Espaço do Leitor

Mais do mesmo: leitor católico questiona sobre imagens

De: “Jerônimo Lima”

Por favor me expliquem essas passagens na BÍBLIA….

vou colocar até com os nomes completo, pois acredito q não leêm a BÍBLIA…

NÚMEROS=> 33:52

DEUTERONÔMIO=> 7:25-26

DEUTERONÔMIO=> 18:9

DEUTERONÔMIO=> 27:15

ISAIAS=> 2:8-9 E 18-20

ISAIAS=> 66:3-4

ISAIAS=> 41:29

ISAIAS=> 45:20

JEREMIAS=> 10:1-16

JEREMIAS=> 50:38

ATOS=> 15:20

I CORINTIOS=> 8:4-7

I CORINTIOS=> 10:19-20

II CORINTIOS=> 4:4

I JOÃO=> 5:21

APOCALIPSE=> 21:8

APOCALIPSE=> 22:15


BOM, ESSAS POR ENQUANTO, SE SOUBEREM ME RESPONDER MANDAREI MAIS, POIS,SOU CATÓLICO E ESTOU COM MUITAS DÚVIDAS E LEIO A BÍBLIA…

SIM, E…

MARIA SALVA????????????????????????

SE SALVA ME MOSTREM ONDE ESTÁ ESCRITO E SE NÃO ESTÁ ESCRITO PQ CUTUÁ-LA, POIS EM “ECLESIASTES 9:4” NOS FALA QUE “…OS MORTOS NÃO SABEM COISA NENHUMA…” E SE NÃO SABEM ENTÃO DEIXEM ELES EM PAZ.

QUE O VERDADEIRO JESUS CRISTO OS ABENÇOE AMÉM.


Caro Jerônimo, quero agradecer, antes de iniciar a resposta, sua participação.

Todos os leitores querem, como você, que nós “falemos da verdade”. É esse o nosso alvo neste trabalho de defesa da verdade contra as heresias. Tentamos sempre ser fiéis seguidores da doutrina da Igreja Católica, fiéis ao Papa, ao magistério e aos seus santos e doutores. Claro que não sabemos tudo, muito menos temos essa impossível pretensão, por isso nosso trabalho se torna limitado pela própria limitação do conhecimento humano e das imperfeições do nosso intelecto. Mas não faltam documentos, fontes onde possamos extrair ao máximo um pouco de dados para solucionar as nossas dúvidas, e as dos leitores também.

Não posso deixar de dizer, também, que fiquei curioso quanto à sua postura nesta mensagem, Você parece nos atacar. Quando você diz: “vou colocar até com os nomes completo, pois acredito q não leêm a BÍBLIA…“, e depois diz “SOU CATÓLICO E ESTOU COM MUITAS DÚVIDAS“, parece que você não nos dá o crédito que qualquer um daria a alguém que crê que possa esclarecer um determinado assunto. Você diz que acredita que não lemos a Bíblia, então como você quer que solucionemos as suas “muitas dúvidas” se a vantagem do conhecimento parecer estar com você, quando você diz: “LEIO A BÍBLIA…“, em contrapartida com a sua crença de que nós não o fazemos?

Penso que quando queremos alguma de nossas dúvidas respondidas, perguntamos a alguém que sabe mais, ou pelo menos achamos que sabe mais. Todos na escola já perguntaram a um outro colega sobre aquela difícil equação matemática ou qual a fórmula do movimento uniformemente variado, etc. Quando não damos crédito ao professor jamais perguntaremos a ele, mas ao dito “CDF” da turma, porque ele lê os livros e sabe do que se trata. É o nosso crédito no outro que nos leva a ele para os seus esclarecimentos.

Imagine que um homem bata à sua porta agora. Você abre a porta e vê que o homem começa a falar sobre Deus, e que Deus o enviou para uma mensagem. E que esta mensagem diz respeito a você. Você acredita no homem? Se não acredita e fecha a porta, não se culpe pois seria o que a grande maioria das pessoas também fariam. Mas se você pára o que está fazendo e o ouve, é porque esse homem aparenta ter firmeza e autoridade no que fala, e você confia na sua percepção, e com isso, credita ao homem a possibilidade de ele estar mesmo ali para lhe revelar algo importante. Da mesma forma precisou de confiança em suas palavras o apóstolo Paulo, quando falava de Jesus para pessoas que nem sequer eram judias. Jesus não apareceu para as pessoas para afirmar o que Paulo ensinava. Mas Jesus deu a Paulo o poder para demonstrar através até mesmo de um simples dom de oratória, para cativar os seus ouvintes, e estes passarem a acreditar em Jesus, por meio de Paulo.

