LITURGIA EUCARÍSTICA

 

Preparação do Altar e das Ofertas

 

(sentados)

 

Após a Liturgia da Palavra, é iniciado o cântico do ofertório. Enquanto isso, os ministros colocam o corporal, a âmbula, o cálice e o missal sobre o altar.

 

Hóstia suficientes (e vinho) para a comunhão dos fiéis devem ser preparadas. É muito importante que os fiéis possam receber o Corpo do Senhor em hóstias consagradas na mesma Missa, e que possam partilhar do cálice quando permitido. A Comunhão é, pois, um sinal claro de participação no sacrifício que se torna realmente presente.

 

É desejável que a participação dos fiéis possa ser expressa por membros da congregação levando o pão e o vinho para a celebração da Eucaristia, ou outras ofertas para as necessidades da Igreja e dos pobres.

 

O sacerdote, permanecendo no presbitério, toma a patena com o pão e o levanta levemente acima do altar, dizendo em voz baixa:

Benedictus es, Domine, Deus universi, quia de tua largitate accepimus panem, quem tibi offerimus, fructum terrae et operis manuum hominum: ex quo nobis fiet panis vitae.

 

Então, ele coloca a patena com o pão sobre o corporal.

 

Se não houver cântico de ofertório, o sacerdote diz as palavras precedentes em voz audível; em seguida, o povo deve responder:

Benedictus Deus in saecula.

 

O diácono (ou o sacerdote) põe vinho e um pouco de água no cálice, dizendo em voz baixa:

Per huius aquae et vini mysterium eius efficiamur divinitatis consortes, qui humanitatis nostrae fieri dignatus est particeps.

 

Em seguida, o sacerdote toma o cálice e o levanta levemente acima do altar, dizendo em voz baixa:

Benedictus es, Domine, Deus universi, quia de tua largitate accepimus vinum, quod tibi offerimus, Fructum vitis et operis manuum hominum, ex quo nobis fiet potus spiritalis.

 

Então, ele coloca o cálice sobre o corporal.

 

Se não houver cântico de ofertório, o sacerdote diz as palavras precedentes em voz audível; em seguida, o povo deve responder:

Benedictus Deus in saecula.

 

O sacerdote, então, faz a devida vênia ao altar, e diz, em voz baixa:

In spiritu humilitatis et in animo contrito suscipiamur a te, Domine; et sic fiat sacrificium nostrum in conspectu tuo hodie, ut placeat tibi, Domine Deus.

 

Ele pode agora incensar as oferendas e o altar. Depois disso, o diácono ou um ministro incensa o sacerdote e o povo.

 

O sacerdote se coloca ao lado do altar e lava suas mãos, dizendo em voz baixa:

Lava me, Domine, ab iniquitate mea, et a peccato meo munda me.

 

Colocando-se no centro do altar, ele olha para o povo, e então estende e depois junta suas mãos, dizendo:

Orate, fratres: ut meum ac vestrum sacrificium acceptabile fiat apud Deum Patrem omnipotem.

 

E o povo responde:

Suscipiat Dominus sacrificium de manibus tuis ad laudem et gloriam nominis sui, ad utilitatem quoque nostram totius que Ecclesiae suae sanctae.

 

Oração sobre as Ofertas

 

(próprio)

 

Com as mãos estendidas, o sacerdote canta ou diz a Oração sobre as Ofertas, ao final da qual todos respondem:

Amen.

 

Início da Oração Eucarística

 

(em pé)

 

Com as mãos estendidas, o sacerdote canta ou diz:

Dominus vobiscum.

 

O povo responde:

Et cum spiritu tuo.

 

Sacerdote (com as mãos unidas):

Sursum corda.

 

E o povo:

Habemus ad Dominum.

 

Sacerdote (com as mãos novamente estendidas):

Gratias agamus Domino Deo nostro.

 

Povo:

Dignum et ustum est.

 

O sacerdote continua a Oração Eucarística com o Prefácio, mantendo as mãos estendidas. O Prefácio varia de acordo com o tempo litúrgico, festa ou ocasião em que a Missa é celebrada, e com qual Oração Eucarística é utilizada. A Oração Eucarística III pode ser usada com qualquer Prefácio.

 

Prefácio

 

(próprio)

 

A. (varia de acordo com as circunstâncias)

 

Vere dignum et iustum est, aequum et salutare, nos tibi semper et ubique gratias agere: Domine, sancte Pater, omnipotens aeterne Deus…

 

B. (geralmente usado com a Oração Eucarística II)

 

Vere dignum et iustum est, aequum et salutare, nos tibi, sancte Pater, semper et ubique gratias

agere per Filium dilectionis tuae Iesum Christum, Verbum tuum per quod cuncta fecisti: quem misisti nobis Salvatorem et Redemptorem, incarnatum de Spiritu Sancto et ex Virgine natum.

 

Qui voluntatem tuam adimplens et populum tibi sanctum acquirens extendit manus cum pateretur, ut mortem solveret et resurrectionem manifestaret.

 

Et ideo cum Angelis et omnibus Sanctis gloriam tuam praedicamus, una voce dicentes:

 

C. (sempre com a Oração Eucarística IV)

 

Vere dignum est tibi gratias agere, vere iustum est te glorificare, Pater sancte, quia unus es Deus vivus et verus, qui es ante saecula et permanes in aeternum, inaccessibilem lucem inhabitans; sed et qui unus bonus atque fons vitae cuncta fecisti, ut creaturas tuas benedictionibus adimpleres multasque laetificares tui luminis claritate.

 

Et ideo coram te innumerae astant turbae angelorum, qui die ac nocte serviunt tibi et, vultus tui gloriam contemplantes, te incessanter glorificant.

