Vendo que os falsos testemunhos eram contraditórios e não se suportavam por si mesmos, Caifás perguntou juridicamente a Jesus se Ele “era o Cristo”. Mesmo sabendo que seria condenado por essa resposta, Jesus não se esquivou e respondeu afirmativamente: “Sou Eu”, a mesma expressão usada por Deus ao se revelar a Moisés no Antigo Testamento. Dessa forma, o Sumo Sacerdote, diante do Sinédrio, condenou Jesus por blasfêmia.

Facebook Comments

Livros recomendados

Poesia Reunida: 1985-1999A monarquia constitucional e a contribuição de José Bonifácio de Andrada e SilvaOrdo Missae – Ordinário da Santa Missa