DECLARAÇÃO DA CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS CATÓLICOS DOS ESTADOS UNIDOS ACERCA DO MOVIMENTO "CATÓLICAS PELO DIREITO DE DECIDIR"  

Nova Iorque, 11 de maio de 2000,

Nos anos recentes e especialmente nos últimos meses, uma organização autodenominada "Catholics for a Free Choice" (Católicas pelo Direito de Decidir), uma Organização Não-Governamental com sede nos Estados Unidos, tem defendido uma mudança no ensinamento da Igreja Católica a respeito do aborto e da contracepção artificial.

Visto que essas atividades podem causar confusão a respeito da posição que a Igreja Católica tem sempre mantido nesses pontos, a Missão de Observador Permanente da Santa Sé deseja chamar atenção à declaração relativa às "Católicas pelo Direito de Decidir" (Catholics for a Free Choice), editada em 10 de maio de 2000, pelo Conselho Nacional de Bispos Católicos dos Estados Unidos:

 

    DECLARAÇÃO DA CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS CATÓLICOS DOS ESTADOS UNIDOS

    Por muitos anos, um grupo autodenominado "Católicas pelo Direito de Decidir" (Catholics for a Free Choice – CFFC), tem publicamente defendido o aborto ao mesmo tempo que diz estar falando como uma autêntica voz católica. Esta declaração é falsa. De fato, a atividade do grupo é direcionada para rejeitar e distorcer o ensinamento católico sobre o respeito e a proteção devida à defesa da vida humana do nascituro indefeso.

    Em algumas ocasiões a Conferência Nacional dos Bispos Católicos [dos Estados Unidos] (NCCB) declarou publicamente que a CFFC não é uma organização católica, não fala em nome da Igreja Católica e, de fato, promove posições contrárias ao magistério da Igreja conforme pronunciado pela Santa Sé e pela NCCB.

    A CFFC é, praticamente falando, um braço do lobby do aborto nos Estados Unidos e em todo o mundo. É um grupo de pressão dedicado a apoiar o aborto. É financiado por algumas poderosas e ricas fundações privadas, principalmente americanas, para promover o aborto como um método de controle da população. Esta posição é contrária à política existente nas Nações Unidas e às leis e políticas da maioria das nações do mundo.

    Em sua última campanha, a CFFC assumiu um esforço concentrado de opinião pública para acabar com a presença oficial e silenciar a voz moral da Santa Sé nas Nações Unidas como Observador Permanente. A campanha de opinião pública tem ridicularizado a Santa Sé com uma linguagem que lembra outros episódios de intolerância anticatólica que a Igreja Católica sofreu no passado.

    Como os Bispos Católicos dos Estados Unidos têm afirmado por muitos anos, o uso do nome "Católica" como uma plataforma de apoio à supressão da vida humana inocente e de ridicularização da Igreja é ofensivo não somente aos católicos, mas a todos que esperam honestidade e franqueza em um discurso público.

    Assim, declaramos outra vez com a mais forte veemência:

"Por causa de sua oposição aos direitos humanos de alguns dos mais indefesos membros da raça humana, e porque seus propósitos e atividades contradizem os ensinamentos essenciais da fé católica, [o Movimento] 'Católicas pelo Direito de Decidir' (CFFC) não merece o reconhecimento nem o apoio como organização católica" (Comitê Administrativo, Conferência Nacional dos Bispos [dos Estados Unidos], 1993).
Facebook Comments

Livros recomendados

Curar-se Para Ser FelizA viagem de BediaiDoutor Fausto