Nome do leitor: Ormando Damião da Silva Gaiotte

Mensagem
========

Prezados senhores, Salve Maria!

Sou Católico Apostólico Romano, práticante e, minha leitura preferida é a Bíblia Sagrada. Claro, que de vez em quando encontro dificuldades de entender certas passagens. Uma delas é em Lc, 23,43. Quando Jesus disse ao ladrão arrenpedido “hoje  estarás comigo no paraíso”. Qual a explicação lógica, se Jesus demorou 40 dias para subir ao encontro do Pai?  Por favor, gostaria que os senhores me tirassem esta dúvida.

Deus os abençoem

Ormando Damião da Sialva Gaiotte


Prezado Ormando, a Santa Paz!

No original grego, o versículo de Lc 23,43 não possui a pontuação que temos no português. No original ele consta assim: “Jesus respondeu-lhe Em verdade te digo hoje estarás comigo no paraíso”.

Isto deu margem para que as traduções Adventistas e das Testemunhas de Jeová trouxessem: “Jesus respondeu-lhe: Em verdade te digo hoje: estarás comigo no paraíso”. Enquanto que em todas as outras traduções trazem: “Jesus respondeu-lhe: Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso”.

Nas traduções mais antigas, portanto as mais confiáveis, a alteração trazida pelos adventistas e testemunhas de Jeová são totalmente estranhas. Até os sermões dos Pais da Igreja corroboram com a interpretação católica: que Jesus prometeu que naquele mesmo dia, o Bom ladrão estaria com Ele no paraíso.

Então você pergunta: como o Bom ladrão poderia estar com Cristo no paraíso se Jesus só subiu aos céus depois de 40 dias?

Ora, os versículos seguintes registram que Jesus ao morrer confia seu espírito ao Pai: “Jesus deu então um grande brado e disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, dizendo isso, expirou” (Lc 23,46). Isto significa que o Espírito de Jesus foi para o Pai, que mora no Céu, logo Jesus quando morreu foi ao Céu, em espírito. Isto corrobora plenamente com o que consta no Eclesiastes: “E o pó volte à terra, como era, e o espírito volte a Deus que o deu” (Ecl 12,7).

O bom ladrão morreu no mesmo dia. Jesus lhe deu a salvação, pois reconheceu nele o verdadeiro arrependimento, além deste ter confessado sua Fé Nele. Segundo a Sagrada Tradição, São Dimas, que foi o bom ladrão, morreu em estado de Graça ( o mesmo estado em que ficamos após termos confessado nosso pecado ao sacerdote), logo não precisou passar pelo Purgatório, logo foi direto para o Céu.

Desta forma, conforme a Antiga Fé da Igreja, professamos:

Cremos na vida eterna. Cremos que as almas de todos aqueles que morrem na graça de Cristo – quer as que se devem ainda purificar no fogo do Purgatório, quer as que são recebidas por Jesus no Paraíso, logo que se separam do corpo, como sucedeu com o Bom Ladrão -, formam o Povo de Deus para além da morte, a qual será definitivamente vencida no dia da Ressurreição, em que estas almas se reunirão a seus corpos” (1).

Espero sinceramente tê-lo esclarecido.

Em Cristo Jesus,

Prof. Alessandro Lima.

Notas

(1) Papa Paulo VI. Apostolado Veritatis Splendor: Credo do Povo de Deus. Disponível em https://www.veritatis.com.br/article/1758. Desde 18/8/2003.

Facebook Comments

Livros recomendados

A Idade Média e o dinheiro: Ensaio de uma antropologia históricaA Mentalidade Anticapitalista – 2ª EdiçãoA psicologia da fé