[Após] os ritos iniciais, que se concluem com a oração do dia ou a oração de coleta, inicia-se a Liturgia da Palavra. Nesta,através da proclamação das leituras, Deus fala diretamente a seu povo, como diz o documento Sacrosanctun Concilium, “…presente está pela sua Palavra, pois é Ele mesmo quefala quando se lêem as Sagradas Escrituras na igreja” (SC 7).

A estrutura da Liturgia da Palavra é muito simples. Segundo a Instrução Geral sobre o Missal Romano (IGMR), essa parte da liturgia é constituída pelas leituras da Sagrada Escritura e pelos cantos que ocorrem entre elas, sendo desenvolvida e concluída pela homilia. Depois disso, temos a profissão de fé e a oração universal ou oração dos fiéis (cf. IGMR 55). Claro que algumas partes são diferenciadas quando se celebra a missa no domingo e na semana.Qual o objetivo da Liturgia da Palavra? Pelas leituras da Palavra de Deus e pela explicação desta, pela homilia, Deus fala a seu povo, dirige-lhe sua mensagem, revela, ainda, o seu mistério de amor, de salvação e de redenção aos seus filhos e filhas, oferecendo-se como alimento espiritual. Na verdade, pela Liturgia da Palavra, Deus está no meio de seus filhos e filhas, revelando-se em seu rosto de amor (cf. IGMR 55). (…)

A Palavra de Deus nos domingos e nos dias de semana

Com a reestruturação e a reforma da liturgia, depois do Concílio Vaticano II, a Liturgia da Palavra da Eucaristia foi reformulada. A partir do Concílio temos três livros para as leituras, também chamados Lecionários: o Lecionário Dominical (para as celebrações de domingo e outras festas litúrgicas), o Lecionário Semanal (para as missas durante a semana) e o Lecionário Santoral (para as festas dos santos e santas). Todos esses lecionários abarcam em si a riqueza da Palavra de Deus e nos apresentam textos para as diversas circunstâncias, para as diversas festas do ano litúrgico, procurando sempre lançar luzes sobre a nossa vida de fé.

Vamos dar uma olhada em cada um desses lecionários.

Lecionário Dominical – a Palavra de Deus nos domingos. Neste lecionário encontramos as leituras para todos os domingos do ano litúrgico, que se dividem em ano A (onde se lê o evangelho de Mateus), ano B (evangelho de Marcos) e ano C (evangelho de Lucas). Para cada domingo haverá uma seleção de primeira leitura, salmo responsorial ou de meditação, segunda leitura, aclamação ao evangelho, com o versículo aleluiático, e o próprio evangelho.

É importante que cada equipe de liturgia saiba o ano litúrgico em que estamos. O ano litúrgico segue uma seqüência lógica, por exemplo, estamos no ano de 2008, ano A, evangelho de São Mateus; em 2009, será o ano B, evangelho de Marcos; em 2009, será o ano C, evangelho de Lucas, e assim sucessivamente, ou seja, no ano de 2010 leremos, novamente, o evangelho de Mateus, pois estaremos, de novo, no ano A, e assim por diante.

Lecionário Semanal – o nosso dia a dia guiado pela Palavra de Deus. Este tem uma divisão um pouco diferente. Na semana, o lecionário divide a primeira leitura e o salmo de meditação entre ano par e ano ímpar. Ou seja, estamos no ano de 2008, por isso, a primeira leitura e o salmo de meditação serão do ano par. Somente o evangelho é o mesmo, seja ano par, ou ímpar.

No caso do evangelho durante as eucaristias na semana, no decorrer de um ano litúrgico percorremos os principais textos dos quatro evangelhos.

Lecionário Santoral – os santos e santas vistos à luz da Palavra de Deus. Esse, como o próprio nome diz, é utilizado nas festas dos santos e santas. Traz sempre leituras, salmos de meditação e evangelhos que nos ajudam a focalizar a vida daquele santo, que se deixou guiar pela Palavra de Deus. O lecionário traz ainda uma série de sugestões para missas solenes dos padroeiros e padroeiras de comunidade, quando estas caem na semana. No domingo, sempre prevalecem as leituras do domingo correspondente.A Palavra de Deus deve ser cada vez mais valorizada em nossas celebrações. Bem proclamadas, ela deve cair fundo no coração de novo povo. Ela é “lâmpada para meus pés”. Deve ser um guia na vida de cada um de nós. E ela será tanto mais eficaz quanto melhor ela for pro-

clamada na assembléia litúrgica. Por isso, devemos preparar bem os nossos leitores, para que sejam verdadeiros proclamadores da Palavra de Deus. Preparada em casa, sentida antes por aquele que vai proclamar, ela se torna canal de diálogo de Deus com seu povo.

Facebook Comments

Livros recomendados

Retorno e SaídaO Segredo de Maria (Cléofas)Canções e Elegias