Como, então, eu poderei responder ao que você pergunta, se o que você deixa transparecer é que você é mais preparado que eu? Mais digno de confiança doutrinária e de fundamentação bíblica que eu? Por isso fiquei tentado em não responder sua pergunta, porque a imagem que me veio foi de um rápido “PAGE DOWN” no texto, seguindo de um também rápido “DELETE” do mesmo.

Mas felizmente o nosso trabalho não é para uma pessoa só. É para a grande quantidade de pessoas, católicas ou não (até mesmo as que se dizem católicas…), que querem, de verdade, ter suas dúvidas clareadas. E é para esse tipo de pessoa que trabalhamos, e é por elas que me detive na frente do computador para escrever esta resposta. Com certeza muitos encontrarão respostas melhores que a minha, posto que não gozo da formação teológica que queria, e por isso aconselho aos internautas que não descansem em buscar fontes para incrementar seus conhecimentos acerca da doutrina da Igreja Católica.

Os 18 versículos que você quer que eu explique são estes:

NÚMEROS 33:52 expulsareis de diante de vós todos os habitantes da terra, destruireis todas as suas pedras esculpidas, todas as suas estátuas fundidas e devastareis todos os seus lugares altos.

DEUTERONÔMIO 7:25-26 Queimareis as imagens esculpidas de seus deuses, mas não cobiçareis a prata nem o ouro de que são revestidas, nem delas tomareis nada, para que isso não te seja um laço, pois são uma abominação para o Senhor. Não introduzirás em tua casa coisa alguma abominável, porque serias, como ela, votado ao interdito. Tê-la-ás em extremo horror e grande abominação, porque é votada ao interdito.

DEUTERONÔMIO 18:9 Quando tiveres entrado na terra que o Senhor, teu Deus, te dá, não te porás a imitar as práticas abomináveis da gente daquele terra.

DEUTERONÔMIO 27:15 Maldito o homem que fabrica ídolo de madeira ou metal (abominação para o Senhor, obra de mãos de artesão), e o erige mesmo que seja em lugar escondido! E todo o povo responderá: Amém!

ISAIAS 2:8-9 E 18-20 A sua terra está cheia de ídolos; os homens se prosternam diante da obra de suas mãos, diante daquilo que seus dedos fabricaram. Os mortais serão abatidos e o homem será humilhado; vós não os perdoareis de maneira nenhuma. (…) e todos os ídolos desaparecerão. Refugiai-vos nas cavernas dos rochedos, e nos antros da terra, sob o impulso do terror do Senhor, e do esplendor de sua majestade, quando ele se levantar para aterrorizar a terra. Naquele tempo o homem lançará aos ratos e aos morcegos os ídolos de prata e os ídolos de ouro, que para si tinha feito a fim de adorá-los;

ISAIAS 66:3-4 Imola-se um boi e mata-se um homem, sacrifica-se uma ovelha e parte-se a nuca de um cão, apresenta-se uma oblação e derrama-se sangue de porco, queima-se incenso e veneram-se ídolos; tal como essa gente adere a suas práticas, e aprecia seus atos abomináveis, também eu terei prazer em maltratá-los. E farei vir sobre eles os males que temem, porque chamei, sem que ninguém me respondesse, falei, sem que me escutassem, porque fizeram aquilo que considero um mal, e escolheram o que me desagrada.

ISAIAS 41:29 Pois bem, todos eles nada são, suas obras são nulas. Suas estátuas, vazias como o vento.

ISAIAS 45:20 Vinde, reuni-vos todos, aproximai-vos, vós que fostes salvos dentre as nações! Nada disso compreendem aqueles que trazem seu ídolo de madeira, aqueles que oram a um deus impotente para salvar.

