ATO PÚBLICO EM DEFESA DA VIDA

Movimento Nacional em Defesa da Vida

24 de março de 2007 – às 10h30 – Praça da Sé – São Paulo

Uma verdadeira indignação toma conta da opinião pública contra o Projeto de ei 1135/91, que juntamente com seu substitutivo legaliza o aborto até o 9º mês da gravidez.

Em Brasília, foi realizado pela Frente Parlamentar em Defesa da Vida, o 1º Simpósio Nacional Em Defesa da Vida na Câmara dos Deputados quando nasce o Movimento Nacional em Defesa da Vida, contra a legalização do aborto com comitês nos Estados da Federação, compromissados em defender a inviolabilidade do Direito à Vida.

O 1º Simpósio contou com palestras, dentre outros: Dr. Ives Gandra, jurista; Dra. Alice Teixeira, Médica e bióloga Pesquisadora da Unifesp; Cardeal Geraldo Majella Agnelo, presidente da CNBB; Dr. Zalmino Zimmermann, presidente da Associação Brasileira dos Magistrados Espíritas; Dra. Marlene Nobre, médica; Dr. Cláudio Fonteles, ex-Procurador Geral da República.

A vida humana é uma dádiva de Deus, direito natural anterior ao Estado, que o deve reconhecer como direito fundamental. Por isso, sua garantia é a consagração da própria democracia. Não se trata de direito constituído pelo Estado e, portanto, nenhum grupo social poderá decidir quando outros devem morrer. É ainda um direito inquestionável conforme preceitua o art. 5º da Constituição Federal e o art. 2º do Código Civil Brasileiro.

Por este motivo estamos convidando V. Sa. a aderir a este movimento suprapartidário e ecumênico que luta pelo direito à vida desde a concepção e a participar do ATO PÚBLICO EM DEFESA DA VIDA na Praça da Sé, dia 24 de março de 2007, às 10h30.

Este ATO PÚBLICO visa a sensibilizar o povo brasileiro, os governantes e o Congresso Nacional para uma rejeição efetiva do projeto de Lei 1135/91, que determina que a vida possa ser eliminada até o nono mês da gestação, procedimento este que poderá ser aplicado sem qualquer restrição.

Contaremos com a presença de expressivas lideranças religiosas e da sociedade civil, representantes do Poder Público, artistas, entre outros, somando esforços contra a imposição deste Projeto de Lei, além de promover uma reflexão sobre o papel do ser humano na sociedade.

Esperando contar com seu apoio a este ATO PÚBLICO.

Despedimo-nos

Dra. Marilia de Castro

Coordenadora do Comitê Estadual da Campanha Nacional em Defesa da Vida

Facebook Comments

Livros recomendados

Há um Outro MundoEnergia NuclearJogando Para Ganhar – teoria e prática da guerra política