Os judeus consultavam as Escrituras diariamente porque acreditavam que nelas encontrariam a salvação e reconheceriam o Messias quando Este chegasse. Porém, o Messias chegou e eles não O reconheceram…

  • João 5,39-40: “Examinais as Escrituras porque vós cuidais ter nelas a vida eterna; e são elas que de mim testificam. E não quereis vir a mim para terdes vida”.

Atualmente, há também grupos cristãos que professam a doutrina do “somente a Bíblia” (“sola Scriptura”) porque creem que encontrarão a salvação por ela e, ao lê-la, encontrarão o Salvador do mundo: Jesus Cristo, nosso Senhor.

O problema é que esses outros irmãos cristãos encontram-se separados da única Igreja verdadeira fundada por Jesus Cristo, coluna e fundamento da verdade:

  • Mateus 16,18: “Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja; e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.
  • 1Timóteo 3,15: “Mas, se tardar, para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a Igreja do Deus vivo, a coluna e fundamento da verdade”.

A única [Igreja] com autoridade e poder concedidos por Cristo:

  • Mateus 18,18: “Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu”.
  • Lucas 10,16: “Quem vos ouve, ouve a Mim; e quem vos rejeita, rejeita a Mim; e quem Me rejeita, rejeita Aquele que Me enviou”.

Rejeitando a Igreja e rejeitando a Bíblia definida por essa mesma Igreja – a qual investida com o poder, a autoridade e a verdade de Deus, decretou, reunida em Concílio, quantos e quais livros eram inspirados e, portanto, deveriam constar nela – esses grupos preferiram empregar uma “Bíblia pirata”, mutilada, deturpada, modificada e, em muitos casos, falsificada, faltando-lhe sete livros [e algumas passagens].

E é precisamente em um desses livros rejeitados por nossos irmãos protestantes – a que erroneamente chamam de “apócrifos” – que se encontra uma das profecias mais exatas e maravilhosas sobre Nosso Senhor Jesus Cristo, desconhecida e ignorada por eles justamente por não constar em suas Bíblias. Eis o texto:

  • Sabedoria 2,12-20: “Cerquemos o justo, porque ele nos incomoda; é contrário às nossas ações; ele nos censura por violar a lei e nos acusa de contrariar a nossa educação. Ele se gaba de conhecer a Deus, e se chama a si mesmo filho do Senhor! Sua existência é uma censura às nossas ideias; basta sua vista para nos importunar. Sua vida, com efeito, não se parece com as outras, e os seus caminhos são muito diferentes. Ele nos tem por uma moeda de mau quilate, e afasta-se de nossos caminhos como de manchas. Julga feliz a morte do justo, e gloria-se de ter Deus por pai. Vejamos, pois, se suas palavras são verdadeiras, e experimentemos o que acontecerá quando da sua morte, porque, se o justo é filho de Deus, Deus o defenderá, e o tirará das mãos dos seus adversários. Provemo-lo por ultrajes e torturas, a fim de conhecer a sua doçura e estarmos cientes de sua paciência. Condenemo-lo a uma morte infame. Porque, conforme ele, Deus deve intervir”.

É inegável que a referida profecia só pode estar se referindo a uma única pessoa: Jesus Cristo. E embora existam falsos profetas e, portanto, falsas profecias, há uma maneira de se saber se um profeta e uma profecia procedem de Deus. Foi o próprio Deus quem nos deu a chave para que o soubéssemos:

  • Deuteronômio 18,20-22: “Porém o profeta que tiver a presunção de falar alguma palavra em meu Nome, que Eu não lhe tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá. E, se disseres no teu coração: ‘Como conhecerei a palavra que o Senhor não falou?’ Quando o profeta falar em Nome do Senhor e essa palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é palavra que o Senhor não falou; com soberba falou aquele profeta. Não o temas”.

O cumprimento da profecia é o sinal claro de que um certo profeta e uma certa profecia procedem de Deus:

  • 2Pedro 1,21: “Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo”.