JEREMIAS 10:1-16 Escutai, casa de Israel, a palavra que o Senhor vos dirige! Oráculo do Senhor: Não imiteis o procedimento dos pagãos; nem temais os sinais celestes, como os temem os pagãos, porquanto os deuses desses povos são apenas vaidade. São cepos abatidos na floresta, obra trabalhada pelo cinzel do artesão, decorada com prata e ouro. A golpes de martelo são-lhes fixados os pregos (e postos em seus lugares) para que não se movam. Assemelham-se esses deuses a uma estaca em campo de pepinos, que devem ser levados, pois não caminham. Não os temais, pois que vos não podem fazer mal, nem têm o poder de fazer o bem. Nenhum se assemelha a vós, Senhor, que sois grande. E por causa de vosso poder, grande é também vosso nome. Quem não vos há de temer, rei dos povos? A vós é devido todo respeito, porquanto entre os sábios dos povos pagãos, e nos seus reinos, nenhum se assemelha a vós. São todos eles néscios e insensatos, e seus ensinamentos são vaidade, pura lenha. É prata batida, importada de Társis, ouro de Ofir, trabalho de escultor e de ourives, revestido de púrpura arroxeada e vermelha: não passam de obra de artista.  O Senhor, ao contrário, é verdadeiramente Deus, Deus vivo, eterno rei. Treme a terra ante a sua cólera, e os povos pagãos não podem suportar sua ira. (Dir-lhes-eis, portanto: os deuses que não fizeram o céu e a terra desaparecerão da terra e de sob os céus.) Só ele criou a terra pelo seu poder e consolidou o mundo pela sua sabedoria, desdobrando os céus pela sua inteligência. Ao som de sua voz, reúnem-se as águas nos céus; dos confins da terra manda subir as nuvens, e transforma os relâmpagos em chuvas, fazendo desencadearem-se os ventos de seus redutos. Então, os homens se tornam estupefatos e aturdidos, e se envergonha o artista da estátua que concebeu, porque são apenas mentira os ídolos que fundiu, e neles não respira vida.  São apenas vãos simulacros que se desvanecerão no dia do castigo. Não se dá o mesmo com aquele que é a herança de Jacó, pois foi ele que tudo criou, e Israel é a sua tribo. E seu nome é JAVÉ dos exércitos.

JEREMIAS 50:38 À espada suas águas, para que se esgotem! Porquanto é uma terra de ídolos, de gente apaixonada por seus espantalhos!

ATOS 15:20 Mas que se lhes escreva somente que se abstenham das carnes oferecidas aos ídolos, da impureza, das carnes sufocadas e do sangue.

I CORINTIOS 8:4-7 Assim, pois, quanto ao comer das carnes imoladas aos ídolos, sabemos que não existem realmente ídolos no mundo e que não há outro Deus, senão um só. Pretende-se, é verdade, que existam outros deuses, quer no céu quer na terra (e há um bom número desses deuses e senhores). Mas, para nós, há um só Deus, o Pai, do qual procedem todas as coisas e para o qual existimos, e um só Senhor, Jesus Cristo, por quem todas as coisas existem e nós também. Todavia, nem todos têm esse conhecimento. Alguns, habituados ao modo antigo de considerar o ídolo, comem a carne como sacrificada ao ídolo; e sua consciência, por ser débil, se mancha.

I CORINTIOS 10:19-20 Que quero afirmar com isto? Que a carne sacrificada aos ídolos ou o próprio ídolo são alguma coisa? Não! As coisas que os pagãos sacrificam, sacrificam-nas a demônios e não a Deus. E eu não quero que tenhais comunhão com os demônios.

II CORINTIOS 4:4 para os incrédulos, cujas inteligências o deus deste mundo obcecou a tal ponto que não percebem a luz do Evangelho, onde resplandece a glória de Cristo, que é a imagem de Deus.

I JOÃO 5:21 Filhinhos, guardai-vos dos ídolos!

APOCALIPSE 21:8 Os tíbios, os infiéis, os depravados, os homicidas, os impuros, os maléficos, os idólatras e todos os mentirosos terão como quinhão o tanque ardente de fogo e enxofre, a segunda morte.

APOCALIPSE 22:15 Fora os cães, os envenenadores, os impudicos, os homicidas, os idólatras e todos aqueles que amam e praticam a mentira!

Eu poderia resumir todos estes versículos com três palavras: Deus abomina ídolos! E a explicação para isso é que Deus, diante de uma terra permeada de adoração a falsos deuses, a simples criaturas ou mesmo a demônios, resolve divulgar ao homem o que Ele quer que seja feito. Que todos esses ídolos sejam destruídos e que seja adorado o único e verdadeiro Deus, o único que criou o céu, a terra e tudo que nela há, o único que é digno da adoração dos homens. Por isso os deuses estrangeiros deveriam ser destruídos ou, no mínimo, o povo de Israel não deveria se aproximar deles. Tal lei é válida tanto na antiga quanto na nova aliança, posto que a existência de ídolos sempre vai existir, e a luta contra a idolatria, também.

Fim da primeira parte?

