As Testemunhas de Jeová, na época de seus presidentes Russell e Rutherford, além de terem ensinado que Jesus havia morrido numa cruz (e não num poste, como ensinam hoje), também a VENERAVAM!

No livro do juiz Rutherford, “A Harpa de Deus”, ele diz que:

  • “O preço do resgate foi dado na cruz. A cruz de Cristo é a grande verdade central do arranjo divino e daí emanam esperanças para o homem” (p.142).

E ainda na mesma página, diz que todas as criaturas do céu e da terra podem cantar:

  • “De Jesus, a cruz permanece alta / Através dos tempos / majestosa e bela aparece / como uma promessa de bondade”.

Também no “Anuário 1975”, tratando da separação de Russell e seu parceiro Barbour, e descrevendo o início da sua nova revista “Wachtower de Zion and Herald of Presence of Christ”, Russell escreve:

  • “Então eu entendi que era da vontade do Senhor que eu iniciasse outra revista, na qual o estandarte da cruz estivesse erguido ao alto…” (p.38).

“Era da vontade do Senhor”, escreveu Russell. Ora, se era da vontade do Senhor que a revista “Torre da Vigia” erguesse ao alto o estandarte da cruz, por que agora protesta contra a cruz e o resgate? (Bem, segundo eles, o resgate foi projetado apenas para 144.000 eleitos!)

Como podemos ver, a “verdade revelada por Deus” às Testemunhas é mutável; mas uma verdade mutável simplesmente não é e não pode ser verdade, nem revelada por Deus!

Facebook Comments

Livros recomendados

Devocionário à Divina Misericórdia –  Vol. IIComentário à Metafísica de Aristóteles IX–XII — Volume 3Namoro