 

Cum quibus et nos et, per nostram vocem, omnis quae sub caelo est creatura nomen tuum in exsultatione confitemur, canentes:

 

Terminado o Prefácio, ele une suas mãos, e junto com o povo conclui, cantando ou dizendo em voz alta:

Sanctus, Sanctus, Sanctus Dominus Deus Sabaoth. Pleni sunt caeli et terra gloria tua. Hosanna in excelsis. Benedictus qui venit in nomine Domini. Hosanna in excelsis.

 

Nas Missas cantadas, o sacerdote pode cantar as partes em que, em uma Missa concelebrada, podem ser cantadas. A Oração Eucarística continua.

 

Preparação da Assembléia para a Comunhão

 

Depondo o Corpo e o Sangue do Senhor sobre o corporal no altar, o sacerdote convida o povo a cantar o Pai Nosso, dizendo:

Praeceptis salutaribus moniti, et divina institutione formati, audemus dicere.

 

E todos rezam juntos:

Pater noster, qui es in caelis: sanctificetur nomen tuum; adveniat regnum tuum; fiat voluntas tua, sicut in caelo, et in terra. Panem nostrum cotidianum da nobis hodie; et dimitte nobis debita nostra, sicut et nos dimittimus debitoribus nostris: et ne nos inducas in tentationem; sed libera nos a malo.

 

O sacerdote contuinua:

Libera nos, quaesumus, Domine, ab omnibus malis, da propitius pacem in diebus nostris, ut, ope misericordiae tuae adiuti, et a peccato simus semper liberi et ab omni perturbatione securi: exspectantes beatam spem et adventum Salvatoris nostri Iesu Christi.

 

Todos:

Quia tuum est regnum, et potestas, et gloria in saecula.

 

Rito da Paz

 

O sacerdote reza:

Domine Iesu Christe, qui dixisti Apostolis tuis: Pacem relinquo vobis, pacem meam do vobis: ne respicias peccata nostra, sed fidem Ecclesiae tuae; eamque secundum voluntatem tuam paceficare et coadunare digneris.

 

Todos:

Amen.

 

O sacerdote deseja a todos:

Pax Domini sit semper vobiscum.

 

Todos:

Et cum spiritu tuo.

 

O diácono (ou sacerdote, em sua falta) convida:

Offerte vobis pacem.

 

Segundo o costume, manifestam todos a paz e a caridade aos mais próximos, com um gesto simples de fraternidade.

 

Fração do Pão

 

Enquanto o sacerdote fraciona o pão, diz em voz baixa:

Haec commixtio Corporis et Sanguinis Domini nostri Iesu Christi fiat accipientibus nobis in vitam aeternam.

 

O povo, durante a fração, reza:

Agnus Dei, qui tollis peccata mundi: miserere nobis. Agnus Dei, qui tollis peccata mundi: miserere nobis. Agnus Dei, qui tollis peccata mundi: dona nobis pacem.

 

Rito da Comunhão

 

O sacerdote reza em silêncio:

A. Domine Iesu Christe, Fili Dei vivi, qui ex voluntate Patris, cooperante Spiritu Sancto, per mortem tuam mundum vivificasti: libera me per hoc sacrosanctum Corpus et Sanguinem tuum ab omnibus iniquitatibus meis et universis malis: et fac me tuis semper inhaerere mandatis, et a te num quam separari permittas.

 

Ou:

 

B. Perceptio Corporis et Sanguinis tui, Domine Iesu Christe, non mihi proveniat in iudicum et condemnationem: sed pro tua pietate prosit mihi ad tutamentum mentis et corporis, et ad medelam percipiendam.

 

Toma o sacerdote a hóstia e, elevando-a, diz:

Ecce Agnus Dei, ecce qui tollit peccata mundi. Beati qui ad cenam Agni vocati sunt.

 

Todos respondem:

Domine, non sum dignus ut intres sub tectum meum: sed tantum dic verbo, et sanabitur anima mea.

 

O sacerdote reza em silêncio:

Corpus Christi custodiat me in vitam aeternam. Sanguis Christi custodiat me in vitam aeternam.

 

Ao distribuir a Comunhão aos fiéis, o sacerdote diz:

Corpus Christi.

 

E o fiel responde:

Amen.

 

Purificação

 

Enquanto faz a purificação dos vasos, o sacerdote reza em silêncio:

Quod ore sumpsimus, Domine, pura mente capiamus, et de munere temporali fiat nobis remedium sempiternum.

 

Ação de Graças

 

Conserva-se o silêncio ou entoa-se um hino. Pode-se também recitar orações segundo o costume.

 

Oração depois da Comunhão

 

(próprio)

 

O sacerdote, com as mãos unidas, canta ou diz:

 

Oremus.

 

O sacerdote e o povo fazem um breve momento de silêncio.

 

Então, o sacerdote estende suas mãos e canta ou diz a Coleta, ao final da qual o povo responde:

Amen.

 

 

RITOS FINAIS

 

Avisos

 

Podem ser dados, neste momento, os avisos que interessem à comunidade.

 

Bênção

 

O sacerdote convida:

Dominus vobiscum.

 

Todos respondem:

Et um spiritu tuo.

 

Dá, então, a benção:

Benedicat vos omnipotens Deus, Pater, et Filius, + et Spiritus Sanctus.

 

Despedida

 

O diácono ou o sacerdote diz:

Ite, missa est.

 

Todos:

Deo gratias.

 

Os ministros beijam o altar, genufletem diante do tabernáculo e saem em procissão. Pode-se entoar um hino.

 

 

Facebook Comments

Livros recomendados

Onde está o meu Deus?BriggflattsO Canto do Violino – E Outros Ensaios Inéditos