VI. DEPOIS DA COROAÇÃO: OUTRAS PRERROGATIVAS

Em suma:
1. Cooperadora com seu Filho na obra de Redenção.
2. Distribuidora das graças.
3. Tesoureira universal.
4. Comediadora.
5. Mãe de todos os cristãos.
6. Seu imenso amor pelos homens.

1. A VIRGEM MARIA COOPEROU VERDADEIRAMENTE E REALMENTE COM SEUS FILHO NA OBRA DE REDENÇÃO DO GÊNERO HUMANO

A obra de redenção compreende dois aspectos:

a) A doação do Redentor.
b) A realização da obra salvadora.

a) A Virgem cooperou na doação do Redentor:

1º) Deus Pai é a causa principal da doação do Redentor ao mundo:

“Deus amou tanto o mundo que lhe deu seu único Filho, para que todo o que creia nele não pereça” (João 3,16).

2º) Porém, o Redentor foi enviado por meio de Maria:

“Deus enviou o seu Filho, nascido de mulher” (Gálatas 4,4).

b) A Virgem Maria colaborou na realização da obra redentora:

“Disse Maria: ‘Faça-se em mim segundo a tua palavra'” (Lucas 1,38).

Esclarecimento: A Virgem colaborou totalmente na obra de Jesus Cristo, visto que sua realização dependia do seu consentimento: “Faça-se”.

“E vivia sujeito a eles (…) Jesus progredia em sabedoria, em estatura e na graça diante de Deus e dos homens” (Lucas 2,51-52).

Esclarecimento: Jesus se preparava para sua obra redentora sob a tutela e responsabilidade de seus pais; estes, assim, lhe prestavam uma autêntica colaboração.

2. DEUS DETERMINOU SEU PLANO DE ASSOCIAR INTIMAMENTE MARIA À OBRA SALVÍFICA DE CRISTO NA AQUISIÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DAS GRAÇAS

Indícios muito claros são os seguintes:

a) A Anunciação:

“O anjo lhe disse: ‘Não temas, Maria, porque encontraste graça diante de Deus; irás conceber no seio e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus'” (Lucas 1,30-31).

b) O Milagre das Bodas:

“Três dias depois foi celebrada uma boda em Caná da Galiléia e estava ali a Mãe de Jesus. Jesus e seus discípulos também foram convidados à boda. E como faltasse vinho, sua Mãe disse a Jesus: ‘Não têm vinho’. Jesus lhe respondeu: ‘O que tenho eu contigo, mulher? Ainda não chegou a minha hora’. Sua Mãe disse aos serventes: ‘Fazei o que Ele vos disser'” (João 2,1-5).

c) A presença de Maria no Calvário:

“Junto à cruz de Jesus estavam sua Mãe, a irmã de sua Mãe, Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena” (João 19,25).

d) A proclamação, por Cristo, de sua maternidade espiritual:

“Jesus, vendo sua Mãe e junto a ela o discípulo a quem amava, disse para sua Mãe: ‘Mulher, eis aí o teu filho’. A seguir, disse ao discípulo: ‘Eis a tua mãe’. E a partir daquela hora, o discípulo a acolheu em sua casa” (João 19,26-27).

3. A VIRGEM MARIA FOI CONSTITUÍDA POR DEUS TESOUREIRA UNIVERSAL DE TODAS AS GRAÇAS

Não consta claramente na Sagrada Escritura; porém, a Igreja atribui-lhe os seguintes versículos:

“Eu sou a Mãe do amor formoso, do temor” (Eclesiástico 24,24).

Esclarecimento: Maria, depositária do amor divino e do temor, para distribuí-los aos seus filhos.

“Em mim, toda graça da vida e da verdade” (Eclesiástico 24,25).

Esclarecimento: Para que sirva de luz aos homens que caminham neste mundo.

“Em mim, toda esperança de vida e de virtude” (Eclesiástico 24,25).

Esclarecimento: Porque na terra esperamos a vida da graça e no céu a vida da glória, adquirimos as virtudes por Maria.

4. A VIRGEM MARIA É MEDIADORA DE TODAS AS GRAÇAS AOS HOMENS

“Porei hostilidade entre ti e a mulher, entre tua linhagem e a linhagem dela. Ela te esmagará a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gênese 3,15).

