O Concílio Vaticano I, durante a Sessão III, declarou: “A Igreja Católica crê e confessa que há um só Deus verdadeiro e vivo, Criador e Senhor do céu e da terra, onipotente, eterno, imenso, incompreensível, infinito em inteligência e vontade, e em todas as suas perfeições, o Qual, sendo uma, indivídua, espiritual, simplicíssima e imutável substância, deve ser considerado como real e essencialmente distinto do mundo, felicíssimo em Si e por Si mesmo, e inefavelmente superior a tudo o que existe ou pode conceber-se”. Logo, Deus é um Ser pessoal e não se identifica com o universo por Ele criado.

Facebook Comments

Livros recomendados

O trabalho intelectual e a vontade – continuação de “A educação da vontade”O Canto do Violino – E Outros Ensaios InéditosRecordações sobre Mons. Escrivá