“A Missa do Dia anuncia, no Prólogo de João (1,1-18), o Mistério da Encarnação segundo a tradição joanina: ‘No princípio era o Verbo; e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus… Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens, e a luz brilha nas trevas, mas as trevas não a apreenderam… A luz verdadeira, vindo ao mundo, ilumina todo homem… E o Verbo Se fez carne e habitou entre nós’.

Nesta Encarnação cumpriu-se em plenitude a palavra profética do mensageiro ‘que anuncia a paz, mensageiro da felicidade, que anuncia a salvação’ (da 1ª Leitura: Isaías 52,7-10). Foi no Cristo que o Pai expressou sua Revelação definitiva, depois de ter falado muitas vezes e de modos diversos pela voz dos Profetas.

O Filho, com efeito, ‘é o resplendor da Sua glória, a expressão do Seu ser; sustenta o universo com o poder de Sua palavra; e depois de ter realizado a purificação dos pecados, sentou-Se nas alturas à direita da Majestade (da 2ª Leitura: Hebreus 1,1-6)” (Adolf Adam. “O Ano Litúrgico”. Ed. Paulinas, 1ª ed., 1982, p.127).

Facebook Comments

Livros recomendados

A viagem de BediaiCurar-se Para Ser FelizReligião sob suspeita, A