveu artigo neste apostolado intitulado: LEITOR CATÓLICO PERGUNTA SOBRE NOSSA SENHORA E A EUCARISTIA. Disponível em http://www.veritatis.com.br/article/5285.

O caro Rosman escreveu: …”Em outras palavras, embora a carne de Jesus provenha da Virgem Maria, a alma de Jesus foi criada e infundida por Deus no momento de Sua concepção no seio da Virgem Maria por obra do Espírito Santo“. (Oitavo parágrafo).

Foi e é sempre uma preocupação minha como leitor deste site que pareceres, respostas sobre dúvidas de fé e etc…
sejam sempre objetivados na doutrina catolica e se fosse possivel que fossem abalizados por uma autoridade eclesiástica.
Não obstante quem lê ficará certo de que não se trata de uma resposta absolutamente correta, pois Jesus não foi criado, sua alma não foi criada, mas gerada no seio da Virgem Maria conforme nossa profissão de fé catolica apostólica romana.

Solicitamos providências, pois sabemos que a publicação envolve a todos os que de alguma forma promovem a evangelização neste site.

Fraternalmente em Cristo!

Benjamim Loureiro

Resposta ao leitor:

Prezado Benjamim Loureiro

Agradecemos o seu e-mail e a sua crítica referente à nossa resposta ao leitor em: “LEITOR CATÓLICO PERGUNTA SOBRE NOSSA SENHORA E A EUCARISTIA, disponível em http://www.veritatis.com.br/article/5285.”  Tal crítica é importante para que possamos atender aos nossos leitores cada vez melhor. Todos nós somos seres humanos falíveis, assim sendo podemos errar.

Nós, os colaboradores do site Veritatis Splendor, temos por objetivo apenas transmitir, com total fidelidade, os ensinamentos do Magistério da Igreja Católica Apostólica Romana.

A nossa afirmação: …”Em outras palavras, embora a carne de Jesus provenha da Virgem Maria, a alma de Jesus foi criada e infundida por Deus no momento de Sua concepção no seio da Virgem Maria por obra do Espírito Santo.” – “é objetivada na doutrina católica e abalizada por uma autoridade eclesiástica”, o papa São Pio X“.

Para confirmar o que expressamos, convidamos o senhor para consultar o Catecismo Maior de São Pio X, Terceiro Catecismo da Doutrina Católica, Serviço de Animação Eucarística Mariana, 2005, Capítulo IV, Do Terceiro Artigo do Credo, página 53, que traz a seguinte pergunta (83.):

“83. Concorreram o Pai e o Filho também para formar o corpo e para
criar a alma de Jesus Cristo?
Resposta:
Sim, para formar o corpo e para criar a alma de Jesus Cristo, concorreram todas as três Pessoas divinas.

Como o senhor pode perceber de modo claro, o saudoso e santo papa Pio X, nos ensina que a alma de Jesus foi criada.

O Catecismo da Igreja Católica, Edição Típica Vaticana, Edições Loyola, 2000, em seu parágrafo 366 afirma: “A Igreja ensina que cada alma espiritual é criada por Deus de modo imediato (233) e não produzida pelos pais; e que é imortal (234), isto é, não morre quando, na morte, se separa do corpo; e que se unirá de novo ao corpo na ressurreição final.” [233. Cf. Pio XII, Enc. Humani generis (ano 1950): DS 3896; Paulo VI, Sollemnis Professio fidei, 8: AAS 60 (1968) 436; 234. Cf. V Concílio de Latrão (ano 1513), Bulla Apostolici regiminis: DS 1440.]

Sobre a Pessoa de Jesus, o Filho:

1) o Credo de Nicéia–Constantinopla nos diz:
“Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigênito de Deus,
nascido do Pai antes de todos os séculos:
Deus de Deus, luz da luz,
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro;
gerado, não criado, consubstancial ao Pai.
Por Ele todas as coisas foram feitas.
E por nós, homens, e para nossa salvação
desceu dos Céus.”

2) O Concílio da Calcedônia (ano 451) nos ensina a confessar: “um só e mesmo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, perfeito em sua divindade e perfeito em sua humanidade; verdadeiro Deus e verdadeiro homem, composto de alma racional e de corpo, consubstancial ao Pai, segundo a divindade, consubstancial a nós segundo a humanidade, ‘semelhante a nós em tudo, com exceção do pecado’ (Hb 4, 15); gerado pelo Pai antes de todos os séculos segundo a divindade e, nestes últimos dias, para nós e para a nossa salvação, nascido da Virgem Maria, Mãe de Deus, segundo a humanidade”.

Conforme os ensinamentos do Credo de Nicéia-Constantinopla e do Concílio da Calcedônia, está claro que somente a natureza divina de Jesus, ou a Pessoa do Filho, é eterna, é divina, é gerada, é não-criada, é consubstancial ao Pai. Em Jesus de Nazaré (chamado Jesus Cristo após a ressurreição), a natureza divina (eterna, não-criada) e a natureza humana (criada, não-eterna) estão unidas, sem misturação e sem confusão, na única, eterna e divina Pessoa do Filho.

Não podemos confundir a natureza divina de Jesus com a Sua alma. A natureza divina é por conta da divindade de Jesus Cristo. E a natureza humana por sua humanidade; e humanidade não é só corpo, mas corpo e alma. Corpo e alma foram criados (pois a natureza humana foi criada), a divindade não (pois Deus é incriado).
Esperamos que a resposta tenha sido útil.

Que Deus o abençoe e que o senhor continue a ser leitor assíduo de nosso site.

Atenciosamente,
Renato Colonna Rosman


Livros recomendados

Os Paradoxos do cristianismoO Sinal do ExorcistaMissal Romano Quotidiano – 1963 (Latim – Português)





Veja também  VIII. NA SANTA MISSA, JESUS CRISTO RENOVA SUA PAIXÃO

About the author

Veritatis Splendor