A ofensiva gay invade a Paraíba a todo vapor.

Os missionários gays, os guerreiros gays, os boxeadores gays – batendo com um processo em tudo e em todos que denunciem suas práticas –, os gays galopantes – correndo para todo lado, numa busca desesperada de apoio da sociedade a seus intentos. São os revolucionários gays, os “revolugays”.

Aproveitam-se eles do relaxo banal e estapafúrdio em que se encontram os católicos paraibanos, olhando à toa para os céus, quiçá para os céus!, para suas roupinhas de moda que vestem quando vão às Missas para lá mecanicamente responderem e gesticularem, ou para uma qualquer outra preocupação egoísta e mundana, enquanto os inimigos da moralidade avançam e avançam.

Felizmente a cristandade na Paraíba ainda tem os protestantes, estes, sim, realmente comprometidos a lutarem contra a ofensiva homossexual! Levantam a bandeira da tradicional moral cristã, expõem-na em outdoors, nos seus eventos fazem abaixo-assinados contra a perniciosa Lei da Mordaça Gay, e têm causado rebuliço entre os revolugays, que vêm neles a principal oposição.

Parabéns aos protestantes paraibanos, por terem assumido e levado adiante esta honrosa luta!!

E que lástima é ver que os católicos paraibanos nada fazem, enquanto o Arcebispo da Paraíba sozinho denuncia a ofensiva gay, é perseguido pelos revolugays… e seus filhos, nada!

Que lástima, católicos paraibanos!

Que grande lástima e vergonha!

Que lástima que o Arcebispo da Paraíba, na falta de uma entidade católica para felicitar por sua luta, tenha tido que felicitar – realmente por grande mérito – a Visão Nacional para a Consciência Cristã, entidade protestante.

Que eles mereciam estas felicitações, ninguém duvida. E eu aqui dou meus mais sinceros parabéns a VINACC pela luta árdua que tem empreendido contra o revolugays.

Mas como seria bom se além da VINACC, tivéssemos também como felicitar aos católicos, eles que deveriam estar também tão comprometidos nesta luta contra a imoralidade.

E não o temos!

Os católicos estão completamente alheios a esta guerra.

E o pior é quando apóiam o outro lado.

Evidentemente, pela própria ordem e natureza das coisas, nenhum católico deveria apoiar o movimento gay. Ou melhor, nenhum católico pode apoiar o movimento gay.

Mas quando vemos, por exemplo, os católicos paraibanos de Campina Grande levando ao 2º Turno das Eleições municipais o Deputado Federal Rômulo Gouveia, nos estarrecemos. Porque Rômulo Gouveia está ligado a duas coisas que, por si só, o deveriam desacreditar por completo diante dos católicos: é maçom e é apoiador do movimento gay.

Não só faz parte da Loja Maçônica Fraternidade e Luz – e a Maçonaria é veementemente condenada pela Igreja como seita inimiga da Fé Cristã, sendo um pecado grave tanto associar-se como favorecê-la em qualquer coisa, inclusive com o voto –, como faz parte da Frente Parlamentar pela Cidadania GLBT, iniciativa da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT).

Duas características que desacreditam esse candidato por inteiro perante os católicos.

Mas o que significa para os católicos campinenses que Rômulo Gouveia seja membro de uma seita inimiga da Fé Cristã, que na França foi responsável por perseguir milhares de cristãos na época da Revolução, e que esteja diretamente ligado aos interesses do movimento gay?

Nada.

Absolutamente nada.

Do mesmo jeito como não significa nada que o Senhor Governador da Paraíba, Dr. Cássio Cunha Lima, duas vezes cassado, tenha sancionado lei que reconhece a união homossexual para fins previdenciários (Lei nº 8.351/2007, de 19 de outubro de 2007), tornando a Paraíba o primeiro estado com arcabouço jurídico passível de implementação das uniões homo-afetivas a nível civil.

Como também parece não significar nada que o atual Prefeito de Campina Grande e candidato a reeleição, Dr. Veneziano Vital do Rêgo, tenha vetado um projeto de lei que reconheceria na cidade as uniões homossexuais para fins previdenciários, afirmando que tal propositura “não contém substrato legal suficiente para prosperar tanto do ponto de vista legal, rompendo as barreiras da constitucionalidade, bem como sob o aspecto doutrinário”. Atitude corajosa, digna de um bom cristão, atitude merecedora de aplausos. Aplausos por parte de todos os católicos. Deram-no todos? Só a metade deles. A outra metade prefere aplaudir políticos comprometidos com a causa gay.

Em São Paulo, felizmente, ainda que padres comuno-modernistas da Teologia da Libertação tenham escrito um manifesto pedindo o voto católico para a candidata Suplicy, os católicos se mantêm na oposição a uma política que publicamente apóia o aborto, as paradas gays e as uniões homo-afetivas.

O exemplo dos paulistas deveria servir aos paraibanos nestas eleições, especialmente aos campinenses, para que não confiram seus votos a candidatos comprometidos com causas anticristãs, como o é a causa gay e, tão pior, a causa maçônica.

E saindo um pouco do processo eleitoral, pois ele é apenas um ramo da luta contra o ofensiva homossexual (e contra muitas outras ofensivas além desta) é chegado o momento dos católicos paraibanos tomarem mais ativamente a bandeira da moral cristã.

Nunca pensei que diria isso, mas diante das circunstâncias, é preciso: é necessário que os católicos paraibanos sigam o exemplo dos seus irmãos protestantes, que tanto se comprometeram na luta contra a ofensiva gay, inclusive fazendo campanha contra os políticos apoiadores do movimento gay durante este processo eleitoral, como está sendo feita em Campina Grande contra Rômulo Gouveia.

E fora do atual processo eleitoral, é necessário que os católicos paraibanos organizem manifestos contra a ofensiva gay. Que nas paróquias e comunidades sejam levados a cabo abaixo-assinados contra as leis anticristãs em prol da causa gay. Que sejam feitas campanhas em oposição ao movimento gay. E que Sua Excelência, Dom Aldo Pagotto, Arcebispo da Paraíba, seja apoiado na luta contra a ofensiva gay, pois que parece abandonado por seus filhos!

Mas enquanto os católicos dormem e somente os protestantes e o Arcebispo lutam sozinhos contra os revolugays, em João Pessoa, na Faculdade de Direito da UFPB, em 21 de setembro, foi realizada a primeira união homo-afetiva da história da Paraíba, com direito até a selinho…

Deus sabe lá por que vias tortuosas de perversão isto irá nos levar!

Mas uma coisa é certa: católicos, acordem!!

Acordem, que é hora!

Taiguara Fernandes de Sousa.

“Omnes cum Petro, ad Iesum, per Mariam”

Facebook Comments

Livros recomendados

Ensaios Reunidos – Vol. IIOrdemSermão da montanha, O