Teólogos católicos e luteranos consideram urgente um debate sobre os conceitos de sacramento e sacramentalidade nas duas tradições religiosas, assim como sobre a sucessão apostólica e a função do ministério petrino. Além disso, sugerem que também seja debatida a pluralidade dos sujeitos dos ministérios, particularmente sobre a liderança das mulheres.

Estes temas foram debatidos no IV Seminário Bilateral Católico-Luterano, que reuniu 20 teólogos das duas famílias confessionais, dias 9 e 10 deste mês, no Morro do Espelho, em São Leopoldo.

O maior objetivo é que as duas igrejas cheguem à comunhão de púlpito e de altar, disse o pastor Gottfried Brakemeier, representante da Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil (IECLB).

“Estamos surpresos com as aproximações entre as duas igrejas. São maiores do que se esperava”, declarou Sinesio Bohn, bispo de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul. As convergências entre católicos e luteranos no Brasil foram destacadas numa declaração formulada pelo Seminário, que analisou o tema “Comunhão, Ministério e Sacramento”.

“O conceito comum é que o ministério é um dom de serviço e que, para ser exercido legitimamente, deve se caracterizar por um chamado, uma formação, uma ordenação e um envio”, diz o texto.

Mas a Comissão Bilateral reconhece que se mantém como ponto de discussão “que concepções consensuais do ministério bastam para que haja um reconhecimento mútuo da celebração eucarística, com a intenção de alcançar a comunhão eclesial”. Os teólogos admitem que um ponto de vista comum sobre a sucessão apostólica e o ministério petrino “é condição para a comunhão das igrejas”.

Facebook Comments