Esclarecimentos: “Hostilidade entre ti e a mulher”, isto é, entre Satanás e Maria. “Hostilidade entre tua linhagem e a linhagem dela”, isto é, entre os pecadores e Cristo e seus seguidores. Portanto, Cristo e Maria unidos em sua luta contra Satanás. Porém, a cooperação de Maria com Cristo é incompleta apenas com sua maternidade física e sua cooperação próxima à obra redentora pela qual ocorre a aquisição das graças se não houver a intervenção real de Maria na concessão das mesmas.

“Naqueles dias, Maria se levantou e foi prontamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá; entrou na casa de Zacarias e saudou a Isabel. E enquanto Isabel ouvia a saudação de Maria, saltou alegremente o menino em seu seio, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo (Lucas 1,39-41).

Esclarecimento: Antes de ter saído do seio virginal de Maria, Cristo concedeu a graça da santificação a João Batista, significada pela exultação e salto alegre no ventre de Santa Isabel.

“Foi celebrada uma boda em Caná da Galiléia e estava ali a Mãe de Jesus. Jesus e seus discípulos também foram convidados à boda. E como faltasse vinho, sua Mãe disse a Jesus: ‘Não têm vinho’. Jesus lhe respondeu: ‘O que tenho eu contigo, mulher? Ainda não chegou a minha hora’. Sua Mãe disse aos serventes: ‘Fazei o que Ele vos disser'” (João 2,1-5).

Esclarecimento: O primeiro milagre de Jesus, ao começar sua vida pública, foi aquela conversão admirável da água em vinho, que se realizou a pedido de Maria.

A ação de distribuir os dons pertence a Cristo por direito próprio e exclusivo, visto que os adquiriu com sua Morte, e ele é potestativamente o Mediador entre Deus e os homens (São Pio X).

“Se alguém peca, temos um advogado perante o Pai: Jesus Cristo, o justo” (1João 2,1).

Maria coopera com Cristo na distribuição das graças.

5. A VIRGEM MARIA É REALMENTE E VERDADEIRAMENTE MÃE DE TODOS OS CRISTÃOS

“Jesus, vendo sua Mãe e junto a ela o discípulo a quem amava, disse para sua Mãe: ‘Mulher, eis aí o teu filho’. A seguir, disse ao discípulo: ‘Eis a tua mãe’. E a partir daquela hora, o discípulo a acolheu em sua casa” (João 19,26-27).

Esclarecimento: Cristo designou com o nome de “discípulo” todos os cristãos; isto é mais congruente com a universalidade de todas e cada uma das ações redentoras de Cristo.

“E deu à luz ao seu filho primogênito” (Lucas 2,7).

Esclarecimento: Se Cristo foi seu filho primogênito, é porque os outros são seus filhos segundogênitos. Porém, como a Virgem não teve filhos carnais, é necessários que sejam espirituais.

6. O AMOR DA VIRGEM MARIA PARA COM OS HOMENS É IMENSO, POR SUA CARIDADE PARA COM DEUS E PORQUE CRISTO OS ENCOMENDOU NA PESSOA DE JOÃO

a) Por sua caridade para com Deus:

“E recebemos dele este mandamento: ‘Quem ama a Deus, ame também o seu irmão” (1João 4,21).

“O que vos mando é que ameis uns aos outros” (João 15,17).

“Eis o meu mandamento: amai-vos uns aos outros como Eu vos amei” (João 15,12).

Esclarecimento: Deduz-se claramente que a Virgem Maria cumpriu este Mandamento com toda a perfeição.

b) Porque Cristo os encomendou na pessoa de João:

“Jesus, vendo sua Mãe e junto a ela o discípulo a quem amava, disse para sua Mãe: ‘Mulher, eis aí o teu filho’. A seguir, disse ao discípulo: ‘Eis a tua mãe'” (João 19,26-27).

Esclarecimento: As últimas palavras que Cristo disse a Maria têm um valou e uma aplicação perene para todos e para cada um de seus filhos: os cristãos representados em João.

Facebook Comments

Livros recomendados

O Homem EternoO que mais importa aprenderO capital: Livro 1 – O processo de produção do capital (Vol. 2)