O leitor Francisco Diego, de Fortaleza/CE, nos enviou a seguinte pergunta:

Mensagem
========

salve maria!por que que há pasrores protestantes usando clériga que os padres usam?obrigado!

Prezado Francisco,

A sua pergunta está equivocada. Ela deveria ser exatamente o contrário!

A veste correta e oficial da Igreja para todo clérigo é a veste talar (batina/sotana para clérigos até o grau de presbítero, e simarra para os bispos) com o colarinho romano. É proibido à um clérigo, por várias decisões de vários concílios, constituições apostólicas e também no direito canônico, usar roupas de um leigo e também ele deve se abster de cores berrantes incompatíveis com seu estado de vida (cf. Enciclopédia Católica, verbete Cleric, seção Obligations of Clerics, parágrafo 1).

O colarinho romano foi inventado por volta do século 17. Os anglicanos o passaram a utilizar no final do século 19.
Em vários verbetes da mesma Enciclopédia Católica e também em outros da Wikipedia há excelentes fontes descritivas da história das vestimentas eclesiásticas. Como, neste artigo, não é nossa intenção estudar o histórico completo e são vários os artigos, não os citarei aqui.

A “camisa de clergyman” com colarinho em forma de tira removível (e também o rabbat, que é uma falsa camisa de frente única ou colete com colarinho, para ser usada em conjunto com um blazer e assim imitar uma camisa ou batina) foi inventada pelos protestantes “evangélicos” anglicanos nos idos de 1960, para se diferenciar dos sacerdotes católicos e também dos sacerdotes anglicanos (rejeitando assim por completo a doutrina do sacerdócio). Logo logo esta camisa foi assumida por vários outros ramos “evangélicos” mais “tradicionais” dos Estados Unidos, desde os Episcopalianos até os Metodistas. Algumas seitas evangélicas neopentecostais também encorajam seus pastores a utilizar a camisa de clergyman, mas a maioria mesmo rejeita por completo qualquer coisa que tenha colarinho e que o faça parecer um Católico Romano.

O uso da camisa de clergyman por sacerdotes católicos em substituição à batina é regulamentado por cada bispo em sua diocese (ou pelas conferências episcopais), como uma exceção/concessão/dispensa e não como regra. A princípio não é permitido, a menos que o bispo assim o diga. Nos EUA, por exemplo, só se pode usar camisa clergyman preta. Em algumas dioceses porém os diáconos têm de usar camisa clergyman cinza ou azul-escura, para diferenciar dos presbíteros. Já aqui no Brasil, com ou sem regulamentações da CNBB a respeito, vemos qualquer clérigo utilizando camisas clergyman corais, multicoloridas, quadriculadas, listradas, com florzinhas, verde musgo, neon, e seja lá mais o que a imaginação e o mau-gosto permitirem, indo contra o princípio de que a cor da vestimenta clerical deve ser sóbria…

Salve Maria!

Facebook Comments