Espiritualidade

A verdadeira paz

Glória a Deus nas alturas e paz na Terra aos homens de boa vontade (Lc 2,14).

Eu quero desejar que a graça e paz de Deus, nosso Pai estejam com você neste ano novo. (cf. Cl 1, 2)

Ter paz para ser feliz é um desejo universal plantado por Deus no coração do homem. Quem não deseja viver em paz?

Jesus, o Príncipe da Paz, nasceu na manjedoura para nos trazer a verdadeira paz. Não a paz que o mundo nos oferece, de uma estabilidade financeira, de poder… Esta paz é tão passageira quanto são perecíveis os bens.

Com a encarnação Jesus nos trouxe a Salvação, ou seja, nós fomos reconciliados com Deus. A primeira e grande paz de que o homem necessita é justamente esta: boas relações com Deus, relações filiais de amor, de amizade. Da paz com Deus, do fato de se sentirem todos filhos seus, objetos de seu amor, vem a paz entre os homens. E não a paz supersticiosa desejada por quem veste branco na passagem de ano, o que chega a ofender a Deus. Diz Frei Gabriel de Sta M. Madalena, OCD.

Como estão suas relações com Deus? Você tem rezado? Tem procurado fazer a vontade de Deus em sua vida?
Como está seu relacionamento com os seus familiares e com todas as pessoas que te cercam?

Sem amar a Jesus, fica muito difícil ter e ser instrumento de paz para os irmãos. Por isso, um grande homem de Deus disse:

A paz entre os homens nasce da glória que estes dão a Deus; a glória de Deus é a única verdadeira paz dos homens. Pondo-nos de joelhos ante o Deus feito homem entre os homens, praticamos o ato mais direto, construtivo e criativo da fraternidade humana (Suenens).

Quando damos glória a Deus reconhecemos que Ele é a nossa paz e nos colocamos em atitude de escuta para sabermos construir a paz neste mundo. Se paz ainda não foi estabelecida plenamente aqui é porque não temos dado ouvidos a vontade de Deus para nós. Ouça o que te diz o Senhor:

Ah! Se tivesses atentado as minhas ordens, tua paz seria como um rio, e tua justiça como as ondas do mar, tua descendência seria como areia, jamais o seu nome seria, de diante de mim, nem cortado, nem extirpado (Is 48, 18-19).

A paz é conseqüência dos nossos atos. A paz no mundo depende da paz que há no coração de cada pessoa individualmente.

Santa Teresa D?Ávila dizia: A paz santa consiste em conformar-nos em tudo com a vontade de Deus, de maneira que, entre Deus e a alma, não haja divisão e só reine entre eles uma única vontade, não em palavras e desejos, mas em obras.

Isto é ser homem e mulher de boa vontade. Se você quer viver feliz e em paz neste próximo ano, determine-se em fazer a vontade de Deus. Não imponha seus planos para Senhor, mas deixe que os planos de Deus a seu respeito se cumpram com e assim você será muito feliz.

Rezemos com as palavras de Santa Catarina de Sena:

?Ó Eterna Divindade! Confesso e não nego que sois um mar pacífico, onde se delicia e se alimenta a alma que descansa em vós afetuosamente, por amor e em união de amor, conformando minha vontade com vossa altíssima e eterna vontade, que só deseja a nossa santificação. Por isso a alma que nesta verdade medita despoja-se de sua vontade e se reveste da vossa?.
Feliz Ano Novo!

Facebook Comments

Livros recomendados

O Homem EternoMãe de Deus e Mãe Nossa – Iniciação à MariologiaCatena Aurea – Vol. 2 – Evangelho de São Marcos

About the author

Veritatis Splendor

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.