Testemunhos

David e Susana Montemayor – Ex-Testemunhas de Jeová

A ti, que tiveste o privilégio de nascer dentro de uma família católica, vamos dirigir esta carta.

Queremos compartilhar contigo a experiência que temos vivido.

Eu (Susana) e meu esposo (David), nascemos, crescemos e vivemos em famílias sectárias (testemunhas de Jeová), durante 30 anos. Ensinaram-nos a amar profundamente a Deus e a ir de casa em casa, levando toda a ideologia de sua nova religião.

Estávamos acostumados a esta atividade, dedicando-lhe 10 horas por mês, no mínimo. Em época de férias, estas horas aumentavam em até 200 por mês.

Sentíamo-nos satisfeitos ao pensar que por intermédio de nós, muitas pessoas estavam recebendo a mensagem da nova evangelização.

Acreditamos que foi por nosso amor sincero a Deus, que Ele nos buscou, e nos fez ver que estávamos equivocados, que a única religião verdadeira é a que Ele fundou: A Católica. Há quatro anos nos convertemos em uma cerimônia muito emocionante e nos batizamos, confirmamos, recebemos a Primeira Comunhão e casamos.

Surgiram em nossas vidas coisas maravilhosas. Hoje, nosso Deus tão amado tem um rosto novo. Já temos uma Mãe Celestial, a Santíssima Virgem a quem podemos confiar nossos filhos e pedir-lhe que os ampare. Em resumo, um acúmulo de sensações que não podem ser expressas com palavras. Certamente, a decisão foi muito difícil de tomar. Sabíamos que íamos ficar sozinhos, que a nossa família e amigos não dariam força, mas Cristo em sua grande misericórdia, nos deu fortaleza para fazer (Mat. 19, 29).

Eramos felizes, só uma coisa nos faltava, a alegria de ir de casa em casa.

Isto provocou em mim uma crise. Pedi a um sacerdote para explicar minha inquietude: Havíamos deixado família, amigos e uma falsa religião, mas o que estávamos fazendo para Deus Nosso Senhor, agora que nos havia abençoado tanto?

O padre me acalmou e disse que tudo acontece no seu tempo, e assim foi. Em 1994, Ano Internacional da Família, o Santo Padre disse que chegou o tempo da Nova Evangelização, de sair para ser apóstolos de Cristo. Que boas notícias! Assim chegou para nós a Família Missionária.

O início não foi fácil. A falta de costume e o medo de não estarmos suficientemente preparados. Sabíamos entretanto, que se pedíssemos ao Espírito Santo, Ele colocaria as palavras necessárias em nossa boca e nos ajudaria (Mat. 10:19, 20).

Disse o Pe. Maciel: Creio no valor do meu nada, unido a Cristo. E assim é, sei que só por mim não poderia, mas com a ajuda de Cristo poderei.

A chamada é urgente. Cristo nos pede emprestado nossos pés, nossas mãos e boca, para despertar o próximo não praticante, chegar ao sectário que quer sair, mas teme ficar só, a todo aquele que lhe falta uma mão estendida, alguém que lhe diga: Venha, não tenhas medo! Cristo está te esperando! Do mesmo modo, através da Família Missionária, Cristo te diz hoje: Venha, acompanhe-me, vamos levar a todos a Água da Vida!

Este serviço deixará em você uma grande alegria no coração, ao saber que cumpriu a missão que lhe foi confiada e, sobretudo, por que é para a Glória e o Louvor de Deus, Nosso Senhor.

Srs. David e Susana Montemayor.

Fonte: Legionários de Cristo (www.legionofchrist.org)


Livros recomendados

A Paixão de Cristo Segundo o CirurgiãoA Inquisição – Um Tribunal de MisericórdiaO Evangelho de São Mateus – Cadernos de Estudo Bíblico

About the author

Veritatis Splendor