Opiniões que afrontam o autêntico Magistério da Igreja e do Papa não deveriam ser toleradas pelos católicos.

Negações do Concílio Vaticano II estão nesta categoria? Se eu o dissesse não teria importância alguma, mas quem o diz é o próprio Papa:

“[Deve ser afirmado que] o Vaticano II é sustentado pela mesma autoridade que sustenta o Vaticano I e o Concílio de Trento, a saber, o Papa e o Colégio dos Bispos em comunhão com ele…Também com respeito ao seu conteúdo, o Vaticano II está na mais estreita continuidade com ambos os concílios anteriores e incorpora os seus textos (de Trento e do Vaticano I)

palavra por palavra nos pontos decisivos.

É impossível para um Católico tomar posição pró ou contra Trento ou o Vaticano I (como se fossem coisas discutíveis). Quem aceita o Vaticano II, como ele claramente se expressou e se entendeu a si mesmo, ao mesmo tempo aceita a inteira tradição da Igreja Católica, particularmente, os dois concílios anteriores…Da mesma forma é impossível decidir a favor de Trento e do Vaticano I mas contra o Vaticano II. Quem quer que negue o Vaticano II nega a autoridade que sustenta os outros concílios e os separa dos seus fundamentos. Isto se aplica ao assim chamado ‘tradicionalismo’… Uma escolha partidária destrói o todo, a própria história da Igreja, que só pode existir como uma unidade indivisível” (The Ratzinger Report: An Exclusive Interview on the State of the Church by Joseph Cardinal Ratzinger; Ignatius Press, San Francisco, 1985, pgs.28-9) Os parênteses são meus.

Não vou perder tempo discutindo interpretações de frases pinçadas que roçam a insanidade. Existe algo mais tradicional (e menos tradicionalista) que ubi Petrus, ibi Ecclesia?

É curioso como os tradicionalistas mais claramente mostram a inconsistência de suas posições ao discutirem entre si. Quando o Papa modificar o Concílio tornando-o aceitável para os “trads” (isso nunca vai acontecer, aposto) quem vai nos garantir, ou melhor quem lhes garantirá, que os novos textos estão inteiramente de acordo com a “Tradição”? O Papa? Certamente não, pois o Papa já diz que o Vaticano II é tradicional e eles não aceitam. Um novo Concílio? Mas se não aceitam o atual porque aceitariam o novo. O “guru” de algum dos

inúmeros movimentos tradicionalistas? Mas qual deles se um não concorda com o outro?

Começo nessa questão a concordar com o Pe. Bouyer: os tradicionalistas fazem tanto mal à Igreja quanto os progressistas.

Facebook Comments

Livros recomendados

A Mentalidade Anticapitalista – 2ª EdiçãoA Hora das HidroviasFilhos e Pais – Sabedoria e orientação para os pais