Ciência e Fé

Globo e Neomalthusianismo: mais uma mentira para enganar você!

– Diante do fracasso da maior mentira científica dos últimos séculos, o Aquecimento Global por intervenção humana, o lobby colonialista mundial já prepara outra falácia: o neomalthusianismo

A história do ocidente não conhece um relato tão descaradamente anticientífico e tão divulgado pela mídia mundial como o mito do Efeito Estufa. As razões para o mito, é sabido, encontra-se na tarefa mundial de um grupo de poderosos de pôr limites ao crescimento populacional das nações em desenvolvimento (veja a matéria sobre Aquecimento Global com o professor Luiz Molion). Para isso, cabem ações indiretas, como a limitação da produção de riquezas e produtos em países em desenvolvimento, aos quais a hipótese do Aquecimento Global cairia como uma luva; ou cabem também ações diretas, investindo contra o crescimento populacional desses países. Neste caso específico, o maior nome mundial sobre Aquecimento Global, o ex vice-presidente norte-americano Al Gore, propõe abertamente o aborto como remédio contra o Aquecimento Global. Como a farsa não deu certo por causa da resistência de um grupo honesto de cientistas e por causa da divulgação de emails reveladores de fraude de outro grupo de pesquisadores ligados à causa ambientalista (veja aqui), a tática mudou. Na última semana o Fantástico começou a nova campanha alarmista contra o povo brasileiro: o neomalthusianismo.

Diante do fracasso do maior mentira científica dos últimos séculos, o Aquecimento Global por intervenção humana, o lobby colonialista mundial já prepara outra falácia: o neomalthusianismo. Esta nova farsa acadêmica é uma versão requentada do malthusianismo. Originalmente, a doutrina defendia que a população mundial cresceria de modo muito mais rápido que a produção de alimentos e que chegaria o momento em que faltaria comida para países inteiros. Solução: limitação de filhos! O neomalthusianismo defende que, além de comida, faltarão também recursos naturais (água, energia) para todos os cidadãos do mundo. Bem entendido: deve-se implementar políticas para esterelizar e/ou abortar nas famílias que mais contribuem para o crescimento desordenado do planeta, que só por acaso estão nos países em desenvolvimento e subdesenvolvidos.

A repórter que emprestou sua voz para sustentar essa farsa foi a Sonia Bridi, a mesma que divulgou mentiras em favor do Climategate em 2011, reportagens sobre a descriminalização das drogas e agora veicula reportagens sobre a farsa da superpopulação mundial. Por que a repórter divulga fatos e dados pseudo-científicos que favorecem outras nações e não o Brasil? A quem interessa tanta desinformação? E mais: por que a editoria de ciência dos jornais da Globo aceita tanta ideologia? A reportagem em favor do aquecimento global foi feita em um navio do Greenpeace, uma das organizações mundiais que mais ganha dinheiro e falsifica informações para divulgar a mentira do Alarme Global. Como confiar nos dados das reportagens dessa profissional e da Globo? O que nos leva a uma questão: será que os dados divulgados no Fantástico por tal profissional sobre a superpopulação mundial são confiáveis?

Os neomalthusianos espalham o caos social divulgando que o aumento descontrolado da população produzirá malefícios sem fim às sociedades. Nos cálculos mais catastróficos da tese dos pseudo-cientistas, a população mundial vai saltar de 7 para 9 bilhões em 2050. Segundo esta tese, o mundo entraria em colapso pois não haveria recursos para alimentar tanta gente, muito menos recursos naturais suficientes. Contudo, segundo continhas simples de fazer, todas as 9 bilhões de pessoas de 2050 caberiam juntas em 2.250.000 km2. Ora, o território do Brasil é de mais de 8 milhões de km2. Todos os 9 bilhões, do pior cenário neomalthusiano, caberiam confortavelmente no nosso país, deixando todo o resto do mundo para plantar alimentos e criar gado para alimentar todo os homens do planeta. Onde está o caos divulgado pelo Fantástico??

E para piorar a imagem da repórter da Globo, Sonia Bridi, os fatos novamente não indicam que o problema é a superpopulação. Assim como no caso do Climategate, há uma falsificação dos dados reais. O pior perigo para as economias é que a população dos países diminua, gerando mais aposentados que trabalhadores. Esta situação é grave (link aqui) e já compromete o crescimento da China (link aqui) e joga a Europa em problemas enormes (link aqui). O Brasil não está longe de sofrer com este fenômeno, se continuar com a política de poucos filhos. A continuar o crescimento populacional do país, em 2050 o Brasil também terá menos trabalhadores que aposentados, criando uma crise sem tamanho na economia (link aqui).

Então, se a repórter e a Globo estivessem realmente preocupados com o país, deveriam fazer uma enorme reportagem em favor das famílias numerosas. O perigo não é a superpopulação mundial, como parece indicar a farsa neomalthusiana do Fantástico. O que realmente coloca problemas para o bem-estar e progresso dos homens é o discurso pseudo-cientificista, aliado dos regimes colonialistas que sentem seu domínio sobre as nações em desenvolvimento enfraquecer. Resistamos!!!


Livros recomendados

A verdadeira história da InquisiçãoA Guerra dos CristerosA Cruz de Cristo

About the author

Administrador

Apostolado Veritatis Splendor. Um site em defesa da Fé Católica nas questões mais difíceis.