Pax et bonun!

Primeiramente louvo a Deus por conservar católicos fervoros e prontos a defender a verdadeira Igreja de Jesus Cristo a todo momento, muito obrigado pelo sim de vocês.

Minha duvida é sobre dons e Carismas.

Sabemos que no batismo somos contemplados por Deus com os 7 dons do Espirito Santo, temos os frutos do Espirito Santo, que a pessoa que vive em estado de graça demonstra, mas gostaria de saber afinal, em que momento recebemos os dons carismáticos, recebemos pelo batismo ou recebemos quando pedimos mesmo? Uma pessoa não batizada pode receber algum dom ou carisma do Espirito Santo em uma oração por ela? enfim por exemplo: o dom de linguas, o cristão após seu batismo e confirmação ja o tem, ou ainda é preciso pedir?

Fico grato por esclarecimentos.

Fiquem na paz.

 

Alexandre

 

Caríssimo sr. Alexandre,

 

Seus elogios e seu agradecimento são fruto de sua imensa caridade e generosidade. Deus o abençoe!

 

Vamos à resposta.

 

As expressões "dons carismáticos" ou "carismas" podem se referir a várias realidades, todas que apontam para a origem no Espírito Santo e que "direta ou indiretamente, têm urna utilidade eclesial, pois são ordenados à edificação da Igreja, ao bem dos homens e às necessidades do mundo" (Cat., 799): a diferentes modos de vivência da fé expressos por um fundador, por exemplo, ou a dons espirituais que se apresentam de modo simples, ou ainda, a dons extraordinários. É com esse significado que o senhor se refere aos carismas em sua pergunta.

 

A tradição espiritual da Igreja os chama de graças gratis date, i.e, gratuitamente doadas, e são doadas pelo Espírito a quem Ele quer e no momento em que desejar. Como não são ordinários, ou seja, não se manifestam em todos os cristãos obrigatoriamente, não há propriamente um momento em que Deus os confere ao fiel, quando quer e em benefício da Igreja, não do próprio crente. Diferenciam-se, aliás, os chamados "sete dons do Espírito Santo" (ou dons propriamente ditos) dos "dons carismáticos" (que também são dados pelo Espírito Santo, e são listados, tradicionalmente, por São Paulo, em número de nove, mas que podem ser muitos mais), exatamente na medida em que os primeiros destinam-se à santificação pessoal do fiel, enquanto os carismas são para a edificação da comunidade.

 

"São, além disso, as graças especiais, chamadas também "carismas", segundo a palavra grega empregada por S. Paulo e que significa favor, dom gratuito, benefício. Seja qual for seu caráter, às vezes extraordinário, como o dom dos milagres ou das línguas, os carismas se ordenam à graça santificante e têm como meta o bem comum da Igreja. Acham-se a serviço da caridade, que edifica a Igreja." (Cat., 2003)

 

O dom carismático pode ser dado de uma maneira singela ao fiel, como também pode ser acompanhado de algum fenômeno extraordinário, de alguma graça sensível. E, em ambos os casos, poderá haver um aumento da graça santificante pela própria misericórdia de Deus, ou o conferimento de uma graça atual que nos faça aspirar ainda mais à santidade. Pode ser que o fiel nem mesmo queira o dom, e Deus o derrame diretamente sobre ele. Ou então que o fiel, inspirado pelo Espírito Santo, peça-o, ou receba uma oração de outros irmãos que suplicam pelo carisma. As situações serão variadas.

 

Enfim, um não-católico e mesmo um não-batizado podem receber dons carismáticos ou experimentar fenômenos místicos extraordinários, mas eles só o serão dados para mover sua alma à conversão. Nunca Deus daria um dom para confirmar um herege ou um pagão no erro. O caso de Cornélio, em At 10, é ilustrativo: o Espírito Santo move um pagão, mediante uma ação extraordinária, como meio de trazê-lo à verdadeira Igreja.

 

Recomendo o estudo do Compêndio de Teologia Ascética e Mística, de Adolphe Tanquerey, que trata com maestria desse e outros assuntos de espiritualidade.

 

Em Cristo,

 

Facebook Comments

Livros recomendados

Retorno e SaídaCientistas de BatinaReligião sob suspeita, A