Espaço do Leitor

As mensagens de Vassula Ryden são recomendáveis?

A paz de Cristo,
Gostaria de um maior esclarecimento a respeito das supostas aparições de Jesus à grega Vassula Ryden. Existem muitas contradições sobre a autenticidade das mensagens. No site dedicado a estas aparições, constam pronunciamentos do Papa (na época, ainda cardeal) não condenando as mensagens, mas pedindo prudência em relação à crença nelas. Consta também uma foto e um relato de um encontro com o Papa João Paulo II, no qual ele abençoa Vassula e o livro que contém as mensagens (A verdadeira vida em Deus).
Li algumas mensagens e realmente são muito bonitas, parecendo estar de acordo com nossa fé cristã e católica. Porém, para não faltar com prudência, como nos recomendou o papa, gostaria de saber quais são os mais recentes pareceres da Igreja a respeito destas supostas aparições.
Desde já, muito obrigada. (J.)

Caríssima J.

A graça e a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja sempre conosco!

Agradecemos sua confiança em nosso apostolado ao nos procurar a fim de dirimir sua dúvida. Lembre-se de nós em suas orações.

A priore, é importante que você saiba, que essas “supostas aparições de Jesus” à Srª. Vassula Ryden, são conhecidas na doutrina da Igreja por revelações privadas, não pertencendo ao depósito da fé, portanto, nenhum católico é obrigado a acreditar nas mesmas (mesmo se reconhecidas como autênticas pela Igreja). Com efeito ensina o Catecismo da Igreja:

“No decurso dos séculos houve revelações denominadas “privadas”, e algumas delas têm sido reconhecidas pela autoridade da Igreja. Elas não pertencem, contudo, ao depósito da fé. A função delas não é “melhorar” ou “completar” a Revelação definitiva de Cristo, mas ajudar a viver dela com mais plenitude em determinada época da história. Guiado pelo Magistério da Igreja, o senso dos fiéis sabe discernir e acolher o que nessas revelações constitui um apelo autêntico de Cristo ou de seus santos à Igreja. A fé cristã não pode aceitar “revelações” que pretendam ultrapassar ou corrigir a Revelação da qual Cristo é a perfeição. Este é o caso de certas religiões não-cristãs e também de certas seitas recentes que se fundamentam em tais “revelações”.(CIC §67) [destaques nossos]

Sobre os mais recentes pareceres da Igreja acerca das revelações privadas da Srª Vassula Ryden, posso afirmar-lhe que são negativos. A Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, declarou aos 06/10/1995 sobre os escritos de Vassula que:

“Um exame atento e sereno da inteira questão, realizado por esta Congregação a fim de “pôr à prova as inspirações para verificar se provêm verdadeiramente de Deus” (cf. 1Jo 4,1), fez notar “ao lado de aspectos positivos” um conjunto de elementos fundamentais, que devem ser considerados negativos à luz da doutrina católica. Além de evidenciar o caráter suspeito das modalidades com que acontecem essas presumíveis revelações, é imperioso ressaltar alguns erros doutrinais nelas contidos. Entre outras coisas, com uma linguagem ambígua, fala-se das Pessoas da Santíssima Trindade até confundir os específicos nomes e funções das Pessoas Divinas. Preanuncia-se nessas presumíveis revelações um iminente período de predomínio do Anticristo no seio da Igreja. Profetiza-se em chave milenarista uma intervenção resolutiva e gloriosa de Deus, que estaria para instaurar sobre a terra, antes ainda da vinda definitiva de Cristo, uma era de paz e de bem-estar universal. Anuncia-se, além disso, o futuro próximo de uma Igreja que seria uma espécie de comunidade pancristã, em contraste com a doutrina católica. O fato de nos escritos posteriores da senhora Ryden os mencionados erros já não aparecerem, é sinal de que as presumíveis “mensagens celestes” são apenas fruto de meditações privadas (…) Considerando que, não obstante alguns aspectos positivos, o efeito das atividades exercidas por Vassula Ryden é negativo, esta Congregação solicita a intervenção dos Bispos, a fim de que informem adequadamente os seus fiéis, e não seja concedido nenhum espaço no âmbito das próprias dioceses à difusão das suas idéias. Convida, por fim, todos os fiéis a não considerarem como sobrenaturais os escritos e as intervenções da senhora Vassula Ryden, e a conservarem a pureza da fé que o Senhor confiou à Igreja.” (Congregação para Doutrina da Fé, Cidade do Vaticano, 06 de outubro de 1995) [destaques nossos]

Aos 29/11/1996 a Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé fez outra declaração acerca dos escritos da Srª Vassula, em virtude de dúvidas sobre a Notificação de outubro de 1995, onde destacamos:

“Chegaram à Congregação para a Doutrina da Fé diversas perguntas relativas ao valor e à autoridade da Notificação da mesma Congregação datada de 06 de outubro de 1995 e publicada no jornal L´Osservatore Romano de 23/24 de outubro de 1995 (…) A Notificação dirigida aos Pastores e aos fiéis da Igreja Católica mantém todo o seu vigor. Foi aprovada pelas autoridades competentes e será publicada no órgão oficial da Santa Sé, “Acta Apostolicae Sedis”, com a assinatura do Prefeito e do Secretário da Congregação. (…) a) (…) os fiéis não devem considerar as mensagens de Vassula Ryden como revelação divina, mas apenas como meditações pessoais dessa senhora; b. Em tais meditações, como já afirmava a Notificação, juntamente com aspectos positivos, existem elementos negativos do ponto de vista da doutrina católica; (Congregação para a Doutrina da Fé, Cidade do Vaticano, 29 de novembro de 1996.)

Depois dessas Notificações, a Srª Vassula se correspondeu com a Congregação para a Doutrina da Fé a fim de dirimir dúvida sobre seus escritos. Porém, aos 25 de janeiro de 2008, a Congregação emitiu um novo parecer negativo acerca das revelações privadas da Srª. Vassula.

Da carta assinada pelo Cardeal William Levada, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, transcrita na Revista Pergunte e Responderemos nº. 547, janeiro de 2008, p.30-31 destacamos os seguintes pontos:

“A CDF afirma que “a Notificação de 1995 continua a ser válida no que se refere ao julgamento doutrinal sobre os textos examinados”.

Em seguida, sustenta que Ryden, “depois do diálogo tido com a Congregação para a Doutrina da Fé, fez algumas elucidações sobre certos pontos problemáticos que aparecem nos seus textos e também sobre a natureza das suas mensagens, que se apresentam não como revelações divinas, mas antes como meditações pessoais”. (…) Finalmente recorda que “não parece oportuna a participação de católicos nos grupos de oração organizados pela própria senhora Ryden.” (PR nº 547,p.32) [destaques nossos]

Assim sendo, diante do exposto, não se recomenda aos fiéis católicos as “revelações ou meditações” da Srª. Vassula Ryden.

Esperando tê-la ajudado,

In caritate Christi,
Leandro.


Livros recomendados

Joana d’Arc – A Donzela de OrléansAs Forças Secretas da RevoluçãoO Glorioso São José






About the author

Veritatis Splendor