Leitor NÃO autorizou a publicação de seu nome no site] Nome do leitor: E.
Cidade/UF: Limeira/SP
Religião: Católica

Mensagem
========

Salve Maria Santíssima !

Parabéns pelo trabalho desenvolvido por vocês, Deus lhes recompense.

Sou de Limeira/SP e assisto a Missa Tridentina em Campinas. Estou tentando formar um grupo aqui em Limeira para pedir a liberação ao bispo Dom Vilson. Vocês conhecem pessoas aqui na região que se interessariam em integrar esse grupo? Se sim, autorizo enviarem meu e-mail ([email protected]) para que elas entrem em contato comigo.

Como é feita essa solicitação ao Bispo. Que documento temos que formular?

Desde já agradeço a atenção.

E.

Caro E.,

A partir de 14 de setembro, não será mais necessário pedir a “liberação” da Missa Tridentina em sua diocese. Nesta data, entra em vigor o Summorum Pontificum, que, por si só, já a libera. A partir desta data, passa a ser um direito dos fiéis o franco acesso ao tesouro da liturgia tradicional, direito este que, se não atendido pelo pároco ou pelo bispo local, pode ser pleiteado diretamente junto ao Vaticano.

Assim você apenas precisará pedir ao teu padre que a celebre, ou que permita que um outro padre (que a saiba celebrar) possa fazê-lo em sua paróquia. Mas, para isto, é necessário que você saiba de, ao menos, algumas outras pessoas interessadas (não importa o número), para que o teu requerimento esteja de acordo com as regras do Motu Proprio.

Escreva uma carta como a que segue:

Caro Pe. XX,

Tendo em vista o recente documento pontifício, Summorum Pontificum, que reconhece aos fiéis católicos de todo o mundo o direito de terem celebradas, em suas paróquias, a Missa segundo o Rito de São Pio V, e sabendo da existência, nesta paróquia de XX, de outros católicos nela interessados, venho requerer que esta forma extraordinária da Missa seja celebrada todos os dias da semana e, aos domingos ou dias santos, que o seja ao menos uma vez. Sei que o Pe. XX, da Paróquia ZZ, sabe celebrá-la e já se dispôs a fazê-lo aqui em nossa paróquia. Assim, caso o senhor não se sinta apto a tal celebração, ele poderia vir a nossa igreja para este fim.

Obrigado por sua consideração.

Em Cristo Jesus,

E.”

Caso não haja resposta em um mês, mande uma segunda carta. Mantido o silêncio, ou obtida uma resposta negativa, então (e somente então), você deve recorrer ao seu bispo. Neste caso, um abaixo assinado com algumas assinaturas (novamente, não importa o número de pessoas) é recomendável. Dirija-se ao seu bispo como se segue:

V. Exa. Revma, Dom XX.

Sou membra da Paróquia XX, na qual existe um grupo de fiéis que desejam a celebração regular da Missa segundo o venerável rito de São Pio, V, tal qual disposto no Missal promulgado, em 1.962, pelo Beato João, XXIII. Escrevi ao nosso pároco duas vezes solicitando tais celebrações, mas não obtive resposta (ou obtive resposta negativa). Assim, nos termos do Motu Proprio Summorum Pontificum, requeiro de Sua excelência a celebração desta forma extraordinária do Rito Romano todos os dias da semana e ao menos uma vez aos Domingos e Dias Santos. Se possível, requeiro, ainda, que Sua Excelência estabeleça uma paróquia pessoal ou um capelão para estas celebrações. Conheço um padre, Pe. XX, que está disposto a celebrá-la.

Obrigado por sua consideração,

Em Cristo Jesus,


E.”

Caso, após duas tentativas, você não obtenha resposta ou obtenha respostas negativas, então será necessário recorrer à Comissão Ecclesia Dei. Embora não seja necessário, neste momento seria muito oportuno que se demonstrasse a existência de um grupo sólido e numeroso de fiéis que desejam a Missa Tridentina na Diocese, pelo que, também aqui, um abaixo assinado será bastante útil.

Pode-se usar o modelo abaixo:

Limeira, DD/MM/AA

Comissão Ecclesia Dei,

Sua Eminência Cardeal Dario Castrillon Hoyos,

Presidente, Piazza del Sant’Uffizio 11,

010120, Vatican City, Italy.

V. Exa. Revma,

Sou membro da Paróquia XX, de Limeira, Brasil.

Respeitosamente, peço sua ajuda para ter a Missa de São Pio, V celebrada em minha diocese de acordo com o Missal do Beato João XXIII. Escrevi repetidas vezes ao meu pároco, Pe. XX, e ao meu bispo, Dom XX, mas não obtive resposta deles (ou obtive respostas negativas). Poderia V. Exa. Revma nos apontar um capelão ou erigir uma paróquia pessoal para este fim? Isto muito nos ajudaria a não apenas ter a Missa Tridentina todos os dias, mas, também, a termos casamentos, funerais e os outros sacramentos administrados de acordo com o antigo ritual. Há um padre em nossa diocese (ou em uma diocese vizinha), Pe. YY, que está apto para ser um capelão, tendo já se mostrado disposto a tanto.

Desejo a V. Exa. Revma. as graças e bençãos de Deus,

Em Cristo Jesus,

E.”

Espero tê-lo ajudado, rogando para que nossos leitores de Limeira e região entrem em contato com você.
Alexandre.

OBS: Modelo de petição baseado no disponível em http://unavoce.org/articles/2007/SP_Advice.html. 

Facebook Comments

Livros recomendados

A morte felizAntônio Torres – Uma AntologiaA Paz na Família