Sacramentos

A Presença Real de Cristo na Eucaristia

A ACUSAÇÃO COMUM:

“A Eucaristia é mero símbolo. Logo é impossível Cristo estar realmente presente nas espécies eucarísticas”.

A VERDADE, CÁ:

“O modo de presença de Cristo sob as espécies eucarísticas é único. Ele eleva a Eucaristia acima de todos os sacramentos e faz com que ela seja ‘como que o coroamento da vida espiritual e o fim ao qual tendem todos os sacramentos’. No santíssimo sacramento da Eucaristia estão ‘contidos verdadeiramente, realmente e substancialmente o Corpo e o Sangue juntamente com a alma e a divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo e, por conseguinte, o Cristo todo’. ‘Esta presença chama-se ‘real’ não por exclusão, como se as outras não fossem ‘reais’, mas por antonomásia, porque é substancial e porque por ela Cristo, Deus e homem, se torna presente completo'” (Catecismo da Igreja Católica, §1374).

AS SEMENTES DA VERDADE, LÁ:

“Na Ortodoxia as pessoas recebem sempre a eucaristia nas duas espécies, ou seja, sempre o corpo e o sangue de Cristo. Acredita-se plenamente na presença real de Cristo na eucaristia e o pão se torna realmente (e não simbolicamente) o corpo de Cristo e o vinho realmente o sangue de Cristo” (WARE, Timothy [Ortodoxo]. “Os Sacramentos na Ortodoxia”. Site “Ortodoxia 2000”, acessado em 06.01.2009).

“A Divina Liturgia divide-se em: Sacrifício: no sentido de que realiza de modo incruento o mesmo sacrifício da Cruz; Sacramento: no sentido de que, manifesta-nos como sinal vivo a presença real do Senhor Jesus, através das espécies do pão e do vinho” (Pe. André [Ortodoxo]. “A Oração Oficial da Igreja Ortodoxa”. Site “Ecclesia”, acessado em 06.01.2009).

“Confesso que o dr. Karlstadt ou qualquer outro me teria prestado um grande serviço, se, há cinco anos, tivesse provado que no Sacramento só havia pão e vinho. Naquela ocasião tive grandes vexames e lutei e torci por encontrar uma saída, pois vi que com isso podia dar o maior golpe contra o Papado. Também havia dois que eram mais hábeis que o dr. Karlstadt e que não martirizavam tanto as palavras segundo seu próprio parecer. Mas estou preso, não encontro saída. O texto é tão majestoso que com palavras não se deixa tirar da mente” (Martinho Lutero [Reformador Protestante]; De Wette, II-576ss).

Veja também  Quem é o ministro da celebração da Eucaristia?

“Eu quereria que alguém fosse assaz hábil para persuadir-me de que na Eucaristia não se contém senão pão e vinho: esse me prestaria um grande serviço. Eu tenho trabalhado nessa questão a suar; porém confesso que estou encadeado, e não vejo nenhum meio de sair daí. O texto do Evangelho é claro demais” (Martinho Lutero [Reformador Protestante]; De euch. dist. I).

“As palavras e gestos de Cristo na instituição da eucaristia estão no coração da celebração: a refeição é o sacramento do corpo e do sangue de Cristo, o sacramento da sua presença real. Cristo cumpre de modos múltiplos a sua promessa de estar com os seus para sempre até ao fim do mundo. Mas o modo da presença de Cristo na eucaristia é único. Jesus disse sobre o pão e o vinho da eucaristia: “Isto é o meu corpo… Isto é o meu sangue…” O que Cristo disse é a verdade e cumpre-se todas as vezes que a eucaristia é celebrada. A Igreja confessa a presença real, viva e ativa de Cristo na eucaristia. Ainda que a presença real de Cristo na eucaristia não dependa da fé dos indivíduos, todos estão de acordo para dizer que o discernimento do corpo e do sangue de Cristo exige a fé” (CONSELHO MUNDIAL DAS IGREJAS, “Texto de Lima: Convergência da Fé”, 1982).

“A vida de adoração da Igreja é centrada na Santa Eucaristia, na Santa Comunhão do Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. O Livro de Oração Comum afirma que a Santa Eucaristia é o ato central de adoração do povo de Deus. Ao participarmos da mesa eucarística, experimentamos a graça da comunhão maravilhosa com Deus, nutrindo-nos, por sua presença real, nos dons do pão e vinho. Nós não explicamos onde está e quanto de Deus há no pão e no vinho. Apenas afirmamos que sacramentalmente nos alimentamos do próprio Deus que se oferece a nós por seu infinito e misericordioso amor. Pão e Vinho são os sinais externos visíveis da graça interna espiritual da presença de Cristo em nós, quando Dele nos nutrimos” (Site da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, acessado em 06.01.2009).

Veja também  Qual a origem da festa de “Corpus Christi”?

“O centro do culto cristão ortodoxo é a Eucaristia, nela a presença real de Cristo em nossas vidas se concretiza. A mesa do Senhor é composta do pão e do vinho, que continuam sendo pão e vinho, mas recebem a Presença Real de Cristo. Assim apresentar-se a Eucaristia é comparecer na presença real de Cristo, o que deve ser feito em confissão, aquebrantamento e certeza de que Cristo roga por nós” (Site da Igreja Episcopal Carismática do Brasil, acessado em 06.01.2009).

PARA SABER MAIS:


Livros recomendados

Caminhar com JesusA caminho de BelémAdeus, Homens de Deus – Como Corromperam a Igreja Católica nos EUA





About the author

Veritatis Splendor