Durante toda a sua existência, por graça de Deus, Maria conservou-se imune de todo o pecado pessoal. É a «cheia de graça» (Lucas 1,28) e a «Toda Santa». Quando o Anjo lhe anuncia que dará à luz «o Filho do Altíssimo» (Lucas 1,32), dá livremente o seu assentimento com a «obediência da fé» (Romanos 1,5). Maria entrega-se totalmente à Pessoa e obra do seu Filho Jesus, abraçando com toda a alma a vontade divina de salvação.

Facebook Comments

Livros recomendados

Sabedoria e Inocência – Vida de G. K. ChestertonA monarquia constitucional e a contribuição de José Bonifácio de Andrada e SilvaA cólera dos imbecis – Cartas de um terráqueo ao Planeta Brasil – Volume X