No arquivo sobre os dias santos de guarda, não se diz nada sobre a quarta de cinzas e a sexta santa, eles são também dias santos de guarda e festas de preceitos?

E a quinta santa e o sábado de aleluia?

Não seria incoerente ter o corpus christ como dia santo q e o dia da instituição da eucaristia não ser?

E o sábado de aleluia, não é nele que festejamos o motivo da existência da igreja, a ressurreição de Cristo?

 

Caro Luiz,

De fato, atualmente existem apenas quatro dias de guarda: Corpus Christi, Imaculada Conceição (celebrada a 8 de Dezembro), Nata e Ano Novo. Cabe à Igreja definir quais os dias santos de guarda, e, na sua história, já houve alterações. É possível que no futuro outros dias sejam incluídos na relação acima ou dela excluídos .

Nem a quarta-feira de cinzas, nem a quinta-feira santa, nem a sexta-feira santa, e nem o sábado de aleluia são dias de preceitos obrigatórios. São dias nos quais todo católico fervoroso deve se dirigir à paróquia mais próxima para participar das celebrações estabelecidas pela Igreja, mas a ausência a tais celebrações não constitui nenhum pecado.

E, de fato, caro Luiz, a sexta-feira santa nem poderia ser dia de guarda, uma vez que, neste dia, nem missa há. É o único dia do ano em que não se celebra a missa, pelo que não haveria qualquer sentido instituí-lo como dia de guarda. Além disto, no Domingo de Ramos (que, por ser domingo, é automaticamente dia de guarda) já se celebram a Paixão e Morte de Jesus Cristo, pelo que seria incoerente que a Igreja impusesse, aos seus fiéis, num espaço de cinco dias, dois dias de guarda para uma única celebração.

Relativamente ao fato de a quinta-feira santa não ser dia de guarda, e o Corpus Christi sim, tenho a dizer, novamente, que não há incoerência da parte da Igreja. De fato, a Igreja quis estabelecer uma festa em que o povo católico pudesse exultar de alegria pelos sublimes dons do Corpo e do Sangue preciosíssimos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ocorre que esta exultação não convém à quinta-feira santa, uma vez que, neste dia, o Esposo nos foi tirado. Liturgicamente, portanto, a quinta-feira santa marca o início de um curto período de luto e de tristeza.

Ora, como exultaríamos pelo Santíssimo Sacramento se devemos guardar um clima de luto?

É por isto que a Igreja resolveu instituir uma festa solene fora da quaresma e da qüinqüentina pascal cujo objetivo único e exclusivo fosse o de celebrar o Corpo e o Sangue do Senhor. É por isto que o Corpus Christi se celebra imediatamente após o tempo pascal. E sempre numa quinta-feira, pois foi numa quinta-feira que Jesus Cristo instituiu a eucarisita.

Por fim, há um engano de tua parte quando afirma que, no sábado de aleluia, celebramos a Ressurreição de Cristo. No sábado de aleluia não celebramos coisa alguma, apenas lembramos a descida de Cristo aos infernos para resgatar os que lá jaziam na sombra da morte. A celebração da Ressurreição, ocorre no domingo de Páscoa.

Talvez você indague que, na tua paróquia, há uma solene vigília pascal no sábado à noite (aliás, a mais significativa e importante de todas as liturgias católicas) quando se celebra a Ressurreição de Cristo. Ocorre que o domingo litúrgico inicia-se no sábado à tarde. Portanto, embora no calendário civil a vigília pascal possa acontecer no sábado à noite, liturgicamente (e para a Igreja é isto que importa) já celebramos o domingo de Páscoa.

Espero ter sido de utilidade.

Fique na Paz do Senhor,

Alexandre.


Facebook Comments

Livros recomendados

A Hora das HidroviasDispersão & Outros Poemas (18)Canções e Elegias