Boa parte das passeatas sodomitas, eufemisticamente cognominadas ?paradas do orgulho gay?, foi financiada com numerário público. Verbas, sobretudo do Ministério da Cultura proporcionaram o desfile da imoralidade por nossas avenidas.

Noutras palavras, o dinheiro dos contribuintes, o seu, caro leitor, e o deste escriba, ao invés de servir ao bem comum, subsidiou interesses particulares. Que entes privados e pessoas físicas, identificados com a causa homossexual, patrocinem as tais paradas gays, vá lá. Cada um faz o que quiser com o que ganha ? e sofre as conseqüências, claro. Mas o Estado bancar os referidos eventos?

Para sermos bem diretos: as somas que de todos nós arrecada o Estado, e que, por isso mesmo, deveriam ser aplicadas em obras de interesse do povo em geral, destinaram-se à satisfação do desejo de uns poucos grupos. É para isso que pago meus impostos? Para promover o homossexualismo? Até mesmo quem não concorda com a plataforma pró-gay, quem considera a prática da sodomia um pecado, quem é contrário às aludidas passeatas, foi obrigado, pelo Estado (totalitário) controlado pelo PT, a patrociná-las. Pois o dinheiro utilizado pelo Ministério da Cultura veio de todos, não só dos que apóiam a militância homossexual!

Cabe, aliás, a indagação que, óbvia demais, não foi feita. Homossexualismo é agora manifestação de cultura, para ser promovido pelo ministério por ela responsável? No lugar do apoio ao teatro, à dança, à música, às artes plásticas, às festas tradicionais, à literatura, ao folclore, o senhor Gilberto Gil assegura vultosa quantia para que pessoas do mesmo sexo, em coreografias bizarras, se beijem na boca em praça pública?

É moralmente condenável a atitude de qualquer um ao sustentar ações pecaminosas. Entretanto, a liberdade mal usada já não me choca tanto. Terrível, não obstante, é aturar um governo que paga paradas gays com tributos até mesmo dos que a ela se opõem.

O financiamento estatal da pederastia pública é um grave sinal de que a pátria está num caminho tortuoso. E o presidente Lula, responsável por esse absurdo e abertamente comprometido com os movimentos GLS, ainda tem a audácia de se dizer católico ? e sem pecado!

Facebook Comments