Conheça Mais

Fundadas preocupações

Círculos de militares da reserva começam a disseminar boletins e opiniões que retratam preocupações quanto ao futuro da pátria. É sabido o receio que têm de uma eventual comunização do país, ao que não poucos ? os quais talvez tenham a síndrome de Poliana, enxergando o mundo com suas lentes cor-de-rosa ? respondem ser uma tolice.

 

Já ouvi em mais de um lugar qualificarem os alertas de nossos nobres militares como exagerados e reflexos de uma teoria da conspiração, colocando-os no mesmo saco das absurdas acusações da cúpula do PT quanto a um suposto estratagema ?das elites?, que teriam inventado a história do mensalão no governo Lula para desestabilizá-lo. O que de verdade há nisso? Serão os pronunciamentos dos oficiais das Forças Armadas e das Polícias Militares insanas elucubrações, medos infundados, maluquice mesmo?

 

Não é o que mostra a realidade. Rápida consulta aos jornais e revistas, e breve observação dos acontecimentos, servem de base para que nos alertemos: de modo sutil e paulatino avança a revolução cultural comunista, sem ser por todos notada. E quando o é, os que deveriam engrossar o coro dos que a identificam (certa imprensa, os partidos ditos ?de direita?), fazem-se de desentendidos. Mais fácil e menos comprometedor do que dizer publicamente que o que ocorre é parte de um plano socialista, é tachar tal denúncia de inverossímil.

 

Diante disso, vamos aos fatos. Como é corrente falar, eles não mentem.

 

Nunca antes, v.g., o MST e a CUT tiveram tanto poder. Aquele aumentando as invasões, marchando com o patrocínio do Estado e recebendo gordas ?doações? de verbas públicas para manter sua luta indisfarçadamente comunista. Até seu discurso não é mais contra o latifúndio improdutivo, mas contra o latifúndio tão só, contra a noção de propriedade ? eles, aliás, decidem o que deve ser plantado pelos outros, e os desobedientes sofrem as represálias com a destruição de culturas e pesquisas. A CUT, de outra sorte, conseguiu finalmente um assento na Esplanada dos Ministérios.

 

Enquanto isso, permanecem sérias restrições legais ao porte de armas pelo povo ordeiro (o desarmamento geralmente precedeu os golpes totalitários), e caminham a passos largos a reforma universitária (que não respeita os entes particulares ? propriedade privada ?, troca o mérito pelo paternalismo injusto das cotas, inverte as necessárias hierarquias nas faculdades, tornando-as dependentes dos ditos movimentos sociais), os intercâmbios espúrios com Cuba (a ABIN em estreita colaboração com a polícia política de Fidel Castro, o caso dos médicos cubanos sem concurso nem revalidação do diploma), os negócios sujos com a China comunista (reconhecida por Lula como ?economia de mercado?, e da qual foram comprados tratores de duvidosa qualidade para doar ao MPA, ramo dos agro-socialistas), a antidemocrática violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo (em ?punição? por apontar as mentiras do Ministro Palocci), a centralização do regime sob a dura batuta da ex-guerrilheira Dilma Roussef, a politização de setores do Judiciário, o vergonhoso aparelhamento do Estado, o ressurgimento da cartilha estatizante na economia, a tentativa de amordaçar a imprensa (alguém lembra do Conselho?), o crescente populismo de Lula ao estilo Hugo Chávez (e orgulhoso, como Evo Morales, de sua própria ignorância e falta de cultura erudita). Sem falar do uso da ABIN para arapongagem partidária e do financiamento da eleição de Lula por Cuba e pelas FARC, já noticiadas por Veja. Lembre-se, ainda, as chefias do INCRA ocupadas por integrantes do MST, o aumento de tributos em típico ataque à livre iniciativa, a já histórica aliança do PT com o PC do B (que conquistou a chefia da Câmara com Aldo Rebelo: nunca um comunista declarado, da atroz linha albanesa, esteve no terceiro cargo mais importante da República!), e os reais motivos do caixa dois petista: perpetuar-se no poder!

 

Some-se a isso a influência do Foro de São Paulo ? clube dos grupos esquerdistas latino-americanos, do PC cubano aos zapatistas e às FARC ?, e a realização de suas metas (?recuperar na América o que foi perdido no Leste Europeu?), entre as quais a guinada à esquerda no Brasil, Uruguai, Argentina, Bolívia e Chile, os quais, com Cuba e a Venezuela, formam um bloco coeso para a ascensão da foice, do martelo e da estrela.

 

Não devemos nos preocupar? Quem tem olhos para ver…

Facebook Comments

Livros recomendados

270 perguntas e respostas sobre sexo e amorO Napoleão de Notting HillCatena Aurea – Vol. 1 – Evangelho de São Mateus

About the author

Veritatis Splendor

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.