Espaço do Leitor

Leitor pergunta sobre pecado por contribuição.

[Leitor NÃO autorizou a publicação de seu nome no site] Nome do leitor: L.
Cidade/UF: Fortaleza
Religião: Católica

Mensagem
========

Caríssimos  membros do Veritatis Splendor,
Gostaria de agradecer-vos por esse apostolado. Nos últimos meses, eu passei por uma ”turbulência” espiritual e estou até agora – pelo menos acho- estou sendo recuperado e acho que vocês estâo sendo parte dessa ”recuperação”.

A minha pergunta é ralativamente simples: até que ponto peca-se por contribuição.
Eu tinha TOC- transtorno obsessivo-compulsivo- e acho que ficou ”reminiscências”. E, até onde eu sei, quem apresenta esse transtorno ”tem capacidade” de relacionar as coisas.
Vou dar um exemplo: se uma pessoa tem essa transtorno e evita dizer- ou ouvir- a palavra ”diabo”, com um pouco de tempo talvez ele não queira ouvir cachorro, nem vê-los. E com o tempo ela pode passar a querer se afastar de todos os animais, por que ”tem a ver com cachorro”, que por sua vez, ”tem a ver”- na concepção da pessoa-, sob algum aspecto, com a palavra ”diabo”.
Eu, graças a Deus, acho que já estou curado, sobrando apenas ”marcas”.
Juntando essa ”capacidade de relacionar” com um ”excessivo zelo religioso”- eu acho que, sob alguns aspectos , eu sou excessivamente zeloso-, eu acabo por privar-me de várias coisas, por achar que talvez eu estou contribuindo com algum pecado.
Vou dar exemplo, a fim de esclarecer melhor: Pelo que eu entendi, quem coopera com o aborto  pode sofre ex-comunhão, e, pelo que eu entendi, até as enfermeiras e vigilantes podem incorrer na excomunEu gostaria de saber o que é essa contribuição indireta? O governo não financia o aborto em certos casos? E nós, de certa forma, não ”pagamos” ao Governo para ele financiar o aborto?
Outro exemplo: é lícito assistir quaisquer programas, acessar quaisquer sites que não tenham orientação católica?
Ora, essa pergumta para vocês deve parecer absurda!
Se nos privarmos das ”mídias” sem orientação católica, não vai sobrar quase nenhuma.
Mas, ao mesmo tempo, sei que há uma hostilidade geral, por parte da mídia, em relação à Santa Igreja.
No momento, pois, que eu assisto o canal, não estou ”dando” audiência e ,de certa forma, contribuinda com a veiculação de posições ”anti-católicas”.
E no caso de programas protestantes- e canais protestantes, como a Record- é lícito assistí-los.
Já cheguei, inclusive a duvidar se eu podia entrar no ”Google”, visto que também é instrumento para a veiculação de ”atitudes anti-católicas”m mas até o ”site da Congreção do Clero” se utiliza do Google.
E sites que veiculão posições também ”anti-católicas”?
Pode-se acessa-los sem ”motivo diretamente religioso”, como para estudar algum assunto?
Reitero o meu agradecimento.
Que Deus, em Sua infibita bondade, abençoe-vos e vos guarde.

Prezado Leitor,

A Paz !!

Primeiramente, agradeço a confiança em nosso apostolado, e ficamos felizes de ajudar de alguma forma.

Com respeito ao TOC (transtorno obsessivo-compulsivo), ficamos felizes em saber que você já buscou tratamento e já está adiantado no processo de cura. Importante ressaltar, no entanto, para que você e outros que se encontrem na mesma situação saibam, que a pessoa que sofre de TOC tem tendência, no aspecto espiritual, a sofrer com escrúpulos.

Na definição de D Estêvão Bettencourt OSB:

Os escrúpulos de consciência são um estado de alma que vê pecado em tudo, situação esta que gera profunda angústia e mesmo desânimo e desespero. Podem ter um fundo doentio ou neurastênico. O escrupuloso tende a se fechar em seus julgamentos de ordem moral e não dar crédito aos conselhos que sabiamente lhe são ministrados para que se liberte de seu estado aflitivo. A escrupulosidade pode ter causas diversas: umas de ordem física, outras de ordem psíquica ou ainda de ordem moral. A superação de tal condição mórbida só pode ser obtida pela oração e pela obediência incondicional às normas provenientes de um diretor espiritual firme e bondoso. Pode ser útil também a colaboração de um psicólogo ou de um médico de formação cristã, respeitoso dos valores da fé.

Para uma explicação mais detalhada do que sejam escrúpulos, sugiro o link abaixo, que reproduz o texto na íntegra:

http://www.presbiteros.com.br/Sacramentos/Penit%EAncia/ESCR%DAPULOS.htm

Ressalto, caro leitor, que não afirmo ser este o seu caso, apenas aproveitei que trouxe o assunto à baila para recomendar a leitura do texto, que acredito ser de grande valia para todos.

No que se refere á contribuição indireta, há que se analisar o nexo causal entre a contribuição e o resultado, e verificar se a contribuição é causa determinante do resultado. Por exemplo: pago imposto para que este seja investido em saúde, educação, etc. Quem decide como esse dinheiro será gasto não sou eu, e sim os responsáveis pela política governamental, não tenho ingerência nisso. Dessa forma, o meu ato de pagar os impostos não é causa determinante da realização de abortos na rede pública de saúde – o que quer dizer que não estou pecando nem incorrendo em excomunhão.

Acessar sites não-católicos não é, em si mesmo, pecado, bem como não é pecado ouvir música secular, ver um filme, ler um livro… Não devemos dividir as coisas entre “católicas” e “não-católicas”, pois podemos cair no erro do puritanismo. Sobre isso recomendo um texto publicado aqui, sobre música secular, mas que pode se aplicar perfeitamente aos meios de comunicação:  http://www.veritatis.com.br/article/4149

Devemos buscar a santidade sem nos fecharmos em uma redoma, e sim, vivendo a realidade secular, como nas palavras de São Josémaria Escrivá:
“Tenho que terminar, meus filhos. Disse no começo que minhas palavras pretendiam anunciar alguma coisa da grandeza e da misericórdia de Deus. Penso tê-lo feito, falando de viver santamente a vida ordinária: porque uma vida santa em meio da realidade secular — sem ruído, com simplicidade, com veracidade — não será, porventura a manifestação mais comovente das magnalia Dei, dessas portentosas misericórdias que Deus sempre exerceu, e não deixa de exercer, para salvar o mundo?”

(Questões atuais do cristianismo  >  Amar o mundo apaixonadamente  > Ponto 123)

Portanto, caro leitor, tranqüilize sua consciência. Pode ter certeza que Nosso Senhor, que conhece os corações, vê o seu esforço em progredir na santidade. Que Deus lhe conceda todas as graças necessárias para esse progresso, e conte conosco no que precisar.

Em Cristo,

Maite Tosta

AMDG

Veja também  Leitor acusa a Igreja Católica de “intolerância”

Livros recomendados

“Eu Sou a Graça” – As Aparições de Nossa Senhora das Graças em Pernambuco10 Livros Que Todo Conservador Deve Ler – Mais Quatro Imperdíveis E Um ImpostorA caminho de Belém





About the author

Veritatis Splendor