Não, porque ninguém pode ser perfeitamente feliz sem possuir e gozar do Bem Absoluto. Apenas este Bem – que é Deus – tem a plena capacidade para saciar-nos eternamente todos os desejos e necessidades do nosso entendimento e coração. Todos os demais bens são imperfeitos, finitos e corruptíveis.

Facebook Comments

Livros recomendados

Antônio Torres – Uma AntologiaA importância de ser prudenteO trabalho intelectual e a vontade – continuação de “A educação da vontade”