[Leitor autorizou a publicação de seu nome no site] Nome do leitor: Maria Thereza Tosta Camillo
Cidade/UF: Rio de Janeiro / RJ
Religião: Católica
Data: 18/02/2008 22:26

Mensagem
========

Aos membros do Apostolado Veritatis Splendor,

Paz e Bem!

Chamo-me Maria Thereza Tosta Camillo (Maite, para os amigos), tenho 33 anos e moro no Rio de Janeiro – RJ. Sou leitora assídua do VS, site do qual assino RSS e com o qual aprendo mais a cada dia.

Li a resposta da Sra. Evelyn Mayer ao Sr. Dimas Galvão, e gostaria de tecer alguns comentários.

Realmente, quando o assunto é a defesa da vida, a participação feminina é sempre cobrada. Esquecem que as mulheres católicas não são militantes barulhentas como as feministas porque usam seu tempo nas atividades que são próprias de sua dignidade feminina, santificando-se no estudo, no trabalho e principalmente como mães, esposas, filhas… isso não quer dizer que não tenhamos opiniões próprias, nem que não estejamos engajadas na defesa da vida.

O Sr. Dimas diz que há uma “multidão de católicos engajados, atuantes”, que aprovam a inserção da fala de Dulce Xavier, das CDD, no DVD da CF 2008.

Gostaria de apontar que, embora possa haver uma multidão de pessoas engajadas e atuantes na legalização do aborto no Brasil, não se pode dizer que entre elas há católicos, uma vez que no mínimo é uma grande incoerência declarar-se católico e promover a cultura da morte, pois, como disse D. Eugênio Sales: «se assim nos declaramos, não nos é lícito escolher, do corpo doutrinário, o que nos agrada e rejeitar os pontos que não nos convêm». Ademais, todos os que cooperam, mesmo moralmente, com a prática do aborto, incorrem em excomunhão latae sententiae.

A propaganda abortista centra sua mensagem sempre na figura da mulher.  Sou mulher, minha vida com certeza vale muito, mas não é possível fazer qualquer ponderação entre a minha vida e a de outro ser humano. Como alguém pode achar que tem poder de decidir quais vidas valem mais que as outras? E qual o critério ?

Ao Sr. Dimas:

Saiba que, pela vida, lutam muitos homens e mulheres convictos, engajados e atuantes, e principalmente – plenamente católicos, submissos . Não se preocupe saber em quantos somos, pois isso é um mero detalhe, uma vez que temos do nosso lado Aquele que é.

Quanto à multidão de pessoas que o senhor mencionou, rezo para que, no espírito da quaresma, voltem-se para Deus e se convertam plenamente, para a única Verdade, a de Jesus Cristo, proclamada por Sua Igreja.

Ad Majorem Dei Gloriam,
Maite Tosta

Facebook Comments

Livros recomendados

Tibieza e os dons do Espírito SantoO que mais importa aprenderA Hora das Hidrovias