Leitor NÃO autorizou a publicação de seu nome no site
Nome do leitor: L.
Cidade/UF: Ilhéus-ba
Religião: Católica

Mensagem
========

Salve Maria!
Olá pessoal do Veritatis, já enviei várias duvidas e felizmente vocês me responderam, recentemente fiquei pensando em que momento a hóstia se torna o Corpo de Cristo. Quando   ela é feita ou na missa? E desde já por via das dúvidas faço mais uma pergunta: caso a resposta for a segunda opção (na hora da missa) por que o Santíssimo fica exposto o dia todo na igreja para adoração? Espero a resposta. E não posso deixar de elogiar o lindo trabalho de vocês.
Que Jesus derrame todas as graças sobre vocês.

Caríssimo L.,
Obrigado pela confiança no Veritatis Splendor. Pedimos as suas orações para que Deus continue sempre nos auxiliando e nos utilizando como instrumentos.
A hóstia se torna o Corpo de Cristo durante a Santa Missa, mais precisamente durante a Oração Eucarística, em um momento conhecido popularmente como “elevação”, ou “consagração”. O sacerdote, após invocar o Espírito Santo sobre as espécies do pão e do vinho, pronuncia as palavras que Jesus pronunciou na Última Ceia: “Isto é o meu corpo, que será entregue por vós“, e “Este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança…“, e então eleva, cada uma por vez, a hóstia e o cálice. A prática de mostrar à assembléia o Corpo e o Sangue de Cristo na elevação estabeleceu-se para afirmar a presença real de Jesus e refutar as heresias que a negavam. Finalizando esse momento, e antes de retomar a Oração Eucarística, o sacerdote pronuncia: “Eis o mistério da fé”. Nesse momento já não há mais pão e vinho sobre o altar: tornaram-se o Corpo e o Sangue de Cristo. Chama-se TRANSUBSTANCIAÇÃO a esse verdadeiro milagre que ocorre em cada Santa Missa e que traz Jesus verdadeiramente presente em meio a nós, em seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade.

O Santíssimo pode ficar exposto em uma Igreja ou Capela para adoração porque aquela hóstia que está presente e visível ali no ostensório já foi consagrada em alguma Missa, e portanto não é mais pão, e sim o Corpo de Cristo. Portanto, adorar o Santíssimo Sacramento é adorar o próprio Cristo. Essa prática muito salutar sempre foi recomendada ao longo dos séculos pelos Papas. A presença de Jesus oculto nas espécies aparentes de pão e vinho durará enquanto durarem as espécies em si. A presença de Jesus só cessa quando muda a estrutura da espécie da hóstia consagrada, como acontece quando ela se molha, por exemplo. Simplesmente partir uma hóstia consagrada não retira dos fragmentos restantes a presença de Jesus. Por isso é importante termos o máximo cuidado, na hora da comunhão, para não se perder nenhuma partícula da hóstia consagrada.

Agradecemos sua participação, e esperamos tê-lo ajudado.

Em Cristo,
Daniel Pinheiro

Facebook Comments

Livros recomendados

José, o silenciosoRecordações sobre Mons. EscriváNão Trago Ouro Nem Prata