– Segundo as seitas e os protestantes evangélicos, a Igreja é invisível; no entanto… não existe nenhum texto na Bíblia que afirme que a Igreja deveria ser [só] invisível!

Ao não poderem demonstrar ser a verdadeira Igreja de Jesus Cristo com documentos históricos, os “cristãos evangélicos” e grupos sectários afirmam que a Igreja é invisível e os seus membros, disseminados pelas milhares e milhares de denominações sectárias são apenas conhecidos por Deus.

É bem conhecido o costume destes grupos de inventar doutrinas que não são bíblicas, mas meros mandamentos humanos; e de inventar sua própria “história”, que não encontra fundamento em enciclopédias ou historiadores sérios; e de fabricar suas próprias “Bíblias” acomodadas às suas falsas doutrinas. Porém, o que a Bíblia afirma? A Igreja é visível ou invisível?

A IGREJA É SIMULTANEAMENTE VISÍVEL E INVISÍVEL

Nós, os cristãos, somos a Igreja e ainda que muitos já tenham falecido, nem por isso deixam de fazer parte da Igreja: é o que se conhece como a “Igreja triunfante”, os Santos que estão no céu; e os membros da “Igreja militante”, que somos nós que ainda estamos nesta terra e formamos uma só Igreja, que o Apóstolo São Paulo chama de “Família”:

  • “Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus” (Efésios 2,19).
  • “Por causa disto me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome” (Efésios 3,14-15).

É por causa desta dualidade que a Igreja é visível e invisível ao mesmo tempo.

Uma outra analogia empregada pela Bíblia é comparar a Igreja com o Corpo de Cristo:

  • “E sujeitou todas as coisas a seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da Igreja, que é o seu Corpo, a plenitude Daquele que cumpre tudo em todos” (Efésios 1,22-23).

Enquanto Cristo é verdadeiramente Deus e homem, a Igreja é visível em seu corpo e invisível como Deus.

CONTUDO, PRINCIPALMENTE, A IGREJA É O CORPO DE CRISTO VISÍVEL NA TERRA

  •  “Cristo, mediador único, estabelece e continuamente sustenta sobre a terra, como um todo visível, a Sua santa Igreja, comunidade de fé, esperança e amor, por meio da qual difunde em todos a verdade e a graça. Porém, a sociedade organizada hierarquicamente, e o Corpo místico de Cristo, o agrupamento visível e a comunidade espiritual, a Igreja terrestre e a Igreja ornada com os dons celestes não se devem considerar como duas entidades, mas como uma única realidade complexa, formada pelo duplo elemento humano e divino. Apresenta por esta razão uma grande analogia com o mistério do Verbo encarnado. Pois, assim como a natureza assumida serve ao Verbo divino de instrumento vivo de salvação, a Ele indissoluvelmente unido, de modo semelhante a estrutura social da Igreja serve ao Espírito de Cristo, que a vivifica, para o crescimento do corpo (cf. Efésios 4,16)” (Constituição Dogmática Lumen Gentium 8, Concílio Vaticano II).

A VISIBILIDADE DO CORPO DE CRISTO

  • “E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. E ele lhes disse: ‘Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho'” (Lucas 24,37-39).

A UNIDADE VISÍVEL DA IGREJA

Jesus Cristo manifestou que a unidade entre os cristãos seria a principal condição para que o mundo cresse Nele. E como o mundo crerá em Cristo se não se pode enxergar unidade entre os membros da Igreja dele, se a Igreja é invisível segundo os grupos sectários?

  • “E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela tua palavra hão de crer em mim, para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste” (João 17,20-21).

Pela lógica elementar, a unidade da Igreja deve ser visível e, assim, o mundo que não crê poderá constatar e crer que Jesus Cristo foi enviado por Deus, situação que nem de brincadeira ocorre entre as mais de 70.000 denominações “cristãs evangélicas” e seitas, com suas milhares de diferenças doutrinárias entre elas.

A LUZ DO MUNDO

Jesus Cristo também disse que a sua Igreja não poderia se ocultar, mas que seria vista por todos:

  • “Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa” (Mateus 5,14-15).

Mais claro do que isso, impossível! Mas por conhecermos a ignorância das seitas fundamentalistas, vamos nos aprofundar mais em nosso estudo bíblico, para matizar e deixar claro:

  1. Que a Igreja é a luz do mundo [como já visto acima];
  2. Que a Igreja é a Casa de Deus, edificada num monte, segundo a Bíblia;
  3. E que, portanto, a Igreja é visível!

A IGREJA: CIDADE SOBRE O MONTE

Jesus Cristo se refere à Igreja como a “cidade construída sobre um monte”, que não pode ficar escondida, isto é, que não pode ser invisível. O que significa na Bíblia a cidade sobre um monte?

O Profeta Daniel anuncia a chegada do Reino de Deus, um Reino que acabará com todos os reinos e que jamais será destruído. Esse Reino é descrito como um grande monte que cobrirá toda a terra:

  • “…mas a pedra, que feriu a estátua, se tornou grande monte, e encheu toda a terra. Este é o sonho; também a sua interpretação diremos na presença do rei” (Daniel 2,35-36).

A interpretação que Daniel dá sobre o significado do monte sonhado pelo rei Nabucodonosor é:

  • “Mas, nos dias desses reis, o Deus do céu levantará um reino que não será jamais destruído; e este reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá todos esses reinos, mas ele mesmo subsistirá para sempre, da maneira que viste que do monte foi cortado uma pedra, sem auxílio de mãos humanas…” (Daniel 2,44-45).

O monte – afirma Daniel – é o Reino de Deus que encherá toda a terra e jamais será destruído:

  • “…e as portas do Hades não prevalecerão contra ela” (Mateus 16,18).
  • “Eis que estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo” (Mateus 28,20).

Os Profetas Isaías e Miqueias também anunciaram a chegada deste Reino, simbolizado pelo monte e o chamaram de “a Casa de Yahvé”:

  • “E acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa do Senhor no cume dos montes, e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações” (Isaías 2,2).
  • “Mas nos últimos dias acontecerá que o monte da casa do SENHOR será estabelecida no cume dos montes, e se elevará sobre os outeiros, e a ele afluirão os povos. E irão muitas nações, e dirão: ‘Vinde, e subamos ao monte do Senhor, e à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos pelas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do Senhor'” (Miqueias 4,1-2).

Os três Profetas descrevem o Reino de Deus como a Casa assentada num monte, que encherá toda a terra e a ela confluirão todas as nações: um Reino que jamais será destruído, “universal”. Uma palavra que significa “universal” é “católica”, cuja sede, diga-se se passagem, encontra-se sobre a “colina vaticana” ou “monte Vaticano”. Além disso, a única Igreja que se encontra presente em todo o mundo, em todas as nações, é a Igreja Católica e não as seitas “made in USA”. Os Profetas a chamaram de “a Casa de Yahvé”; é o próprio Apóstolo São Paulo quem nos confirma que a “Casa de Deus” é a Igreja:

  • “Mas, se tardar, para que saibas como convém andar na Casa de Deus, que é a Igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade” (1Timóteo 3,15).

A IGREJA NÃO É APENAS INVISÍVEL, COMO GARANTEM OS PROTESTANTES

A Igreja visível; a luz do mundo; a cidade construída sobre um monte, que não pode ser ocultada; o Reino universal que jamais será destruído; a Casa de Deus, é a Igreja que é Una, Santa, Católica e Apostólica!

Facebook Comments

Livros recomendados

Édipo MiméticoReligião: Ópio do Povo?O Canto do Violino – E Outros Ensaios Inéditos