• Autor: Pe. Arthur W. Terminiello
  • Fonte: Livro “The 40 Questions Most Frequently Asked about the Catholic Church by Non-Catholics” (1956) / Site “Una Fides, One Faith” (http://net2.netacc.net/~mafg)
  • Tradução: Carlos Martins Nabeto

– Sua Igreja não faz exceções quando se trata de divórcio. Como então se explica a exceção que o próprio Cristo permitiu, no caso de adultério, em Mateus 19:9?

O texto de São Mateus 19,9 tem a seguinte redação:

  • “Mas eu vos digo: ‘Todo aquele que repudiar sua esposa, exceto por fornicação, e casar com outra, comete adultério'” (S. Mateus 19,9; cfr. S. Mateus 5,32).

A lei judaica na época de Nosso Senhor não permitia o divórcio absoluto. No entanto, permitia a separação por causa de adultério. Contudo, outra escola de rabinos ensinava que nem isso não era motivo de separação ou “divórcio limitado”.

Cristo está resolvendo essa disputa ao permitir a separação por causa do adultério, mas não permite um novo casamento nesse caso. O texto teria a seguinte redação:

  • “Mas eu lhe digo: ‘Todo aquele que repudiar sua esposa – e essa separação não é permitida, exceto por causa de fornicação – a faz cometer adultério'”.

A Lei de Deus expressa por Cristo é clara e definitiva no Novo Testamento; e uma vez que é Palavra de Deus, nem a Igreja nem ninguém tem a liberdade para mudar essa lei. Qual é a lei?

  • “E ele lhes disse: ‘Todo aquele que repudiar sua esposa e casar com outra, comete adultério contra ela; se a esposa repudiar o marido e ele se casar com outra, ela cometerá adultério” (São Marcos 10,11-12).

Às vezes, a separação é permitida por um bom motivo. Nesses casos, o bispo pode também permitir o divórcio se isso for necessário para garantir proteção legal [civil] para a parte inocente e as crianças. No entanto, isso é sempre com o entendimento de que nenhum segundo casamento poderá ser considerado válido após essa separação.

  • “Mas àqueles que são casados, ordeno não eu, mas o Senhor: que a esposa não se afaste do marido; e, se ela partir, deve permanecer solteira ou reconciliar-se com o marido. E que o marido não deixe a sua esposa” (1Coríntios 7,10-11).
Facebook Comments

Livros recomendados

NamoroAntônio Torres – Uma AntologiaAs crônicas de Nárnia