– EM ALUSÃO À SOLENIDADE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO, COMEMORADA NO ÚLTIMO DIA 21 DE NOVEMBRO.

A tarefa dos católicos é fazer com que todos os homens rendam suas almas a Cristo. Para que isso ocorra, se lhes junta outra missão, inadiável nesses tempos de ódio à religião e à virtude: a recristianização da sociedade, a ser desempenhada, segundo o Concílio Vaticano II, principalmente pelos leigos, os quais devem, “por própria vocação, procurar obter o Reino de Deus gerindo os assuntos temporais e ordenando-os de acordo com Deus.” (Constituição Dogmática Lumen Gentium, 31)

Não são os homens, mas também as sociedades e os Estados devem obedecer a Deus, embora isso possa soar intolerante e anacrônico em face dos princípios modernos de laicismo, relativismo religioso e separação entre trono e altar – que na França começa a dar novas provas de sua perversidade, proibindo o uso de símbolos religiosos nas escolas. Pio XI, instituindo a Solenidade de Cristo Rei, em 1925, pontificava: “A celebração desta festa constituirá também uma admoestação para as nações de que o dever de venerar publicamente Cristo e de Lhe prestar obediência diz respeito não só aos particulares, mas também aos magistrados e governantes.” (Encíclica Qua Primas). Há um Reinado Social de Cristo, reflexo do Reino dos céus e daquele estabelecido nas almas, e portanto “erraria gravemente quem subtraísse a Cristo-Homem o seu poder sobre todas as coisas temporais.” (Pio XI. op. cit.)

Discordante dessa verdade, há o liberalismo, nascido do orgulho e da vaidade, que logrou grande vitória na Revolução Francesa, espalhando-se mundo afora em diferentes ramificações: laicismo, indiferentismo, relativismo, e todas as formas de totalitarismos modernos (nazismo, fascismo, comunismo, socialismo), bem como a ideologia dos politicamente corretos. Inimigos do Reinado Social de Jesus sobre a ordem temporal – que não se faz ignorando o Estado, como poderiam acusar alguns; pelo contrário, respeitando-o, ainda que o submetendo a Deus e Suas Leis -, esses que Leão XIII denominou “a peste de nossa época” (Encíclica Annum Sacrum) constituem-se sob a bandeira de quem se coloca contra Deus.

Importa aos católicos assumirem seus lugares na tropa que luta pela autêntica Civilização, sob o comando de Cristo Rei!

Facebook Comments

Livros recomendados

Senhor, Tende PiedadeDesconstruindo Paulo FreireO Anticristo: Mito ou Profecia?