Por enquanto não. Isso porque sei que o objetivo desta pergunta foi a famosa acusação por parte dos protestantes (ou de “católicos que lêem a Bíblia”?) de que a Igreja Católica, por permitir que sejam feitas imagens, e que os seus membros as possuam e cultuem, incentiva a idolatria. Na verdade, que os católicos são idólatras! O carro chefe das argumentações protestantes…

Por isso penso que meu trabalho neste texto é, além de ter explicado o sentido dos versos que você queria, caro Jerônimo, é explicar o que creio ter sido a sua verdadeira intenção: “os católicos são idólatras, não lêem a Bíblia. Me expliquem essas passagens, pois acredito que não lêem a Bíblia. Me falem da verdade!”. Talvez tenha sido essa a verdadeira pergunta título deste texto. Se não foi, vai ser com base nela que vou responder.

A verdade é que os católicos não praticam idolatria por ter imagens. A verdade é que uma imagem não é um deus. A verdade é que Deus não proibiu a feitura de imagens de forma absoluta. A verdade é, finalmente, que os protestantes estão errados.

A Igreja Católica ensina, segundo o Catecismo da Igreja Católica (1159-1162), que:

        A imagem sacra, o ícone litúrgico, representa principalmente Cristo. Ela não pode representar Deus invisível e incompreensível; é a encarnação do Filho de Deus que inaugurou uma nova “economia” de imagens. Antigamente Deus, que não tem nem corpo nem aparência, não podia ser em absoluto representado por uma imagem. Mas agora, que se mostrou na carne e viveu com os homens, posso fazer uma imagem daquilo que vi de Deus (…) com o rosto descoberto, contemplamos a glória do Senhor (São João Damasceno, Imagens, 1, 16). A iconografia cristã transcreve pela imagem a mensagem evangélica que a Sagrada Escritura transmite pela palavra. Imagem e palavra iluminam-se mutuamente. Todos os sinais da celebração litúrgica são relativos a Cristo: são-no também as imagens sacras da santa mãe de Deus e dos santos. Significam o Cristo que é glorificado neles. Manifestam a “nuvem de testemunhas” (Hb 12,1) que continuam a participar da salvação do mundo e às quais estamos unidos, sobretudo na celebração sacramental. Através dos seus ícones, revela-se à nossa fé o homem criado “à imagem de Deus” (Rm 8, 29) e transfigurando-se “à sua semelhança” (1 Jo 3, 2), assim como os anjos, também recapitulados por Cristo. Na trilha da doutrina divinamente inspirada por nossos santos padres e da tradição da Igreja Católica, que sabemos ser a tradição do Espírito Santo que nela habita, definimos com toda a certeza e acerto que as veneráveis e santas imagens, bem como as representações da cruz preciosa e vivificante, sejam elas pintadas de mosaico ou de qualquer outra matéria apropriada, devem ser colocadas nas santas igrejas de Deus, sobre os utensílios e vestes sacras, sobre paredes e em quadros, nas casas e nos caminhos, tanto a imagem de Nosso Senhor, Deus e salvador, Jesus Cristo, como a de Nossa Senhora, a puríssima e santíssima mãe de Deus, dos santos anjos, de todos os santos e dos justos. (II Concílio Ecumênico de Nicéia, 787). A contemplação dos ícones santos, associada à meditação da Palavra de Deus e ao canto do hinos litúrgicos entra em harmonia dos sinais da celebração para que o mistério celebrado se grave na memória do coração e se exprima em seguida na vida nova dos fiéis.

A Bíblia apresenta, ainda que em número menor do que os sugeridos por você, episódios onde homens de fé fazem imagens, com objetivos variados, e não foram repudiados por seu povo ou abominados por Deus por este ato. Daí nós afirmarmos que o argumento de alguém se tornar idólatra porque possui uma imagem não é verdadeiro. Os versículos são os seguintes:

Êxodo 25,1.18-20.22: O Senhor disse a Moisés: Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido, nas duas extremidades da tampa, um de um lado e outro de outro, fixando-os de modo a formar uma só peça com as extremidades da tampa. Terão esses querubins suas asas estendidas para o alto, e protegerão com elas a tampa, sobre a qual terão a face inclinada. Ali virei ter contigo, e é de cima da tampa, do meio dos querubins que estão sobre a arca da aliança, que te darei todas as minhas ordens para os israelitas.

Números 21,8-9: e o Senhor disse a Moisés: ?Faze para ti uma serpente ardente e mete-a sobre um poste. Todo o que for mordido, olhando para ela, será salvo.?Moisés fez, pois, uma serpente de bronze, e fixou-a sobre um poste. Se alguém era mordido por uma serpente e olhava para a serpente de bronze, conservava a vida.

