III. DA CONCEPÇÃO À ASSUNÇÃO: OUTRAS PRERROGATIVAS

Em suma:
1. Imune à concupiscência.
2. Imune ao pecado venial.
3. Foi apresentada no Templo.
4. Fez voto de virgindade.
5. Casou-se com José, seu consanguíneo.
6. O Arcanjo Gabriel foi eleito por Deus como mensageiro da Encarnação.
7. Apareceu a ela em visão corporal.
8. O Arcanjo lhe propôs três fins ao visitá-la
9. Foi constituída no Templo mais grandioso da Trindade
10. A Encarnação devia ser anunciada para obter seu livre consentimento
11. Conheceu vários idiomas

1. MARIA FOI IMUNE À CONCUPISCÊNCIA

Concupiscência, no sentido dogmático, é o apetite cujo movimento transtorna o ato deliberativo e o ditame da razão, persistente contra o império da vontade.

Maria foi imune ao pecado original e uma das conseqüências foi imunidade à concupiscência.

O pecado venial é conseqüência da concupiscência. Como Maria nunca teve pecado venial, deduz-se que esteve livre de toda concupiscência.

Parece mais congruente que Maria nunca tivesse pecado por ser dotada do dom da integridade do que pelo governo interior de seus desejos.

2. MARIA FOI IMUNE A TODO PECADO VENIAL

“Entrando onde ela estava, disse-lhe: ‘Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo'” (Lucas 1,28).

Esclarecimento: A plenitude da graça afirmada pelo anjo não seria tal se tivesse existido nela qualquer pecado. Além disso, se Maria tivesse pecado alguma vez, tal ignomínia teria redundado no Filho, identificado com a própria sabedoria e santidade de Deus.

3. A VIRGEM MARIA FOI APRESENTADA NO TEMPLO PARA QUE SE DEDICASSE TEMPORALMENTE AO SERVIÇO DO SENHOR

Não há textos claros na Sagrada Escritura que demonstrem este fato histórico; porém, pode ser deduzido do costume de muitas mulheres, naquele tempo, serem apresentadas para que se dedicassem à oração, ao jejum e ao serviço do tabernáculo.

“Havia também uma profetisa chamada Ana, de idade muito avançada, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Após a virgindade, vivera sete anos com o marido; ficou viúva e chegou aos oitenta e quatro anos. Não deixava o Templo, servindo a Deus dia e noite com jejuns e orações” (Lucas 2,36-37).

4. É MUITO PROVÁVEL QUE MARIA, ANTES DO ANÚNCIO DO ANJO, TIVESSE FEITO A DEUS VOTO DE VIRGINDADE

“Maria respondeu ao Anjo: ‘Como se dará isto, já que não conheço varão?'” (Lucas 1,34).

Esclarecimento: Santo Agostinho e muitos teólogos explicam esta pergunta apontando que ela já tinha feito voto de virgindade. São Tomás afirma que as obras de perfeição são mais louváveis se feitas por voto e que, portanto, Maria tinha consagrado sua virgindade a Deus.

5. A VIRGEM MARIA, COMO FILHA ÚNICA DOS BENS PATERNOS, CASOU-SE COM JOSÉ, SEU CONSANGUÍNEO MAIS PRÓXIMO, EM RAZÃO DO MANDAMENTO DA LEI DE MOISÉS

“Casar-se-ão com quem lhes agradar, conquanto que se casem com alguém de um clã da tribo do seu pai. A herança dos filhos de Israel não passará de tribo a tribo; os filhos de Israel permanecerão vinculados, cada um, à herança da sua tribo” (Números 36,6-7).

Esclarecimento: Alguns dizem que o matrimônio de Maria com José foi em razão do milagre da vara florida; outros, por inspiração divina; outros, por indicação expressa de um anjo. Porém, a razão que encontra fundamento na Sagrada Escritura é a prescrição da Lei de Moisés.

6. O ARCANJO GABRIEL FOI ELEITO POR DEUS COMO MENSAGEIRO DO MISTÉRIO DA ENCARNAÇÃO

“No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um varão chamado José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria” (Lucas 1,26-27).

Esclarecimento: Gabriel significa “Fortaleza de Deus” e por isso foi eleito para anunciar a Cristo, que deveria lutar contra o diabo e obter contra ele a vitória mais completa.