Mas seria a profecia de Sabedoria 2,12-20 uma verdadeira profecia? Todos enxergamos o seu cumprimento na pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo. Porém, para que não haja dúvidas, detalharemos a profecia para vermos se ela foi ou não cumprida. Consideremos os textos destacados:

[a) 1ª Parte]

A profecia:

  • Sabedoria 2,12-13: “Cerquemos o justo, porque ele nos incomoda; é contrário às nossas ações; ele nos censura por violar a lei e nos acusa de contrariar a nossa educação. Ele se gaba de conhecer a Deus, e se chama a si mesmo filho do Senhor!”

Seu cumprimento:

  • Mateus 22,15-21: “Então, retirando-se os fariseus, consultaram entre si como o surpreenderiam nalguma palavra. E enviaram-lhe os seus discípulos, com os herodianos, dizendo: ‘Mestre, bem sabemos que és verdadeiro e ensinas o caminho de Deus segundo a verdade; e de ninguém se te dá, porque não olhas a aparência dos homens. Dize-nos, pois, que te parece: é lícito ou não pagar o tributo a César?’ Jesus, porém, conhecendo a sua malícia, disse: ‘Por que me experimentais, hipócritas? Mostrai-me a moeda do tributo’. E eles lhe apresentaram um dinheiro. E Ele diz-lhes: ‘De quem é esta efígie e esta inscrição?’
    Dizem-lhe eles: ‘De César’. Então Ele lhes disse: ‘Dai pois a César o que é de César e a Deus o que é de Deus'”.

[b) 2ª Parte]

A profecia:

  • Sabedoria 2,14-16: “Sua existência é uma censura às nossas ideias; basta sua vista para nos importunar. Sua vida, com efeito, não se parece com as outras, e os seus caminhos são muito diferentes. Ele nos tem por uma moeda de mau quilate, e afasta-se de nossos caminhos como de manchas. Julga feliz a morte do justo, e gloria-se de ter Deus por pai”.

Seu cumprimento:

  • João 8,41-42: “‘Vós fazeis as obras de vosso pai’. Disseram-lhe, pois: ‘Nós não somos nascidos de fornicação; temos um Pai, que é Deus’. Disse-lhes, pois, Jesus: ‘Se Deus fosse o vosso Pai, certamente me amaríeis, pois que Eu saí e vim de Deus; não vim de Mim mesmo, mas Ele Me enviou'”.
  • João 5,18: “Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus”.

[c) 3ª Parte]

A profecia:

  • Sabedoria 2,17-20: “Vejamos, pois, se suas palavras são verdadeiras, e experimentemos o que acontecerá quando da sua morte, porque, se o justo é filho de Deus, Deus o defenderá, e o tirará das mãos dos seus adversários. Provemo-lo por ultrajes e torturas, a fim de conhecer a sua doçura e estarmos cientes de sua paciência. Condenemo-lo a uma morte infame. Porque, conforme ele, Deus deve intervir”.

Seu cumprimento:

  • Mateus 27,40-43: “‘E dizendo: Tu, que destróis o templo, e em três dias o reedificas, salva-te a ti mesmo. Se és Filho de Deus, desce da cruz’. E da mesma maneira também os príncipes dos sacerdotes, com os escribas, e anciãos, e fariseus, escarnecendo, diziam: ‘Salvou os outros, e a si mesmo não pode salvar-se. Se é o Rei de Israel, desça agora da cruz, e creremos nele. Confiou em Deus; livre-o agora, se o ama; porque disse: «Sou o Filho de Deus»'”.

Conseguiríamos citar aqui um grande número de textos bíblicos ilustrando o cumprimento dessa profecia, mas este artigo ficaria enorme; por isso, nos contentamos em citar apenas uma passagem para cada caso.

Seria necessário ser muito tolo ou cego para não querer aceitar esta profecia clara sobre Jesus Cristo. Os protestantes não a conhecem porque possuem uma Bíblia incompleta. Essa profecia é inspirada por Deus e, portanto, assim também o livro da Sabedoria.

É isso o que acontece quando a salvação é procurada apenas nas Escrituras separadamente da verdadeira Igreja de Jesus Cristo!

Da mesma forma, os judeus não sabem reconhecer Jesus Cristo porque o Jesus que eles conhecem está incompleto.

Facebook Comments

Livros recomendados

A Paz na FamíliaDo outro lado do rio, entre as árvoresO capital: Livro 1 – O processo de produção do capital (Vol. 2)