1 Reis 6,11-35: A palavra do Senhor foi então dirigida a Salomão nestes termos: …O santuário tinha por dentro vinte côvados de comprimento, vinte de largura e vinte de altura. Salomão revestiu-o de ouro fino, e cobriu o altar de cedro…Fez no santuário dois querubins de pau de oliveira, que tinham dez côvados de altura. Cada uma das asas dos querubins tinha cinco côvados, o que fazia dez côvados da extremidade de uma asa à extremidade da outra. O segundo querubim tinha também dez côvados; os dois tinham a mesma forma e as mesmas dimensões. Um e outro tinham dez côvados de altura. Salomão pô-los no fundo do templo, no santuário. Tinham as asas estendidas, de sorte que uma asa do primeiro tocava uma das paredes e uma asa do segundo tocava a outra parede, enquanto as outras duas asas se encontravam no meio do santuário. Revestiu também de ouro os querubins. Mandou esculpir em relevo em todas as paredes da casa, ao redor, no santuário como no templo, querubins, palmas e flores abertas. Cobriu de ouro o pavimento do edifício, tanto o do santuário como o do templo…Nos dois batentes de pau de oliveira mandou esculpir querubins, palmas e flores desabrochadas, e cobriu-as de ouro; cobriu de ouro tanto os querubins como as palmas…Mandou esculpir nelas querubins, palmas e flores desabrochadas, e cobriu tudo de ouro, ajustado às esculturas.

Bastam estes versículos para estudarmos com um pouco mais de interesse e seriedade aquele mandamento de Ex 20,4, onde Deus proíbe que se construam imagens de tudo que há na terra, no céu ou nas águas. Creio que o trabalho do exegeta ou de qualquer outro estudioso bíblico quando encontra passagens que parecem se contradizer seja exatamente buscar um estudo profundo sobre o seu significado. É o caso da aparente controvérsia entre Paulo e Tiago quanto ao binômio fé e obras. Porque os protestantes, então, aparentam não relacionar a existência dos versículos onde Deus manda construir imagens, ou abençoa o templo de Salomão (1Rs 9,3), cheio de imagens, com aqueles onde Deus abomina a adoração a ídolos, deuses estranhos, por meio de imagens de escultura?

Em relação à serpente de bronze, fogem ao assunto alegando que ela fora destruída pelo rei Ezequias (2Rs 18,4), quando este percebeu que esta havia deixado de ser uma legítima imagem sacra para ser alvo de adoração. Foi quebrada com razão, mas foi construída não com o propósito de ser um deus, mas de ser um meio por onde a cura de Deus chegaria a seu povo. Foi construída para fins legítimos, e os homens trataram de desviar sua origem. Os homens…

Creio que a grande discussão não seja “ter ou não ter” imagens, mas, tendo-as, “adorar ou não adorar”. Qual o sinal externo que um pessoa dá para que possamos entender que ela está adorando um deus? Seria elevar os braços, curvar-se, reclinar os joelhos, chorar, gritar? O que determina uma atitude externa de verdadeira adoração religiosa monoteísta? E como nós podemos identificá-la? A atitude de se prostrar significa adorar? Acaso Moisés adorou seu sogro (Ex 18,7)? Na verdade a verdadeira adoração é aquela feita em espírito e em verdade (Jo 4,23), e creio que somente Deus tem o poder de identificar quem o está adorando de verdade, porque Ele vê o coração, e sabe quem o honra apenas com lábios (mãos erguidas, choros, gritos, etc…) (Mt 15,8). Por isso acusar os católicos de idolatria por tais atos externos tanto ao corpo quanto à mente de quem vê é apenas mais um artifício protestante para justificar suas alegações. Fazendo isso tomam para si mesmos o papel de Deus, achando que podem sondar o coração do homem, ou, no mínimo, ler seus pensamentos.