7. O ARCANJO GABRIEL APARECEU À VIRGEM MARIA EM VISÃO CORPORAL

Não consta claramente na Sagrada Escritura; porém, isto pode ser deduzido dos seguintes detalhes:

a) Da entrada do Arcanjo no local onde Maria se encontrava:

“Entrando onde ela estava, disse-lhe: ‘Alegra-te, cheia de graça'” (Lucas 1,28).

b) Maria ficou perturbada, pois nunca tinha sido saudada por um varão:

“Ela ficou perturbada por essas palavras” (Lucas 1,29).

c) Maria, que a princípio temia o homem, acaba o diálogo intrépida com o Arcanjo:

“Disse Maria: ‘Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lucas 1,38).

d) A saída do Arcanjo:

“E o anjo, deixando-a, se foi” (Lucas 1,38).

Esclarecimento: Da entrada do Arcanjo, do temor da Virgem Maria e da saída do mesmo, parece que este lhe tenha aparecido em forma corporal visível.

8. O ARCANJO GABRIEL PROPÔS TRÊS FINALIDADES AO VISITAR A VIRGEM MARIA: DEIXÁ-LA CONSIDERAR SOBRE TÃO GRANDE MISTÉRIO; INSTRUÍ-LA SOBRE O MESMO; E MOVER SUA VONTADE PARA QUE ACEITASSE SER A MÃE DO VERBO ENCARNADO

a) Deixá-la considerar sobre o mistério:

“Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo” (Lucas 1,28).

b) Instruí-la sobre o mesmo mistério:

“Conceberás no teu seio e darás à luz um filho” (Lucas 1,31).

c) Mover sua vontade para que aceitasse ser a Mãe do Verbo Encarnado:

1º) Propondo-lhe o exemplo de Isabel:

“Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice” (Lucas 1,36)

2º) Apoiando-se na onipotência de Deus:

“Porque nada é impossível para Deus” (Lucas 1,37).

9. A VIRGEM MARIA FOI CONSTITUÍDA NO TEMPLO GRANDIOSO E PERFEITO DA SANTÍSSIMA TRINDADE

a) Toda alma em graça é constituída em santuário de Deus:

“Deus é amor e quem permanece no amor permanece em Deus e Deus nele” (1João 4,16).

b) A Virgem Maria foi cheia de graça:

“Entrando onde ela estava, disse-lhe: ‘Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo'” (Lucas 1,28).

c) A maior grandiosidade e perfeição de Maria, como Templo da Trindade, correspondem à plenitude da graça com que Deus a dotou.

10. A ENCARNAÇÃO DEVIA SER ANUNCIADA À VIRGEM MARIA, PARA OBTER SEU LIVRE CONSENTIMENTO, SEM O QUAL NÃO TERIA COMO SE REALIZAR

“Entrando onde ela estava, disse-lhe: ‘Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo’. Ela ficou perturbada com estas palavras e pôs-se a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo lhe disse: ‘Não temas, Maria, porque encontraste graça diante de Deus; eis que conceberás no teu seio e darás à luz um filho, e tu o chamarás com o nome de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; reinará sobre a casa de Jacó pelos séculos e seu reino não terá fim’. Maria respondeu ao anjo: ‘Como se dará isto, já que não conheço varão?’. O anjo lhe respondeu: ‘O Espírito Santo virá sobre ti e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra; por isso, aquele que há de nascer será santo e será chamado ‘Filho de Deus'” (Lucas 1,28-35).

Esclarecimento: Nesta narração, aparece o pedido de consentimento à Virgem Maria, para a realização da obra da Encarnação; o anjo não a intimida sobre o decreto da vontade divina, como se devesse ser realizado ainda que sem a vontade dela; ao contrário, expõe a Maria o desígnio de Deus e quando Maria opõe-lhe o voto de virgindade como obstáculo, o anjo contesta sua objeção e não se retira até que, convencida de que teria conservada íntegra sua virgindade, deu seu consentimento dizendo: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra”. E o anjo, deixando-a, se foi (Lucas 1,38).

11. A VIRGEM MARIA CONHECEU E FALOU VÁRIOS IDIOMAS DURANTE SUA VIDA SOBRE A TERRA

Não existem textos da Sagrada Escritura que contenham esta verdade; porém, pode ser deduzida dos seguintes:

a) Falou normalmente com os Magos, no idioma destes, durante sua visita:

“Entraram na casa e viram o menino com sua Mãe Maria; e, prostrando-se, o adoraram; depois, abriram seus cofres e lhe ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra” (Mateus 2,11).

b) Em suas relações normais com os habitantes do Egito, conversaria igualmente com eles:

“Ele (José) se levantou durante a noite, tomou o Menino e sua Mãe, e se retirou para o Egito; e ali ficou até a morte de Herodes” (Mateus 2,14-15).

Facebook Comments

Livros recomendados

Comentário à Metafísica de Aristóteles IX–XII — Volume 3Antônio Torres – Uma AntologiaCientistas de Batina