• Autor/Fonte: ACI Press
  • Tradução: Carlos Martins Nabeto

Em vários países, multiplicou-se o número de falsos sacerdotes que abusam da boa-fé dos fiéis para lhes “oferecer seus serviços” em troca de dinheiro fácil.

Apenas o sacramento da Ordem Sacerdotal consagra quem o recebe, configurando-o de maneira particular com Cristo Jesus e capacitando-o para agir na própria pessoa de Cristo, para o bem de todo o Povo de Deus.

A seguir, detalhamos como identificar um falso padre e as medidas preventivas que os fiéis devem tomar para evitar serem enganados.

COMO RECONHECER?

1. Os falsos sacerdotes não têm Paróquia nem território designado para eles [simplesmente] porque não pertencem à Igreja Católica. Portanto, [os seus nomes] não são encontrados nos registros das Dioceses.

2. Eles saem à rua para “oferecer seus serviços” (Missas, Sacramentos) e é até comum que ofereçam cartões de visita, para que seja possível contatá-los.

3. Geralmente preferem atuar em locais distantes da paróquia da cidade e em pequenas comunidades onde não há Padres. Deve-se saber que os Padres católicos são proibidos de realizar casamentos e batismos e, principalmente, celebrar Missas fora das suas respectivas paróquias ou em templos públicos.

4. Criam laços de amizade com os paroquianos e compartilham “sacramentos” indistintamente, sem levar em conta os impedimentos canônicos.

5. Pedem dinheiro no final da “missa” que celebram, “como uma contribuição financeira”.

6. Pedem donativos para alguma instituição, orfanato ou asilo inexiste. Em alguns casos, chegam até a oferecer os seus serviços aos próprios Padres, para auxiliá-los nas festas paroquiais ou na Páscoa.

7. Grande porcentagem deles são pessoas que estudaram em algum Seminário, mas foram expulsos por diversas razões; outros chegaram a servir em algumas Paróquias como sacristãos, [coroinhas] ou simplesmente enxergaram aí uma maneira de fraudar os fiéis (e até os próprios Sacerdotes), por conhecerem bem as celebrações litúrgicas.

MEDIDAS PREVENTIVAS

1. Frequente a Paróquia para conhecer os requisitos necessários para a celebração dos Sacramentos.

2. Em caso de falecimento de algum parente, procure a Paróquia mais próxima do velório ou a sua própria Paróquia para solicitar os serviços litúrgicos correspondentes.

3. Jamais aceite padres [que nunca viu antes e] que se dão a conhecer através de cartões de visita ou que ofereçam “serviços domiciliares”.

4. Exija do sacerdote [desconhecido] a credencial emitida pela Diocese dele. [Persistindo a dúvida, entre em contato com a sua própria Diocese e/ou com a Diocese à qual ele afirma pertencer].

5. Se não for possível encontrar um Padre [conhecido], é obrigação dos fiéis abster-se de celebrações realizadas por impostores, uma vez que são inválidas.

6. Todo falso sacerdote deve ser imediatamente denunciado às autoridades eclesiásticas [da Diocese dos fiéis e da Diocese à qual o falso padre afirma pertencer].

7. Avise outros fiéis para que tomem cuidado [e evitem] o impostor.

Facebook Comments

Livros recomendados

A senhoriaBriggflattsA Mentalidade Anticapitalista – 2ª Edição