Os católicos estão cada vez mais buscando conhecer a doutrina de sua Igreja. Ainda é um movimento meio incordenado e pouco sistemático, mas existe e estamos vendo cada dia que passa pessoas que conhecem as razões de sua fé. E não há nada que venha mais a calhar que estudar e entender essa questão das imagens. De fato, quem lê os versículos digamos “anti-imagens” da Bíblia, e não conhece seu contexto, logo vai achar que a Igreja Católica está permitindo a idolatria. Quem, como os protestantes, lê estes versículos fora do seu contexto e descoordenado do restante da Bíblia, vai afirmar que os católicos são idólatras porque permitem imagens. Mas quem, por outro lado, busca conhecer o que significava uma imagem para aquele povo, a evolução do conhecimento bíblico e das práticas religiosas cristãs, deixa de lado essa exegese perneta dos protestantes e parte para um melhor entendimento. Uma imagem não é um deus. O núcleo do texto é a idolatria, não as imagens. Os católicos não deixaram de seguir o que está escrito no mandamento, muito pelo contrário. Num mundo repleto de “deuses”, de objetos de desejo e de cultos alternativos, uma imagem ser confundida com um deus é apenas mais um obstáculo da luta do cristão contra a idolatria. Se existem católicos que crêem que uma imagem é, na verdade, um deus, e passa a adorá-la, o que não é nada impossível de acontecer, da mesma forma existem diversos outros cristãos que praticam as mais diversas vertentes de idolatria, todos os dias, e sem precisarem de imagens de escultura.

Mas então porque não se quebram as imagens de escultura, aí seria um motivo a menos de cair na tentação, correto? Não vejo assim, porque a imagem não possui gesto algum, não participa em nada neste culto. Quem deve mudar é o homem, é a sua mente, seu espírito. Quem pratica adultério não pode, para se livrar desta tentação, matar o homem ou a mulher que foram as “fontes” de sua falta. Os jovens ricos de hoje não precisam queimar seu dinheiro para se verem livres do apego material. Basta um renascimento, uma vida de graça e de conhecimento da verdade, e tudo será novo, e, como sabemos, o homem que renasce do Espírito vive segundo o Espírito.

As imagens sacras, na Igreja Católica, são utilizadas na ornamentação de igrejas e nas diversas manifestações de veneração das pessoas nelas representadas. As imagens, também, servem como aprendizado para aqueles menos esclarecidos, de modo didático e real. A imagem do peixe e da cruz identificam o cristão onde quer que ele vá. Não são imagens para serem adoradas. E não são adoradas por aqueles que têm consciência de sua fé. A veneração dos santos tem uma relação com as imagens, porque nos lembramos deles e de sua história por meio delas, mas a desculpa de não se ter imagens porque os querubins da arca não eram venerados não é legítima. A arca, toda, era um objeto sagrado, assim como os querubins, e portanto digna de toda a veneração por parte do povo de Israel. Os santos homens representados, assim como a Virgem Santa e mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo, são meios não de tornar necessária uma materialidade do culto, mas de facilitar a lembrança e estimular a imitação de suas vidas. As diversas imagens das catacumbas cristãs e também da sinagoga de Dura Europos são exemplos de representações comuns de personagens e histórias bíblicas de muita utilidade, para um povo que queria conhecer cada vez mais sua própria crença.

Para muitos protestantes basta um versículo. Sem dúvida não há quem consiga contornar o peso que dezenas de versículos que guardem o sentido de proibição junto a uma idéia de imagem com poucos outros versículos que expliquem que não é bem assim. Infelizmente, a grande maioria dos protestantes não mede esforços tanto na acusação aos católicos quanto na fuga aos argumentos contrários. Muito se faz, por parte deles, para questionar, e pouco para entender. Com essa filosofia, poucos são os que sentam e lêem algo que possa lhes esclarecer que uma interpretação apressada de um versículo está conduzindo sua relação com os católicos para uma postura altamente agressiva e ignorante. Esse não será o primeiro e nem o último texto que diz isso, como também não será esta a nossa última resposta sobre a questão das imagens. Mas é assim mesmo, o mundo dá voltas e vamos em frente, tentando dar de graça o que de graça recebemos: a oportunidade de conhecer a riqueza da arte na Igreja Católica.

Ah. E antes de eu me esquecer, a sua última pergunta: “MARIA SALVA????????????????????????“.

Não, Maria de Nazaré, a mãe de Deus, não salva, porque ela não morreu pelos nossos pecados, ela não é Deus nem criou o céu e a terra. Ela é apenas a criatura mais perfeita criada por Deus, cheia de graça e eternamente bem-aventura. Por ela recebemos a salvação, Jesus Cristo, junto dela somos salvos por Ele. Ela, que é a mãe da Igreja, é a mãe de todos os cristãos, a mulher que nos trouxe a salvação…mas não salva.

Facebook Comments

Livros recomendados

A Carta de São Paulo aos RomanosA Cruz de Cristo9 Ateus Mudam de Ônibus

About the author

Veritatis Splendor

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.