Nome do leitor: Pe. Ubirajara Vieira de Melo
Cidade/UF: carapicuiba, sp
Religião: católico

Mensagem
========

Prezados redatores deste site. Paz em Cristo.

Um leitor perguntou ao site sobre os animais que aparecem na icongrafia de algumas Igrejas. A resposta além de biblicamente e historicamente incompleta, esta errada. O animal semelhante a um homem é a representação de São Mateus, pois seu Evangelho anuncia Jesus como o Filho do Homem, o Messias esperado por Israel, perfeição de todo homem, de Adão à Moisés até os dias de sua encarnação. O Boi é São Lucas, que em seu Evangelho descreve o caminnho de Jesus para Jerusalém onde morrerá na Cruz pela nossa salvação, como os touros e outros animais eram sacrificados no Templo. Além disto, Marcos é o Leão por conta da brevidade, rapidez de seu relato, rapidez típica da força do Leão.

Parabéns pelo site.
Em Jesus e Maria.
Pe. Ubirajara Vieira de Melo.
Mestre em Teologia Dogmática

Pe. Ubirajara, a sua benção!

Agradeço imensamente a sua providencial correção. Me equivoquei e FEIO!

Mas Graças a Deus, temos leitores como o Sr. que sempre nos auxiliam com seu conhecimento precioso.

Que Nosso Senhor lhe abençoe Sempre!

Prof. Alessandro Lima.


Artigo Original 

Nome do leitor: João Paulo Santana
Cidade/UF: São Paulo/Sp
Religião: Católico

Mensagem
========

Boa Tarde Irmãos,

Primeiramente gostaria de agradecer pelo apostolado de vocês pois devo a este site MUITO do esclarecimento que, graças ao bom Deus, possuo sobre a Igreja Católica e a perene doutrina de Cristo transmitida, ensinada e vivida por ela durante dois milênios, desde que o Verbo se fez carne e habitou entre nós.

Gostaria que vocês me ajudassem a esclarecer uma curiosidade.

Muitas vezes vejo em várias igrejas ícones ilustrando um leão alado, um boi alado e uma águia (que logicamente é alada também…risos).

Não sei o significado de tais símbolos. Vocês poderiam, por favor, me ajudar?

Mandei a pergunta a aproximadamente um mês e não obtive resposta.

Desde já agradeço e peço ao Pai que os abençoe e guarde seus corações sembre na Sã Doutrina dos Apóstolos, para que consigamos amenizar as feridas que as heresias criadas e recriadas pelo protestantismo e pelas seitas causam no nosso mundo e na Igreja de Cristo.

Paz e Bem!

Prezado João Paulo, a Santa Paz!

Primeiramente quero agradecer-lhe pelas palavras tão carinhosas dirigidas ao nosso apostolado. Queria Nosso Senhor que ele continue sendo útil a você.

Algumas vezes os leitores que nos escrevem colocam seu email errado, impedindo que possamos responder-lhe. Além disto, mantemos este apostolado com muitas dificuldades, pois todos nós trabalhamos, temos família e etc. Por isso nem sempre podemos responder no tempo que gostaríamos.

Os animais a que você se refere se encontram no livro do Apocalipse, onde lemos:

Havia ainda diante do trono um mar límpido como cristal. Diante do trono e ao redor, quatro Animais vivos cheios de olhos na frente e atrás. O primeiro animal vivo assemelhava-se a um leão; o segundo, a um touro; o terceiro tinha um rosto como o de um homem; e o quarto era semelhante a uma águia em pleno vôo. Estes Animais tinham cada um seis asas cobertas de olhos por dentro e por fora. Não cessavam de clamar dia e noite: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Dominador, o que é, o que era e o que deve voltar” (Ap 4,6-8).

Há uma simbologia muito semelhante no livro do Profeta Ezequiel:

No quinto dia do mês – era o quinto ano de cativeiro do rei Joaquin – foi a palavra do Senhor dirigida ao sacerdote Ezequiel, filho de Buzi, na Caldéia, às margens do rio Cobar. Nesse lugar veio a mão do Senhor sobre mim. Tive então uma visão: soprava do lado norte um vento impetuoso, uma espessa nuvem com um feixe de fogo resplandecente, e, no centro, saído do meio do fogo, algo que possuía um brilho vermelho. Distinguia-se no centro a imagem de quatro seres que aparentavam possuir forma humana. Cada um tinha quatro faces e quatro asas. Suas pernas eram direitas e as plantas de seus pés se assemelhavam às do touro, e cintilavam como bronze polido. De seus quatro lados mãos humanas saíam por debaixo de suas asas. Todos os quatro possuíam rostos, e asas. Suas asas tocavam uma na outra. Quando se locomoviam, não se voltavam: cada um andava para a frente. Quanto ao aspecto de seus rostos tinham todos eles figura humana, todos os quatro uma face de leão pela direita, todos os quatro uma face de touro pela esquerda, e todos os quatro uma face de águia.  Eis o que havia no tocante as suas faces. Suas asas estendiam-se para o alto; cada qual tinha duas asas que tocavam às dos outros, e duas que lhe cobriam o corpo” (Ez 1,2-11).

A nota da Bíblia de Jerusalém diz que estes quatro animais representam os quatro anjos que governam os quatro cantos da terra. A nota da TEB diz que representam o mundo criado. Isto é, os dois casos consideram que a adoração dos quatro animais representa a adoração que o mundo deve ao seu criador: Deus.

A nota da TEB traz uma informação adicional, de que segundo Santo Ireneu de Lião (séc. II), a tradição cristã considerou estes animais como figuras dos quatro Evangelhos. Com efeito, os Pais da Igreja consideravam o leão como símbolo do Evangelho de S. Mateus, que acentua a característica forte e real de Jesus, pois o leão representa força e realeza. O boi é figura do Evangelho de S. Marcos, que caracteriza mais o trabalho servil de Cristo em relação às pessoas, pois o boi é símbolo de trabalho e servidão. O homem é figura do Evangelho de S. Lucas, que tanto acentuou a humanidade do Senhor. E por fim a águia é símbolo do Evangelho de S. João que retrata a característica divina do Senhor, pois a águia é símbolo da divindade.

Espero tê-lo ajudado.

Em Cristo Jesus,

Prof. Alessandro Lima.

Facebook Comments