“O espiritismo é fraude do princípio ao fim. É a maior impostura do século.” (Katy Fox, uma das fundadoras do Espiritismo, in “The New York Herald”, 10/10/1888).

Mais do que um desmentido, o reconhecimento acima tornou-se uma verdadeira profecia. A “terceira revelação” do Espiritismo toma por base justamente mais uma fraude. Vejamos:

Allan Kardec no seu livro “A Gênese”, anuncia a seguinte “passagem bíblica”:

“Entretanto o Cristo acrescenta: “Muitas das coisas que vos digo agora ainda não a compreendeis e muitas outras teria a dizer, que não compreenderíeis, por isto é que vos falo por parábolas; mais tarde, porém, enviei-vos o Espírito de Verdade, que restabelecerá todas as coisas e vos explicará todas as coisas”.

Dando asas ao seu plano, Kardec continua: “só pode ser restaurado o que foi perdido.” Eis a tentativa de se passar pelo “terceiro detentor da revelação e homem que resgataria o Cristianismo”. A mesma conversa que muitos já usaram antes.

Mas voltemos a dita “passagem bíblica”. Ela simplesmente não existe. Isto mesmo ! É uma montagem de Kardec:

O texto-base, que por sinal se refere ao Espírito Santo, pode ser encontrado em S. João (Cap. 14 e 16):

“Eu pedirei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito , que estará convosco para sempre. Ele é o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber porque não o vê nem o conhece. Vós o conheceis porque permanece convosco e está em vós. Não vos deixarei órfãos.”

“Muitas coisas ainda tenho para dizer-vos, mas não as podeis compreender agora. Quando vier o Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade, porque não falará de si mesmo, mas do que ouvir, e vos anunciará as coisas futuras.”

Nisto, Allan Kardec insere um pedaço da parábola do semeador: “por isto é que vos falo por parábolas” (cf. Mt 13 ; Lc 8)

E o mais grave é a inserção no final: “que restabelecerá todas as coisas”. Este trecho se encontra em Mt 17, 11: “Ele respondeu: ‘Elias de fato deve voltar e restabelecer tudo’.”

Ou seja: uma montagem de trechos de São Mateus com São João.

Ora, o texto-base fala do Espírito Santo, e não de Elias. Por que esta gritante troca de sujeitos ? O que pretendia Kardec, afinal ?

Fazer-se passar pelo Espírito Santo ? Por Elias ? Ser o detentor da “terceira revelação” ?

Ou seria usurpar a função dos apóstolos, já que a estes foi prometido o Paráclito ?

Julgue você mesmo.

No entanto, encontramos o próprio Allan Kardec, falando que o “ensino (de Jesus) era incompleto” e que “só se restabelece aquilo que foi desfeito”.

Mais adiante, Allan Kardec continua com suas pretensões: “O espiritismo realiza todas as promessas do Cristo a respeito do Consolador anunciado”.

Em resumo: a dita revelação espírita se baseia em uma fraude, uma montagem bíblica, onde acontece até troca de sujeitos (Espírito Santo/Elias ; Apóstolos/Kardec).

A fraude é grave por si só, e condenada em qualquer tipo de documento.

Seria interessante que alguém tentasse fazer este tipo de fraude em um contrato qualquer, por exemplo, e depois levasse a juízo. Responderia por falsidade ideológica ! Ora, A fraude é grave por si só, e condenada em qualquer tipo de documento. No presente caso, a fraude fica ainda mais pesada, pois atenta contra a Bíblia, Palavra de Deus, e componente na fé de bilhões de pessoas.

A Bíblia possui milhares de versículos (e palavras!), e nada mais fácil do que pegar palavras de um e outro versículo e sair montando ao bel-prazer, até chegar no resultado desejado.

É preciso ter cuidado com estes procedimentos ardilosos !

“Quem tiver ouvidos, que ouça.” (Mt 11,15)

Facebook Comments

Livros recomendados

Politização da Bíblia – As raízes do Método Histórico-Crítico e a secularização da Escritura (1300-1700)A quedaDo outro lado do rio, entre as árvores